Dá-nos do teu fogo, dá-nos do espírito de Fundador. 

No dia 4 de março aconteceu a abertura das atividades do ano da Campanha da Mãe Peregrina no vicariato leste da arquidiocese de Brasília/DF.

Este encontro foi direcionado aos missionários, para que neste Ano do Laicato e Ano do Padre Kentenich pudessem se sentir motivados a levar e vivenciar mais conscientemente a missão.

Iniciamos o encontro com a Santa Missa celebrada por padre Paulo José de Araújo – pároco da paróquia Nossa Senhora da Medalha Milagrosa do Riacho Fundo II. Fomos acolhidos carinhosamente pela comunidade, o padre recebeu das mãos dos coordenadores paroquias os seus padroeiros que foram colocados no altar junto com Nossa Senhora da Medalha Milagrosa.

Em sua homilia, referindo-se ao Evangelho do dia, quando Jesus expulsa os vendilhões do Templo de Jerusalém, Pe. Paulo nos ensinou como cuidar do templo de Deus de uma maneira muito clara e objetiva: não deixando os filhos riscar os bancos da igreja, não colocar os pés sujos na parede, mantendo o silêncio. Mas recordou que nós também somos templos vivos de Deus.

Na sequência da missa Padre Paulo continuou seus ensinamentos numa palestra sobre o Ano do Laicato. Levando todos à profundidade do documento n. 105 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e a importância de vivenciá-lo em nossa missão de evangelização das famílias.

Na parte da tarde fizemos uma reflexão sobre a 5° oficina do livro módulo II, com o tema ‘Redescobrindo a grandeza de ser missionários’.

Lavínia Guedes de Souza, missionária na Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Samambaia – Setor IX, diz que o Encontro foi lindo e muito rico. Também diz que como missionária, em sua caminhada sempre se lembrará dos ensinamentos transmitidos pelo Pe. Paulo e pela coordenadora geral, Silvânia. Segundo Lavínia, este encontro reacendeu o ardor pela missão, e a impulsionou a superar tudo por amor, a exemplo do Pe. Kentenich. Enfatiza a importância de pedir forças do alto, pedir à Mãe para passar à frente, “pois ninguém faz nada sozinho, pelas próprias forças, tudo é obra do Espírito Santo, através da intercessão de Nossa Senhora” afirma.

Depois de um dia cheio de graças fomos enviados em missão, cada missionário recebeu a luz e um pouco de sal para lembrar cada dia que somos “sal da terra e luz do mundo” e para fortalecer nossa atividade missionária neste ano tão importante para a Igreja e para o Movimento Apostólico de Schoenstatt.

Nossa gratidão à Mãe Peregrina que cuidou perfeitamente deste dia.

Unidos ao Pai e profeta, por nova terra Mariana. 

Por: Léo e Silvânia (Coordenadores do Vicariato Leste de Brasília/DF)

Para ver mais fotos, clique aqui.