Ir. M. Nilza P. da Silva/Mariela Furquim – Hoje, 8 de setembro, nove meses depois da solenidade da Imaculada, 8 de dezembro, a Igreja celebra a festa da natividade de Maria. Segundo os Evangelhos Apócrifos

[1], a pequena Maria, nasceu na cidade de Nazaré, na Galileia, e seus pais se chamavam Joaquim e Ana. “Seu nascimento trouxe alegria ao mundo inteiro, pois de ti veio o Sol da Justiça,” reza a liturgia desse dia. “Jesus é o sol, Maria é a aurora que prenuncia o seu surgir.” (Papa Francisco) [2]

A Igreja católica não costuma celebrar o dia de nascimento dos santos, mas sim o de sua morte – isto é, quando entraram para a glória eterna. Contudo, faz exceção para celebrar três nascimentos: de Jesus Cristo (Natal); de São João Batista (ainda no ventre de Isabel, manifestou-se diante da proximidade de Maria, que esperava Jesus, e que fora visitar sua parente); e o da própria Virgem Santíssima.[3]

Festejemos o aniversário de nossa querida Mãe

“Esta festividade mariana é toda um convite para a alegria, porque, com o nascimento de Maria Santíssima, Deus deu ao mundo quase a garantia concreta de que a salvação já estava perto: a humanidade (que há milênios esperava o cumprimento das profecias, com o nascimento do Salvador) – podia finalmente olhar, comovida e vacilante, para Maria ʽcriancinhaʼ, que era o ponto de convergência e de chegada de um conjunto de promessas divinas… A Igreja toda, portanto, não pode hoje deixar de alegrar-se ao celebrar a Natividade da Maria.”[4] (São João Paulo II)

Por que é importante celebrar o aniversário?

Porque cada um de nós é também uma promessa de Deus para esse mundo. Fomos planejados por Ele, moldados desde o ventre materno (Salmo 139). Cada um de nós é único, não há réplicas de mim. Celebrar o aniversário é agradecer a Deus pelo presente da vida, rever nossa história passada, agradecer o presente e olhar com esperança para o futuro.

Ir. M. Emilie, certa vez, preparou seu aniversário com uma novena e explicou o motivo: Gratidão pelo dom da vida “na qual as inefáveis misericórdias de Deus se entrelaçaram maravilhosamente com as misérias humanas.”[5]

Cada um de nós pode dizer o mesmo, por isso, reunimos nossos familiares e amigos, para agradecermos o dom da vida e por nos sentirmos queridos e valorizados.

Nascemos para uma missão

Pe. Kentenich também se alegrava quando a Família de Schoenstatt celebrava seu aniversário e ele sempre agradecia com palavras sábias. Em 1958, na festa de seus 73 anos, ao agradecer, disse:

“Se perguntássemos a São Paulo qual foi sua missão, ele haveria de responder: ‘A mim foi-me confiada a missão de anunciar ao mundo inteiro o mistério de Cristo, de Cristo Salvador e mediador, Cabeça do Corpo Místico’. Espontaneamente perguntamos agora: Qual foi a missão a mim confiada? Olhando para São Paulo, posso dizer: minha missão era e é anunciar a Mãe de Deus, revelá-la ao nosso tempo, com a missão específica que Ela tem para o tempo atual a partir de seu Santuário de Schoenstatt”.[6]

O dia em que nascemos é o dia que iniciamos nossa missão e, ao sermos batizados ratificamos que fomos escolhidos por Deus. “O Senhor, teu Deus, estará contigo por onde quer que vás” ( JS1,9 ). Todo aniversário sempre é uma data de renovar nossos propósitos de vida, nossa missão!

Curiosidades sobre o aniversário

Imagem de Leslie Eckert por Pixabay

Festa

O hábito de celebrar aniversários tem sua origem no Egito, quando os faraós começaram a celebrar, todos os anos, a data na qual foram coroados. Ou seja, celebravam o dia em que tinham “nascidos” como governantes.

Vela

Na cultura grega, anualmente, no dia em que a pessoa nasceu, ela acendia uma vela como sinal visível de seu pedido de proteção aos deuses. O cristianismo acende velas como sinal da luz divina que sempre nos acompanha.

Comida

O banquete no dia do nascimento é herança da Roma antiga, quando se reunia amigos e parentes para celebrar o aniversário. Como cristãos, temos a refeição sempre como um momento sagrado, que fortalece a unidade e nos lembra da Santa Ceia, quando todos estavam reunidos ao lado de Jesus

Bolo

Durante o século XVII, na Alemanha, surge o costume de despertar o aniversariante com um bolo, no qual havia tantas velas quanto os anos de vida completado. Essas velas eram chamadas de “luz da vida”, sinal de esperança por mais um ano, e ficavam acesas o dia todo, só apagando a noite, quando o aniversariante reunia amigos e familiares para comer esse bolo.

Parabéns a você

É uma composição para crianças, das irmãs Mildred Jane Hill e Patty Smith Hill, Louisville/EUA, com o título original: Good Morning to All (Bom dia para todos), pois era o canto com que Patty recebia seus alunos para as aulas. A melodia se popularizou e ganhou nova letra – Happy Birthday to You (Feliz aniversário para você). A letra em português é de Bertha Celeste Homem de Mello, para um concurso promovido pela Rádio Tupi, em 1942.

Cartão

Tem sua origem na Inglaterra, quando, não podendo comparecer a festa, o convidado enviava um pedido de desculpas, por escrito, junto com os bons desejos para o novo ano. [7]

Feliz Aniversário Mãe de Deus!

—  —  —

[1] Textos não considerados inspirados por Deus, mas escritos para recolher tradições orais que circulavam entre o povo. Ao lado de (poucos) fatos históricos verdadeiros, tais textos traziam (muitas) histórias fantasiosas e edificantes, para comover os fiéis. Para dar maior autoridade a tais textos, escritos a partir do segundo século da era cristã, eles eram divulgados como sendo de autoria de algum apóstolo.

[2] Papa Francisco – https://www.vatican.va/content/francesco/pt/angelus/2013/documents/papa-francesco_angelus_20130908.html

[3] https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2020-09/a-natividade-de-maria.htmlhttps://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2020-09/a-natividade-de-maria.html

[4] https://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/1980/documents/hf_jp-ii_hom_19800908_frascati.html

[5] Livro: Meu sim é para sempre

[6] Livro: Uma vida pela Igreja

[7] https://brasilescola.uol.com.br/curiosidades/historia-parabens.htm

http://www.paroquianatividade.com.br/mensagens/a-historia-da-devocao-a-maria-bambina-maria-menina

 

Fonte: schoenstatt.org.br