Angelita Pereira Campos de Lima/ Maria Auxiliadora Tarifa Coelho / Maria Roseli Frige Ruelli – Uma obra de tão grandes dimensões como o Movimento Apostólico de Schoenstatt tem seu ponto de unidade na Aliança de Amor com a Mãe Três Vezes Admirável, na vinculação ao Santuário de graças e na fidelidade aos ensinamentos do Fundador, Pe. José Kentenich.

Neste mês de maio no ano jubilar, mês de Maria, nos dedicamos à vivência mais consciente da eterna Aliança, inserida pelo Batismo e a troca de corações com a Mãe de Deus.

Damos continuidade à conquista dos símbolos do Santuário Jubilar Tabor da Permanente Presença do Pai e neste mês de maio, queremos refletir em quais símbolos em que encontramos a presença da Mãe de Deus no Santuário:

  1. A Imagem de graças,
  2. O Cetro,
  3. A Coroa e
  4. O quadro da Ave Maria, os quais estão presentes no Santuário Tabor da Permanente Presença do Pai.

Para entender um pouco do significado de cada elemento, primeiramente é necessário descrever um pouco sobre o Santuário de Atibaia.

A Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt escolheu a cidade de Atibaia, considerada manancial de águas salutares, no ano de 1972, para edificar seu 5º trono de graças, em terras brasileiras.

O Santuário foi inaugurado no dia 17 de setembro de 1972, por Dom José Lafayette, Bispo Diocesano de Bragança Paulista.

Quadro da Imagem de graças da Mãe e Rainha

Em 18 de outubro de 1914, quando o Movimento de Schoenstatt foi fundado, não havia imagem de Nossa Senhora, na capelinha. No centro, sobre o altar, estava a estátua de São Miguel, doada pelo Pe. Miguel Kolb.

Mas os jovens desejavam conseguir uma imagem de Maria para a Capelinha da Congregação. No entanto, era tempo de guerra e eles não tinham recursos financeiros. Alguns tentaram conseguir doações, mas nada surtiu efeito.

O Professor Huggle, um sacerdote diocesano da cidade de Coblença, que lecionava francês no seminário soube da intenção do Pe. Kentenich. O professor lhe contou que em uma loja de antiguidades em Freiburg, havia uma bela imagem de nossa Senhora com preço acessível. Pe. Kentenich pediu então que trouxesse assim ele o fez e presenteou à Congregação Mariana.

A imagem da Mãe com Filho, de estilo oriental e com o título “Refugium peccatorum” – Refúgio dos Pecadores, não agradou a muitos jovens, que preferiam uma imagem da Imaculada, de estilo germânico. Mas como não tinham muitos recursos e para não magoar o professor, acabaram aceitando a imagem. Os desígnios de Deus mostram sua importância à medida que Schoenstatt foi se tornando um Movimento internacional.

No dia 11 de abril de 1915, próximo ao 1º aniversário da Congregação Mariana, esta imagem foi entronizada acima do altar da Capelinha. Ela é obra do pintor italiano Luigi Crosio (1835-1915), que morava na Suíça.

Reconhecemos também a presença da Mãe de Deus no Santuário pelos símbolos que afirmam a sua realeza:

A coroa e o Cetro

O Cetro foi entronizado oficialmente no Santuário de Atibaia, no dia 15.09.2019, no contexto da celebração dos 50 anos da volta do Pe. Kentenich, ao lar eterno e dos 70 anos em que o Pe. Kentenich entregou à Mãe de Deus, no Santuário de Santa Maria, a coroa e o cetro.

No Santuário de Atibaia, a Mãe de Deus recebeu a Coroa no dia 15.08.1986, sendo proclamada Rainha da Permanente Presença do Pai.

A Coroa e o Cetro, insígnias reais, são sinais visíveis da realeza da querida Mãe de Deus. Ao reconhecer a realeza de Maria, nosso coração sente-se impulsionado a prestar-lhe homenagem e a dizer-lhe o quanto confiamos e esperamos nela.

No Santuário Original de Schoenstatt, em 1939 a Imagem da Mãe Três Vezes Admirável recebeu a coroa de madeira pintada de ouro, como sinal de que ela é a Rainha dos Apóstolos.

O quadro Ave-Maria

Qual é a história deste lindo adorno que encontramos no Santuário?

Em maio de 1915, Pe. Kentenich escreve para um congregado que estava fora:

“No pouco tempo em que estiveste fora, a nossa pequena capela tem mudado de aspecto. O São Miguel teve de ceder o lugar a uma linda imagem de Nossa Senhora com o Menino, um presente do Padre Huggle. Foi-lhe dado

[ao São Miguel] um pedestal do lado esquerdo do altar, onde reina como guardião do Santíssimo Sacramento. No arco principal do Santuário foi colocado um magnífico bordado que diz ‘Ave Maria’. O Irmão Franz fê-lo nos seus tempos livres durante um ano e meio. […] estamos muito contentes com a nossa capela e sentimo-nos em casa como nunca até agora. Deverias sentir-te igualmente em casa, pois recebes uma grande porcentagem dos objetivos do Capital de Graças que estamos reunindo aqui durante o mês de maio; mas tu tens também de contribuir com a tua parte neste capital. Tu compreendes…” (Heróis de Fogo, Pe. Jonathan Niehaus, p. 248)

O primeiro quadro AVE MARIA bordado por Ir. M. Lucinda Schüpper foi para o Santuário de Atibaia/SP e entronizado no dia 18 de novembro de 1985, por ocasião da celebração dos 100 anos de nascimento do nosso Fundador.

A Mãe de Deus atrai muitos corações ao Santuário, lugar de graças e glórias de Maria! Ela realiza prodígios de transformação nas almas de todas as pessoas que a visitam pelo atuar da Divina providência.

Referências:

Fonte História e Símbolos do Santuário- Ir. M. Áurea Dotto – Ir. M. Raquel Mainardi, p. 16.32.46.

https://schoenstatt.org.br/2021/01/30/como-e-feito-o-quadro-da-ave-maria/Santuário de Schoenstatt – Uma Fonte de Graças, p.33

Fonte (Coroar por quê? – Ir. M. Lúbia Bonfante, p. 64.69

https://descubraatibaia.tur.br/roteiros/religioso/santuariodeshoenstatt/)