“É preciso colocar-se a serviço de modo desinteressado, doar-se sem buscar reconhecimento ou retribuição”.

Por: Dulce Torres / Thelma Soutello

Exemplo para os missionários da Campanha da Mãe Peregrina, como um grande incentivador, o Servo de Deus, Diácono João Luiz Pozzobon buscou sua santidade diária por meio da espiritualidade de Schoenstatt, a serviço da missão que lhe foi confiada, foi um homem simples, humilde e de fé.

Um homem singelo, filial, solidário com os mais necessitados, um apóstolo heroico de Maria, um modelo de santo schoenstattiano. Maria o foi formando em seu Santuário com um profundo espírito de filialidade heroica que transparecia em todo seu ser.

Filho heroico

Ele foi um filho heroico na oração; sim, de uma profunda oração: Santa Missa diária, muitas horas de adoração eucarística e diversos terços rezados ao longo do dia. De profunda vida contemplativa, marcada por seu terno amor a sua Mãe e Rainha.

Filho heroico como esposo e pai de família exemplar, homem de trabalho, justo e honesto. Nunca descuidou de suas obrigações familiares e de seu intenso apostolado. Foi um filho heroico na promoção da paz. Soube aceitar calado muitas indiferenças e desprezo; perdoou inúmeras vezes aos que não o compreendiam e o caluniavam e levou a paz para muitas famílias.

Profunda vida interior

Filho heroico no caminho da auto santificação, cultivando sempre um espírito sacrifical, não escolhendo para si o mais fácil e o mais cômodo. Viveu plenamente as exigências da Aliança de Amor: “Por amor a Campanha, ser herói hoje mesmo”. João Pozzobon foi um incansável apóstolo da Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt. Soube unir uma profunda vida interior contemplativa a uma ação extraordinária e fecunda.

Neste ano em que celebramos os 70 anos da coroação da Mãe como Rainha da Filialidade Heroica no Santuário Tabor de Santa Maria, podemos dizer com toda certeza que o diácono João Luiz Pozzobon foi um filho heroico do Tabor.

Unidos ao nosso Pai Fundador, Pe. José Kentenich e ao Servo de Deus, João Luiz Pozzobon, rezemos a oração da coroação da Mãe de Deus como Rainha da Filialidade Heroica:

“Pedimos-te novamente que aceites a coroa como expressão do pedido: cuida que todos os filhos de Schoenstatt recebam e conservem, até o fim dos tempos, a graça da filialidade heroica e, com ela, a garantia do elemento essencial de nossa espiritualidade. ”

 

Ref: João Luiz Pozzobon – Um santo com têmpera de missionário leigo? – Pe. Vitor Trevisan

 

Reflexões sobre a vida do diácono João Luiz Pozzobon