Reflexão para o Dia de Finados

Pe. Francisco José Lemes Gonçalves– Começo minha reflexão por uma dessas mensagens partilhadas em nossas redes sociais; certa vez, ainda nestes dias, me enviaram uma reflexão dos “C” s que estamos vivendo: C – Covid-19,  C – cemitério, entre outros…  Às vezes encaminhamos estas coisas e nem fazemos um pequeno retiro diante delas. Simplesmente repassamos, talvez porque achamos bonito ou passamos a vista muito rápido, pois o tempo urge.

Pois bem: a pandemia nos levou por muitas vezes ao cemitério, muitos viram pelos jornais e TVs, outros tiveram essa experiência dentro da família e com pessoas muito próximas, e há aqueles que ainda estão de luto, com o sentimento de incerteza que estes tempos estão a nos gerar.

Preste bem atenção a estes dois “C “s: creio na Vida Eterna e na Comunhão dos Santos. Estamos neste mundo de passagem, nós o sabemos; mas preferimos não nos ater a isso. É o que rezamos no Creio depois da homilia ou no início da reza do terço, mas não nos atemos a isso, afinal ainda estou no mundo. Porém a Comemoração dos Féis Defuntos deste ano de 2020, dentro da pandemia nos leva a pensar nesta realidade que não é fantasia.

Jesus se fez homem justamente para que a Vida Eterna fosse de novo nos dada, a sua morte abriu as portas que o pecado de nossos primeiros pais fechara. Diante de tantas mortes neste ano, seja pela COVID-19 ou não, fica o convite para nós cristão professarmos a nossa fé na vida eterna e nela crer com todas as forças. Se ainda estamos aqui na terra é porque temos nosso tempo a ser cumprido e diante desta realidade vale um outro C: o da conversão!

Crer na Comunhão dos Santos – crer que, os que partiram estão na comunhão dos Santos, dos santos que veneramos em nossas igrejas, e dos santos que são as pessoas que amamos e um dia os levamos ao sepulcro. No céu há muitas moradas, já dissera Jesus. Lá veremos Deus como ele é. Lá não haverá mais choro, nem dor, nem apegos desnecessários. Seremos todos irmãos; como anjos, reinaremos para sempre. O apóstolo Paulo diz que nem imaginamos o que nos espera no céu. As dificuldades que passamos aqui na terra, nos ajudam a viver com fé e esperança neste mundo, para ganhar a Vida eterna. O amor vivido para com o próximo é a chave que nos abre a porta do céu.

Neste ano, em muitos lugares, não poderemos ir aos cemitérios para evitar aglomerações, mas podemos e devemos sim rezar pelos nossos entes queridos, acender uma vela em suas intenções, como sinal do Ressuscitado, a Luz que ilumina a nossa vida.

Viva bem seu dia de Finados na saudade que ainda aperta o coração, mas fazendo boa memória do bem que tal ente querido tenha nos proporcionado, em algum momento de nossa vida. E rezemos também por aqueles que não serão lembrados neste dia. Rezar pelos fiéis defuntos é uma obra de misericórdia!