“O amor a Cristo nos impulsiona!” foi a linha central que perpassou os trabalhos do segundo dia do Encontro das Equipes Diocesanas da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt.

Às 7h foi celebrada a Santa Missa no Auditório, presidida pelo Pe. Luís Antônio de Sales da Arquidiocese Militar, de Brasília e concelebrada pelo Pe. Lauro Wisnieski da Arq. de São Paulo.

Após o café, as atividades tiveram início com a palestra ministrada pela Ir. Adriane Maria Barbosa, Assessora da Campanha da Mãe Peregrina no Santuário Tabor da Liberdade, de Confins/MG.

O tema da palestra apresentou o contexto do Centenário de Hoerde, acontecimento importante para o Movimento Apostólico de Schoenstatt em sintonia com o Mês Missionário extraordinário que a Igreja celebrará no próximo outubro deste ano.

Um pouco da história

Logo após a Fundação de Schoenstatt, em 18 de outubro de 1914, o mundo vive os abalos da Primeira Guerra Mundial. Os jovens seminaristas que há pouco selaram a Aliança de Amor com a Mãe de Deus são convocados para defender sua Pátria, e na o meio dos horrores da guerra contagiam outros soldados com sua espiritualidade.

Terminada a guerra os jovens retornam do campo de batalha e existe a pergunta: como inserir na espiritualidade de Schoenstatt aqueles que não faziam parte do seminário?

Para discutir esta questão, convocam para os dias 19 e 20 de agosto de 1919 um Congresso na localidade de Hoerde. O fato marcante é que o Pe. Kentenich, Fundador de Schoenstatt não comparece ao evento. Sua intenção era, deixar falar a Divina Providência e que os jovens assumissem o compromisso por aquilo que fosse decidido. Sua ausência era um fino lance pedagógico, fazendo despertar a livre iniciativa dos jovens.

O Congresso de Hoerde pode ser considerado o 2º acontecimento importante, depois do 18 de outubro. Foi o momento em que o Movimento Apostólico de Schoenstatt saiu do círculo da Congregação Mariana e tomou o caminho que lhe havia sido previsto: o de tornar-se um Movimento de educação, escola de apóstolos leigos, comunidade mariana-apostólica.

Foi a partir de Hoerde que surgiram muitos frutos na grande árvore do Movimento Apostólico de Schoenstatt, a partir da União Apostólica surgiram os demais Ramos e comunidades do Movimento.

De Hoerde vem a herança da constante aspiração ao mais alto grau de perfeição de estado e do impulso apostólico.

Após apresentar o contexto histórico de Hoerde, Ir. Adriane Maria fez a aplicação do espírito de Hoerde na atuação apostólica e missionária do Sr. João Luiz Pozzobon. Seu exemplo irradiou e corporificou em si esse aspecto da Igreja em constante saída e mais ainda do leigo apostólico como em Horde.

O tema apresentado serviu como material de aprofundamento do tema sobre a missionariedade, já que o Secretariado da Campanha da Mãe Peregrina em Atibaia, propõe a celebração de um Ano Missionário, em sintonia com a Igreja, preparando o Mês Missionário extraordinário. Após a palestra, os coordenadores se reuniram em grupo para aprofundar o tema apresentado.

Confira mais fotos!