Tríduo em preparação a Solenidade de Pentecostes

Neste segundo dia de preparação para a Solenidade de Pentecostes, o Pe. José Kentenich nos ensina sobre o Espírito Santo como o melhor educador.

Podemos dizer que muitas coisas nos pertencem. Pensemos em nossos pais, em nossos professores, e não sei em quem mais. Reflitamos quem, no decorrer de nossa vida, entrou em contato conosco e exerceu influência sobre nós. E, comparado com eles, podemos dizer: o Espírito Santo é o maior, o melhor educador dos filhos de Deus.

Não é verdade, que nós como pais, temos a inclinação natural de dar a melhor educação aos nossos filhos? E se pudéssemos escolher e tivéssemos dinheiro suficiente, se tivéssemos ocasião, é evidente que na medida que amamos nossos filhos, haveríamos de escolher os melhores, os maiores educadores. (…) E Jesus nos diz: o melhor educador que Ele pode imaginar para nós é o Espírito Santo; o melhor educador.

Ele deve ser o educador. Acabamos de ouvir: “O Espírito Santo deve levar a vós, filhos de Deus, à toda a verdade” (cf. Jo 16,13); levar não somente a inteligência, mas também o coração, a vontade – a toda a verdade! Sobretudo o que eu vos falei, Ele deverá impregnar o vosso ser, Ele, o grande educador dos filhos de Deus. Existe outro maior? Também não devemos ser gratos por vivermos num tempo em que o Espírito Santo pode e deve atuar como educador? (…)

O Espírito Santo deve levar-nos à toda verdade – sem dúvida esta é a proclamação de sua grande atividade educadora para os filhos de Deus no Novo Testamento. (…) Sim, Ele vai convencer o mundo de que Jesus é o Filho Unigénito de Deus, o Filho de Deus a quem devemos estar unidos, diante de quem devemos inclinar-nos com fé. Esta é sua tarefa. (…)

E este Espírito Santo entrou em nosso coração no batismo como o educador. Portanto, não foi algo como os israelitas que foram conduzidos através de uma coluna de fogo: durante o dia era a nuvem e à noite a coluna de fogo (cf. Ex 13, 21 s). Era uma condução a partir do exterior. Não, o Espírito Santo habita em nossos corações (cf. Rom 8,9), e em nosso coração Ele quer exercer sua grande atividade educativa, a transformação espiritual de nossa alma.

Caros ouvintes, daí se conclui como deveremos refletir com profundidade se deixarmos um espaço ao Espírito Santo para que Ele possa continuar e completar a sua tarefa educativa. Sim muitas vezes rezamos: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor!” Será que nós o fazemos com uma atitude adequada? Será que despertamos afetos e desejos para que o Espírito Santo assuma em suas mãos a nossa educação, educação de filhos de Deus em sua volta para o Pai? Deveríamos despertar sempre profundos anseios pelo Espírito Santo e por seus dons.

Em segundo lugar, deveríamos também nos esforçar mais por estarmos sozinhos, conosco mesmos e ouvir o que o Espírito Santo nos diz. Sim, porque há muito espírito mundano, há tantas vozes, formalmente uma confusão de vozes, que sempre se toma perceptível em nosso interior – e assim não podemos ouvir o Espírito Santo! E se nós não o ouvirmos, também não saberemos o que Ele quer e exige de nós.

Resumindo: se quisermos, no sentido do evangelho, preparar-nos para a festa de Pentecostes, deveremos aprender novamente a ouvir melhor o que o Espírito Santo diz em nosso interior. E não só ouvir, mas aprender a segui-lo!

Portanto, o Espírito Santo é o maior e o melhor educador. (…)

Eu disse em segundo lugar: Ele é também o Educador mais fecundo, o Educador que tem o maior sucesso.

Não precisaríamos nos convencer disso de modo especial, ao menos não precisamos ficar por muito tempo neste assunto. E algo evidente: “Para Deus nada é impossível” (Lc 1,37), Deus é todo-poderoso. Deus conhece nosso coração humano, conhece o fim para o qual fomos criados. Portanto, se há alguém que entenda como se exerce influência educativa sobre nós, esse alguém é o Espírito Santo, junto com o Pai e o Filho.

Mas, para apresentar esta verdade de modo mais compreensível, deveríamos ter ao menos uma aula prática. Gostaríamos que a obra-prima da atividade educativa do Espírito Santo, ou se preferirmos, da Santíssima Trindade, exercesse sua influência sobre nós. E nós conhecemos essa obra-prima. […]

Obra-prima da atividade educativa do Espírito Santo! Nós ouvimos: “O Espírito Santo virá sobre ti e te cobrirá com sua sombra. Por isso aquele que nascer de ti será chamado Filho de Deus” (Lc 1,35). Aí temos os três: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Ela está inteiramente sob o influxo da Santíssima Trindade.

Referência:

Pe. José Kentenich, em: Sermão para a Comunidade Alemã de São Miguel Milwaukee – EUA – 12 de maio de 1963.

Kentenich. José. Movido pelo Espírito Santo. Textos escolhidos sobre o Espírito Sant. Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt. São Paulo/SP, pág. 75 a 79