Celebramos o segundo Dia da Aliança neste novo ano! Que alegria poder contemplar as maravilhas que nossa Rainha de Schoenstatt opera na vida de tantas famílias que a acolhem mensalmente em seus lares. Sim, ela é a grande missionária, ela faz milagres em tantos corações, milagres em nossas famílias.

Como Família Mãe e Rainha, temos um múltiplo sentimento de alegria, de gratidão e amor, porque festejamos nossa Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt! Sua imagem de graças, no Santuário de Schoenstatt, é uma luz que se acendeu a partir do dia 18 de outubro de 1914. Deus Pai fez com que esta luz se espalhasse pelo

mundo inteiro, por meio de cada Santuário Filial, Santuários-lares, Ermidas e Imagens Peregrinas que visitam nossas famílias. Essa luz brilha especialmente a partir de cada coração que se consagra inteiramente ao seu materno coração.

Celebrar o dia da Aliança de Amor é renovar nossa entrega mais profunda à nossa Rainha de Schoenstatt, nos consagrarmos a ela e ofertar nossas contribuições ao Capital de Graças: nossos trabalhos, sacrifícios e nossas orações, as alegrias e os sofrimentos, nossa família e nossa própria vida. Pe. Kentenich, nosso Fundador, nos ensina: “Nossa Mãe e Rainha escreveu indelevelmente o nosso nome em seu coração.

[…] Ela o escreveu, ao mesmo tempo, no coração de Jesus e no coração de Deus Pai. Expresso de outro modo: o próprio Deus escreveu indelevelmente

 o meu nome, o nome de vocês em seu coração e, para que se tornasse indelével, inscreveu-o, ao mesmo tempo, no coração de Nossa Senhora” (Livro Com Maria ao novo milênio, p. 168).

O Papa Francisco também nos pede que vivamos a cultura do encontro, quer dizer, a cultura da Aliança. Quantas vezes experimentamos em nossas famílias a destruição dos vínculos familiares, falta de oração, de unidade, vive-se a cultura do provisório, do descartável nos relacionamentos. Existe uma saída, assim nos mostra o Papa Francisco: “Que neste mundo de desencontros, de difamações, calúnias, destruições com a língua, levem vocês adiante esta cultura do encontro, renovando a Aliança. E, claro, ninguém pode se educar sozinho, precisa que a Mãe o eduque. Assim, recomendo todos vocês à Mãe, para que ela continue fazendo-os caminhar adiante nessa renovação da Aliança. Obrigado (Audiência do Santo Padre, Papa Francisco com a família de Schoenstatt 25 de outubro de 2014).