Os Padres de Schoenstatt, no final de seu Capítulo Geral, se encontram com o Papa Francisco. A mensagem do Papa:

Diante de adversidades, ser portadores de esperança

Vocês, queridos irmãos, realizam um belo serviço à Igreja e ao mundo, especialmente acompanhando as famílias, nos vários acontecimentos e vicissitudes que atravessam. Hoje em dia, há muitos casamentos em crise, jovens tentados, idosos esquecidos, crianças que sofrem. Vocês são os portadores de uma mensagem de esperança, nestas situações sombrias que atravessa cada etapa da vida: disse o Papa Francisco aos padres da comunidade de Schoenstatt, ao recebê-los, nesta quinta-feira, em seu Capítulo Geral

“Agradeço ao novo Superior Geral, padre Alexandre Awi Mello, por suas amáveis palavras, bem como por seu serviço como secretário no Dicastério para os Leigos, a Família e Vida. E outros serviços anteriores, porque este o conhecemos ‘poldro’, foi meu secretário em Aparecida, depois meu guia no Rio de Janeiro, depois meu secretário aqui. Obrigado por sua colaboração durante estes últimos anos em comunhão com o Sucessor de Pedro, em favor de toda a Igreja. Desejo-lhe um ministério frutuoso nesta nova responsabilidade que lhe foi confiada.”

Foram também as palavras do Papa Francisco, ao receber, na manhã desta quinta-feira, 1º de setembro, na Sala do Consistório, no Vaticano, os participantes do capítulo geral dos Padres de Schoenstatt, com as quais agradeceu ao novo Superior Geral, o sacerdote brasileiro, Pe. Alexandre Awi, por seu serviço, nos últimos cinco anos, junto à Sé de Pedro, felicitando-o nesta nova missão. O Santo Padre disse rezar ao Espírito Santo para que faça frutificar todos os esforços que os padres da comunidade de Schoenstatt fizeram, durante o Capítulo Geral.

Foto: Vatican Media

Schoenstatt: um belo serviço prestado à Igreja e ao mundo

O Papa Francisco ressaltou que “o sangue de Jesus, derramado na cruz e oferecido como sacrifício de amor por todos nós, constituiu uma relação irrevogável entre Deus e a humanidade: um pacto de amor, um pacto de salvação”.

Vocês, queridos irmãos, realizam um belo serviço à Igreja e ao mundo, especialmente, acompanhando as famílias nos vários acontecimentos e vicissitudes que atravessam, anunciando a todos os seus membros a beleza da “Aliança de Amor” que o Senhor estabeleceu com seu povo. Hoje em dia, há muitos casamentos em crise, jovens tentados, idosos esquecidos, crianças que sofrem. Vocês são os portadores de uma mensagem de esperança, nestas situações sombrias que atravessa cada etapa da vida.

A este ponto de seu discurso, o Papa Francisco foi enfático ao afirmar que “o mundo exige cada vez mais que demos respostas às interpelações e preocupações dos homens e mulheres de nosso tempo”. Observou que “dentro das famílias, muitas vezes, existe uma lacuna no entendimento, entre os idosos e os jovens. Recentemente, nas catequeses de quarta-feira, afirmei que a aliança entre as gerações, ou seja, entre os mais velhos e os mais novos, é o que pode salvar a humanidade, porque desta forma se preserva a identidade pessoal e familiar”.

Maria cuida especialmente dos mais pobres

O Papa disse pensar no modelo que nos é oferecido pela Sagrada Família e, especialmente, pela Virgem Maria, que cuida com um amor terno e comprometido de todos os seus filhos e filhas, especialmente os mais pobres, no corpo e no espírito.

No belo hino do Magnificat, continuou o Pontífice, Maria confessa as proezas do Senhor, que “derruba os poderosos de seus tronos e eleva os humildes, aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias”.

Foto: Vatican Media

Ter a coragem de abrir novos caminhos a serviço das famílias

O Papa ressaltou a grande espiritualidade mariana que caracteriza a comunidade dos padres de Schoenstatt: A Bem-aventurada Virgem Maria, venerada com grande amor por cada um dos membros da comunidade de Schoenstatt, sob o título da “Mãe Três Vezes Admirável”, é um modelo basilar para todos. Ela impulsiona a construir pontes baseadas na caridade fraterna e na comunhão de bens com os mais necessitados, ao mesmo tempo em que nos dá sabedoria e coragem, para sair ao encontro daqueles que se afastaram da amizade com o Senhor, para recuperá-los com o testemunho da nova vida em Cristo, que se caracteriza pela misericórdia.

O Papa Francisco concluiu exortando-os a prosseguir em seus apostolados, renovando-se sempre com a graça do Espírito Santo e tendo a coragem de abrir novos caminhos a serviço das famílias, para fazer resplandecer a beleza da Aliança estabelecida entre Deus e o homem, com a espiritualidade e a vivência dos valores cristãos.

Fotos: Vatican Media

Fonte: VaticanNews