“Dai-nos, Senhor, sacerdotes santos”

Karen Bueno – A Solenidade do Sagrado Coração de Jesus é um dia dedicado também a rezar pelos padres, rezar pela santificação do clero. Em 2020, segundo os sacerdotes mesmos contam, essas orações são ainda mais necessárias. Os desafios da pandemia afetam a todos os seres humanos, incluindo os padres. Em meio à crise, a oração dos leigos é um alento para as horas de dificuldade e um suporte para a missão dos pastores.

O Pe. Roque Machado, da União dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt, comenta sobre o momento atual: “É algo muito estranho celebrar olhando para uma câmera, uma máquina. Mesmo sabendo que nos comunicamos com as pessoas através dela, nada se compara com uma comunidade viva, celebrando de modo presencial. Não é em vão que os sacramentos exigem a presença física. A transmissão é importante numa situação como essa que estamos vivendo, como meio de manter o vínculo com a comunidade e a comunidade com a Igreja, mas não é a mesma coisa, fica um vazio, nada substitui a comunidade viva. Que este tempo passe logo e possamos voltar à celebrar juntos como Igreja viva, sacramento do Cristo ressuscitado”.

Segundo o Pe. Marcelo Cervi, do Instituto dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt, “mais do que nunca, neste ano é necessário rezar pelos padres – e eu falo a partir do ponto de vista do padre”.

Ele explica: “Tudo aquilo que os leigos estão passando, na família, no trabalho, na escola, com os amigos… nós também passamos: o medo, a insegurança, a solidão, os temores. Mas, sobretudo, o que mais nos pesa neste momento é a falta do contato físico com o povo de Deus. O Papa Francisco nos diz que ‘o pastor deve ter o cheiro das ovelhas’, mas, se você não tem as ovelhas ao lado, como ter esse cheiro? Então, o que mais nos faz falta – e ouço isso na conversa com outros padres – é poder estar com o povo de Deus, poder celebrar juntos, estar com as pessoas nos momentos mais duros, como, por exemplo, numa internação. Tudo é muito difícil e complicado e, principalmente, não ter esse contato do dia a dia da paróquia, com os pequenos grupos, grupos de formação, aquele movimento que nos faz tão bem”.

Pe. Marcelo recorda que o ser humano é um ser vinculado, matem relações, então, “imagina um padre, que está a serviço das pessoas 24 horas por dia. Eu acho que é por isso que precisamos rezar ainda mais pelos padres neste momento, para que eles não desanimem, para que encontrem sentido na distância, para que eles sejam pastores verdadeiros neste tempo – que eles não abandonem o povo de Deus, se entrincheirando, pelo medo, nas casas, nos escritórios, nas secretarias, sem uma transmissão, uma palavra, sem fazer a Igreja, de alguma maneira, presente na vida das pessoas. E, também, para que não desanimem em alguma crise de fé, porque pode acontecer. Tem tanta gente se perguntando os motivos dessa pandemia, e também os padres se perguntam. Se, nessa hora, a fé não ajudar, um ou outro corre o risco de desanimar e se perder. Por tudo isso eu acho que é necessário, ainda mais, rezar pelos padres”.

Diante do coração de Jesus, cada um é convidado hoje a dedicar uma prece pelos sacerdotes. “Sabemos, por experiência, que com nossas próprias forças não o conseguiremos, que isso nos deve ser alcançado pela Mãe. Por isso, rezemos juntos e peçamos uns pelos outros” (Pe. José Kentenich) 

[1].

* A Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, Dia de Oração pela Santificação do Clero, é celebrada na segunda sexta-feira após Corpus Christi, em 2020 no dia 19 de junho.

[1] J. Kentenich, Curso para diretores espirituais, Mística, Schoenstatt, 20 de agosto a 3 de setembro 1927. Disponível em: Chamado por Deus, consagrado a Deus, enviado por Deus; editor: Pedro Wolf

(Foto: Marcia Kazumi)

Fonte: schoenstatt.org.br