Uma nova estação vocacional

Ir. M. Franciane Castelani – Com a solenidade de Cristo Rei do Universo, abrimos o terceiro Ano Vocacional do Brasil (20/11/2022 a 26/11/2023), na alegre esperança e confiança de que uma nova primavera de vocações florescerá na Igreja.

Ainda que no Brasil não sintamos tão acentuadamente a mudança das estações, percebemos muito bem quando chega a Primavera, pois de fato toda natureza se veste de nova vida e frescor. De forma análoga é este o desejo da Igreja ao promover um ano inteiro dedicado às vocações.

Com o tema

“Vocação: graça e missão”

e o lema

“Corações ardentes, pés a caminho” (Cf. Lc 24, 32s),

partimos rumo a um novo tempo de esperança.

Dom João Francisco Salm, Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, na CNBB, explica que “um terceiro Ano Vocacional no Brasil é motivo de grande alegria, um anseio de animadores vocacionais e de organismos de toda a Igreja. O primeiro Ano Vocacional, realizado em 1983, há 40 anos, também mobilizou todo o povo de Deus na reflexão vocacional.

[…] Em 2003, 20 anos após a primeira experiência nacional, um novo Ano Vocacional foi celebrado. Mais 20 anos se passaram e chegamos à terceira edição do Ano Vocacional.

A proposta foi aprovada por unanimidade pelos bispos na assembleia de 2021, atendendo à indicação do 4º Congresso Vocacional do Brasil, de 2019. Muitos salientaram a grande necessidade de o tema voltar a ser tratado nas comunidades eclesiais, paróquias, dioceses e regiões, mesmo porque o número de operários e operárias na messe continua sendo menor do que deveria, conforme constatou Jesus na sua época” (cf. Mt 9.35-38; Lc 10,2).

Vocação: graça e missão

A arte da logo para o Ano Vocacional – composta por Pe. Reinaldo Leitão, rcj – faz referência ao lema escolhido: o coração com a chama ou o fogo do Espírito Santo recorda a primeira parte do lema: “CORAÇÕES ARDENTES”.

Na parte inferior, do lado direito do coração, percebe-se o pé chagado do próprio Jesus, em um caminho, recordando-nos da segunda parte do lema: “Pés a caminho”.

No meio do coração, uma cruz, simbolizando um coração missionário.

O lema: “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33), faz alusão aos discípulos de Emaús, porque enquanto a Graça faz o coração arder, a Missão faz os pés estarem no caminho, em movimento. “Emaús” nos ajuda a compreender nossa vocação e missão.

O Coração de Jesus nos recorda de que a origem, o centro e a meta de toda a vocação e missão é a pessoa de Jesus Cristo. Aquele que chama, também envia.

À luz do mistério de Cristo, cada pessoa compreende a sua vocação como graça e missão! (Cf. CNBB. Texto-Base do 3º Ano Vocacional do Brasil. Brasília: Edições CNBB, 2022)

Emaús é aqui, Emaús somos nós

Assim canta o Hino composto por Dom Pedro Brito Guimarães (letra) e Pe. Wallison Rodrigues (música), para este Ano Vocacional. (Veja aqui)

Com quatro estrofes e quatro refrões, vai mostrando as “estações”, recordando-nos que a vocação é um processo que nunca para em definitivo, mas caminha de etapa em etapa; não fica estacionada, mas passa pelas estações.

O primeiro bloco de estrofe e refrão apresenta a subida à montanha para rezar e escutar o chamado; o segundo bloco, após sentir o coração arder e o desejo de colocar os pés a caminho, reflete a descida da montanha para a “procura de irmãos crucificados”, na missão do “cuidado com a vida”, em todas as suas dimensões; o terceiro bloco de estrofe e refrão faz referência ao momento sublime da partilha, comunhão, Eucaristia, onde os olhos se abrem, a animação é fortalecida ou recuperada, ocasião forte para o despertar e o discernir vocacional; a quarta etapa aprofunda a dimensão missionária e apresenta Maria como exemplo de vocacionada, sensível ao outro, pronta para servir. (Cf. CNBB. Texto-Base do 3º Ano Vocacional do Brasil. Brasília: Edições CNBB, 2022)

Juventude de coração ardente: o agora de Deus

Pe. José Kentenich dizia: “Juventude é força, juventude é fogo”. A juventude precisa de um ideal que a engrandeça, portanto, este 3º Ano Vocacional quer reavivar este fogo em nossa juventude católica.

Na exortação apostólica Christus vivit, o Papa Francisco faz um apelo comovente aos jovens ao dizer:

“Amigos, não espereis pelo dia de amanhã para colaborar na transformação do mundo com a vossa energia, audácia e criatividade. A vossa vida não é «entretanto»; vós sois o agora de Deus, que vos quer fecundos. Porque «é dando que se recebe», e a melhor maneira de preparar um bom futuro é viver bem o presente, com dedicação e generosidade”. [Christus vivit, nºs 95ss]

Discernimento e decisão

Este Ano Vocacional convida cada jovem a decidir-se no hoje deste tempo e dar sentido à primavera da sua vida, como fala o Papa Francisco, dirigindo-se aos jovens: “O discernimento é árduo, mas indispensável para viver. Requer que eu me conheça, que saiba o que é bom para mim aqui e agora. Exige sobretudo uma relação filial com Deus que nunca impõe a sua vontade, porque quer ser amado, não temido. E o amor só pode ser vivido na liberdade. Para aprender a viver é preciso aprender a amar, e por isso é necessário discernir.” [Papa Francisco, Audiência geral 31.08.22]

Seja este Ano Vocacional uma oportunidade para cada jovem dedicar seus esforços, seu tempo, sua capacidade de inovação para o bem, para discernir o plano de amor que Deus tem para o seu caminho de felicidade.

“Nunca renuncies aos teus sonhos, nunca enterres definitivamente uma vocação, nunca te dês por vencido. Continua sempre a procurar, ao menos, modalidades parciais ou imperfeitas de viver aquilo que, no teu discernimento, reconheces como uma verdadeira vocação.” [Christus vivit, nºs 272]

Maria, Rainha e Mãe das Vocações interceda por nossa juventude e pela Igreja no Brasil, a fim de que vejamos surgir uma nova cultura vocacional e um novo florescimento das diversas vocações!

Visite o site do Ano Vocacional 

Acompanhemos com nossas orações este 3º Ano Vocacional do Brasil:

Oração do Ano Vocacional

Senhor Jesus,

enviado do Pai e Ungido do Espírito Santo,

que fazeis os corações arderem e os

pés se colocarem a caminho,

ajudai-nos a discernir a graça do vosso

chamado e a urgência da missão.

Continuai a encantar famílias, crianças,

adolescentes, jovens e adultos,

para que sejam capazes de sonhar e se entregar,

com generosidade e vigor,

a serviço do Reino,

em vossa Igreja e no mundo.

Despertai as novas gerações para a

vocação aos Ministérios Leigos,

ao Matrimônio, à Vida Consagrada

e aos Ministérios Ordenados.

Maria, Mãe, Mestra e Discípula Missionária,

ensinai-nos a ouvir o Evangelho da Vocação

e a responder com alegria.

Amém.