Ir. M. Nilza P. da Silva – “Você precisa se benzer!” “Leva seu filho numa benzedeira!” Quem nunca ouviu isso? Até mesmo as pessoas que não são católicas querem ser abençoadas. Às vezes, dizem isso com expressões da moda, que expressam a necessidade de bênçãos, como a busca de alguém que irradie “energia positiva”.

Mas, o que é afinal uma bênção?

“Encontramos a origem da bênção na Bíblia, no livro de Gênesis”, diz o Pe. Marcelo de Souza, capelão do Santuário da Mãe e Rainha, Tabor Magnificat, em Curitiba/PR. “Lemos que, quando Deus criou o homem e a mulher, ‘Deus os abençoou’. Portanto, Deus é a origem e fonte de toda bênção.” 

[1]

O Catecismo da Igreja Católica (CIC), explica que “A bênção é o encontro de Deus com o homem; nela se encontram e unem o dom de Deus e o acolhimento do homem.”(2626)

Pe. Marcelo explica também que “a Igreja é chamada a ser a extensão da presença de Deus na vida das pessoas, por isso, é chamada também a abençoar todas as pessoas, por meio dos sacramentos.”

Todas as pessoas podem ser abençoadas, desde que queiram, pois, como ensina o Pe. Kentenich, “ o Pai não nos ama porque somos bons, mas nos ama porque Ele é Pai.”

Quem pode abençoar e por quê?

“Catecismo da Igreja Católica, no número 1669, nos ensina que todo batizado é chamado a ser uma benção e, também, a abençoar. Os leigos podem presidir algumas bênçãos, mas, não todas. Quando a bênção se referir a vida eclesial e sacramental, sua presidência é reservada ao ministério ordenado: Bispos, padres e diáconos.

Podemos então dizer que os leigos pelo batismo estão inseridos no sacerdócio de Cristo e, por isso, são chamados com a sua vida a ser uma benção e abençoar.

Agora, os ministros ordenados participam, pelo sacramento da ordem, de uma maneira especial, no sacerdócio de Cristo, sendo eles Persona Christi. Que age, não em nome e sim como a pessoa de Cristo. Por isso, realizam os gestos de Jesus, que são gestos sacramentais. Um desses gestos é abençoar a vida das pessoas. Vale lembrar que a bênção é um sacramental e estes são instrumentos que auxiliam os cristãos na sua vida espiritual,” responde o Pe. Marcelo.

“Percorremos o mundo, fortes e bondosos, distribuindo bênçãos, como imagens de Maria.” (Rumo ao Céu RC, 338)

As orações de bênçãos não são fórmulas mágicas

É preciso bastante atenção e cuidado em relação a quem se pede a bênção, além dos pais e avós. Livrar-se de conceitos que desviam do caminho, que conduz a presença e atuação de Deus, e acentuam muito mais a atuação do Demônio. Não existe uma fórmula mágica que resolve todos os problemas, ou elementos usados que livrem ou fechem da influência do maligno ou de doenças. Com certeza que, se abençoar é um direito dado pelo batismo e se o batismo nos insere no corpo místico de Cristo que é a Igreja, para abençoar uma pessoa precisa estar em comunhão com a Igreja, sua paróquia e diocese. Para proteger as pessoas de algumas tendências que mais prejudicam do que ajudam, a Sagrada Congregação para o Culto Divino elaborou um Ritual de Bênçãos, que você pode ler e baixar aqui. Em caso de dúvidas, consulte seu pároco.

Qual é o significado e importância de abençoar, pedir e receber a bênção?

“Abençoar e uma ação divina que dá a vida, da qual o Pai é a fonte.” (CIC, 1078)

Abençoar significa rezar para que aconteça o encontro entre Deus e aquele que recebe a bênção. Deus é amor e busca mil modos de encontrar-se com cada filho seu, para lhe presentear graças. Portanto, a oração da bênção é para ajudar a outra pessoa a abrir-se para encontrar-se com Deus em sua vida.

“Abençoar não é apenas um ato de palavras, mas, sobretudo, de coração no qual pedimos a Deus todo o bem possível a essas pessoas. Podemos, então, abençoar tanto quanto pudermos a todas as pessoas que cruzam nosso caminho.” (Arq Belém)

Podemos abençoar-nos uns aos outros. “A oração de bênção é a resposta do homem aos dons de Deus: uma vez que Deus abençoa, o coração do homem pode responder bendizendo Aquele que é a fonte de toda a bênção.” (CIC, 2626)

Pais, abençoem seus filhos: Cada pai e cada mãe participa no ato criador de Deus, toma parte na bênção divina. Por isso, em Deus, recebem a autoridade de distribuir bênçãos para seus filhos: “A bênção paterna fortalece seus filhos” (Eclo 3,11).

Aquele que pede a bênção, dá o primeiro passo ao encontro de Deus, abre o coração para acolher o amor e todas as dádivas de Deus, em última análise, para acolher o próprio Deus em seu coração e em sua vida.

Pe. Marcelo explica que “pedir e receber a benção de Deus é fazer com que a vida tenha prosperidade, que a vida seja próspera de saúde, paz, alegrias, conquistas, realizações e tantas outras coisas. Que a vida esteja longe de tantos males que, infelizmente, vão nos cercando diariamente. Que a vida permaneça presente na graça de Deus e distante do pecado. Por isso, é tão importante pedir e receber a benção, que faz com que a gente fique cada vez mais próximo de Deus e de tudo aquilo que ele tem para nos oferecer.”

Uma benção a distância é válida?

“A igreja diz que sim. É válida porque a benção é um sacramental e não um sacramento. Enquanto o sacramental é um auxílio em nossa caminhada de fé, os sacramentos são o centro da nossa fé. Por meio deles, Deus nos comunica a sua graça, se torna presente e atua em nossa vida. Os sacramentos prolongam a ação salvífica e vivificante da força de Deus, na vida de todos aqueles que os recebem. Mas, também o sacramental é uma força aí em nossa caminhada de fé,” completa Pe. Marcelo.

O Papa sempre abençoa a distância também. Uma bênção especial à distância é dada pelo Papa, nas solenidades do Natal e da Páscoa: Urbi et Orbi, que significa a Roma e a todo o mundo.

Pe. José Kentenich tinha o costume de, bem cedo e ao findar o dia, abençoar em direção aos quatro pontos cardeais, para que cada membro da Família de Schoenstatt que desejasse, recebesse a sua bênção de Pai e Fundador. Hoje, todas as noites, às 19h50min (14h50min no Brasil) algum padre da Coluna Sacerdotal de Schoenstatt continua a dar essa bênção do Fundador, no Santuário Original. Essa bênção é transmitida ao vivo, neste canal do YouTube.

Os diversos tipos de bênçãos

Bênção das pessoas – pode ser individual ou em grupo. Um exemplo de bênção comunitária é a que o padre dá no final de cada missa, também a bênção nupcial ou da família.

Bênção dos objetos – que pode ser dada a coisas, como ex. bênção de medalhas, de imagens de santo, do terço, da água, do cálice, do carro, da chave, dos alimentos (Jesus abençoou o pão e o vinho)…

Bênção de locais – dada a lugares como, bênção de uma igreja, de uma casa, do Santuário Lar, do escritório…

Há ainda outros tipos de bênçãos, como ex. a bênção do fogo, na noite da Páscoa.

Mas, é importante ressaltar que tudo o que é abençoado torna-se sacramental, portador da graça. Por isso, precisa ser tratado ou comportar-se com dignidade e respeito.

“O Senhor te abençoe e te guarde. O Senhor faça brilhar sobre ti sua face e se compadeça de ti.
O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz.” (Nm 6, 24-26).

Rezemos com o Pe. Kentenich:

“Recebam a bênção de Deus e, com ela, felicidade e salvação, os que se consagraram inteiramente a Schoenstatt, aqui e na eternidade. Amém” (RC, 17)

[1] “Desde o princípio, Deus abençoa os seres vivos, especialmente o homem e a mulher.” Catecismo da Igreja Católica (CIC), 1080.

 

Fonte: schoenstatt.org.br