Vamos à Apresentação do Senhor?

2 de fevereiro de 2016

Espiritualmente em Jerusalém.

capa2Para a festa da Apresentação do Senhor, Pe. Kentenich propõem que se lance um olhar ao passado, tente imaginar como acontece o rito de Apresentação do Menino Jesus. Espiritualmente nos coloquemos no templo, junto com a Sagrada Família, para melhor celebrar essa solenidade:

“O eco dos acontecimentos grandiosos em torno do nascimento de Jesus já se perdia, aos poucos, na vida cotidiana do povo de Israel. O recenseamento fora encerrado. Aos poucos, o povo voltava para suas aldeias. Entre os habitantes de Jerusalém vemos um simples casal de peregrinos a empreender o seu caminho ao templo.

A mulher carrega nos braços uma criança. O companheiro, uma gaiola de pombos. Aí estão no átrio do templo. Não precisam perguntar nada. Conhecem bem o lugar. Com passos seguros dirigem-se para onde devem ir. Trata-se da Mãe de Deus e de São José e o centro de interesse de ambos é o Filho nos braços de Maria. Entram no templo. Imediatamente um ancião ergue-se e vai alegremente ao seu encontro. É Simeão, aquele que uma vida inteira esperava o cumprimento de uma promessa: ver o Messias, o desejado das nações.

Hoje também nós nos transportamos nas asas do tempo para quase [mais] de dois mil anos atrás e colocamo-nos espiritualmente no átrio do templo.

O que vemos ao redor de nós? O que se passa no coração dos visitantes do templo? No coração de Simeão? De Ana, a profetisa? Dos anjos que contemplam a cena do alto? O que se passa no coração da criança, do Deus-Homem? No coração da Mãe de Deus?

Os homens, na sua maioria, mal percebem o que está acontecendo, nem se dão conta. Para eles trata-se de um casal simples e humilde, de uma criança como tantas outras. Ainda não possuem o olhar da fé.

Algo bem diferente passa-se entre a multidão dos anjos. Eles se assombram, estremecem, se extasiam e jubilam. Este menino nos braços de Maria, parada à entrada do templo, é maior e mais santo do que os tesouros que os israelitas guardam com sagrado respeito na Arca da Aliança.

Aqui fora está, verdadeiramente, o Deus de Israel, o Senhor dos senhores, o Santo dos santos, o Filho Unigênito de Deus”.

(Pe. José Kentenich, livro Vinde Adoremos, pág. 88, 2ª edição)