Uma tarde de recordações e gratidão no Congresso

16 de julho de 2016

Sua herança, nossa missão.

heleneKaren Bueno – Três ônibus levam os participantes do Congresso da Obra das Famílias de Schoenstatt da Casa de Retiros Monte Carmelo até o Santuário Tabor Esmagadora da Serpente, em Londrina/PR. Assim, logo no começo da tarde, uma programação especial traz lembranças e gratidão à todos os casais, assessores e participantes.

Reunidos em frente ao Santuário, acompanham um momento tocante e muito aguardado por todos: a urna com os restos mortais da Sra. Helene Kühr é colocada junto, lado a lado, com a urna que leva os restos mortuários de seu esposo, Sr. Fritz Kühr. É como se o Dr. Kühr esperasse ansioso pela esposa, dentro do Santuário. O momento comovente é de gratidão, por tê-los como exemplo, e de júbilo por essa ocasião histórica.

Em seguida, uma vivência recorda a trajetória do casal Kühr, que são os co-fundadores da Coluna Familiar de Schoenstatt. Paulina e Diógenes Lawand, do Instituto de Famílias, retomam os principais fatos da história do casal, incluindo os poemas da Sra. Helene e as cartas trocadas entre o Pai e Fundador, Pe. Kentenich, e o Dr. Kühr.

Aqueles que a conheceram

A vivência conta com a presença especial dos sobrinhos netos de Helene Kühr, os irmãos Margarida e Luiz Hellbrüggt, de São Paulo/SP, que compartilham suas memórias da infância. “A Dona Helene me marcou profundamente. Ela gostava muito das crianças. Meu pai dizia: ‘Nunca conheci uma pessoa tão completa, tão humana, tão espiritualizada’”, conta Margarida. Seu irmão, mais jovem, comenta: “Tenho poucas lembranças dela, pois era muito criança, mas sempre me recordo do sorriso da tia Helene”.

Pessoas que conheceram a Sra. Kühr e que vivenciaram o translado do Dr. Fritz ao Santuário, em 1974, também compartilham suas experiências. Ir. M. Fernanda Balan diz que Helene “chegou a compreender o alcance das nossas aspirações”. Ir. M. Fernanda também conta como foi a exumação do Sr. Kühr, um momento de bastante respeito e profundidade.

Nos passos do Pai

Londrina/PR recebeu o Pai e Fundador, Pe. José Kentenich, várias vezes e guarda uma rica herança de suas pegadas. Por isso, os participantes do Congresso têm a oportunidade de seguir “os passos do Pai”, conhecendo os lugares históricos por onde ele passou. Se destaca, para a Obra Familiar, a “sala do feliz encontro”, onde o Fundador reencontra pela primeira vez o Dr. Kühr depois de terem saído do campo de concentração de Dachau – ali eles conversaram por um longo momento.

Toda essa experiência da tarde prepara os corações para o grande momento do translado da Sra. Helene Kühr, que acontece em seguida, reunindo representantes de toda a Obra das Famílias e outros membros do Movimento Apostólico de Schoenstatt.