Uma Campanha que pulsa no coração do Brasil

Cerca de 4 milhões de famílias brasileiras estão representadas nesse círculo de conversa ilustrado na foto acima. Se a Mãe Peregrina visita a sua casa todos os meses, se a sua comunidade tem um Santuário Paroquial, se a imagem auxiliar (essa grande) vai à sua paróquia de vez em quando… pode acreditar, é sobre você e sobre sua família que elas estão conversando.

Nesta sexta-feira, 10 de maio, estão reunidas as assessoras e coordenadoras dos dois Secretariados da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt (CMPS) do Brasil, que têm sede em Atibaia/SP e em Santa Maria/RS. É desses dois locais que partem as milhares de imagens da Mãe e Rainha, enviadas para visitar as casas, os hospitais, presídios, escolas, comércios e tantos outros lugares pelo país a fora.

A reunião nacional acontece em Atibaia nos dias 10 e 11 de maio. O Secretariado de Santa Maria e as regiões sul e nordeste do Brasil são representados pela Ir. M. Sára Vincensi e pela Ir. M. Rosequiel Favero. Já o Secretariado de Atibaia e as regiões Sudeste e Paraná são representados pela Ir. M. Diná Souza e pela Ir. Ana Maria dos Santos Lima. O intuito desse grupo – que carrega os debates e reflexões de milhares de coordenadores, missionários, famílias e assessores – é atuar em sintonia e cooperação mútua. “Viemos com esse objetivo: o que temos em comum e como trabalhar essas metas em comum na Campanha?”, diz a Ir. M. Diná.

Unidade que traz força

Apesar de serem dois Secretariados separados, ambos trabalham em sintonia, com o mesmo objetivo: “Temos feito um trabalho muito grande de se trabalhar em conjunto. Somos dois Secretariados separados e isso vem de uma realidade histórica, pelas dificuldades de distância”, comenta a Ir. M. Rosequiel. A Ir. Ana Maria complementa dizendo que essa divisão “é algo muito natural, porque o nosso país tem dimensão de continente. Cada região tem as suas características e quando o Secretariado precisa se posicionar e responder a determinadas questões, ele precisa estar próximo dessas realidades, que são distintas no norte e no sul. Com os Secretariados, conseguimos ‘inculturar’ a Mãe Peregrina nas regiões, sem perder os seus princípios”.

O trabalho em conjunto já vem de longo tempo e tem somado frutos ao longo dos anos. Um exemplo é a ‘Oração de Compromisso dos Coordenadores’, composta nacionalmente para todos os que se consagram a essa missão; outro exemplo foram as metas em comum de trabalho para o ano de 2014. “A importância dessa reunião é para mantermos isso, esse espírito de trabalho em conjunto”, salienta a Ir. Ana Maria.


Diversidade que enriquece

Numa reunião que reúne tanta diversidade, extraída das várias regiões do país, experimenta-se o Cenáculo, como pontua a Ir. M. Sára: “A gente sente que o Espírito Santo é vivo. Temos esse lema de um novo início no Espírito Santo e sentimos que ele está presente, que atua e age, porque, mesmo na diversidade, há unidade. É lindo isso!”

Fazendo uma reflexão sobre as correntes de vida que movem o Brasil, as assessoras de ambos os Secretariados apontam as semelhanças nos trabalhos com a Campanha. A coroação da Mãe de Deus como Rainha da Filialidade Heroica, a entrega do cetro, o Mês Missionário Extraordinário e a conquista da nova terra mariana são elementos que movem as famílias de todo o Brasil. Há também o anseio de tornar mais conhecido no Brasil àquele que iniciou a Campanha, o Servo de Deus João Luiz Pozzobon. “Esses encontros que a gente faz também são importantes para manter vivo o empenho e a unidade para tornar conhecido João Pozzobon, para nos empenharmos por sua canonização”, recorda a Ir. M. Sára.

Diante dos desafios de uma nação extensa em território e cultura, as assessoras têm como meta serem fiéis à origem: “A gente precisa levar o carisma do nosso Pai e Fundador (Pe. José Kentenich) assim como ele é, e não como gostaríamos que fosse, por isso, precisamos ter essa abertura e a mão no pulso do tempo: ‘O que Deus está falando?’”, comenta a Ir. M. Diná.

Nesses dois dias de encontro, todos os coordenadores, missionários e famílias da CMPS são convidados a acompanhar as assessoras com orações e contribuições ao Capital de Graças. O conteúdo das conversas será, no decorrer do ano, aberto para que mais pessoas participem e opinem. Se, nas palavras de João Pozzobon, “um único homem pode mover o mundo inteiro”, o que dirá a força de uma nação inteira unida pela causa da Mãe de Deus?