Uma Ermida para a Mãe e Rainha em Bebedouro/SP

26 de outubro de 2015

Conquista no dia da Aliança.

ermida bebedouroPe. Marcelo Cervi – No dia 18 de outubro de 2015 a Paróquia São João Batista, em Bebedouro/SP, presenteou a nossa Mãe e Rainha com uma Ermida, um lugarzinho especial de encontro com ela. O monumento tem uma ampla representação simbólica e é formado por uma mão que segura a Cruz e a imagem de Maria.
O significado da Ermida, além de ser um local de graças, é representar a íntima unidade do Filho e da Mãe na Obra da Redenção humana. Jesus é o único salvador da humanidade com o seu mistério pascal (Cruz e Ressurreição), simbolizado na cruz que a mão empunha. Contudo, associam-se homens e mulheres nesta sua tarefa e, entre todos os que foram chamados, está aquela que o Anjo Gabriel chamou de “cheia de graça e de bendita entre todas as mulheres”.

A Ermida celebra essa unidade e traduz o compromisso de apresentá-la, como modelo para todos os que aderem a Cristo: ser inseparáveis dele como Maria, na tarefa da salvação. A inspiração da Ermida veio da oração final da Via Sacra, que o Fundador de Schoenstatt escreveu em 1944, quando estava prisioneiro dos nazistas no Campo de Concentração de Dachau/Alemanha. Diz o texto: “Como sinal da Redenção, levarei aos povos a Cruz e a imagem de Maria, para que jamais seja separado o que o plano de amor do Pai concebeu como unidade!”.

Os arcos azuis pontiagudos que circundam o monumento principal, além de valorizá-lo, fazem referencia ao mistério de Deus, que vem do Céu, do Absoluto, e enfinca-se na Terra, ao redor do qual surgem diferentes tipos de vegetação e de flores como a dizer que, quando o divino toca o humano, há abundancia de vida e de sentido. Os arcos são dois, como a recordar os dois “momentos” desse movimento divino que fecunda a humanidade: o momento da Criação e o momento da Encarnação. Nessas duas “horas” cruciais, o divino descende ao humano e faz um apelo apaixonado por Aliança, livre e gratuita.

ermidaAs letras MTA (iniciais de “Mater Ter Admirabilis”, “Mãe Três Vezes Admirável”, em latim), gravadas no primeiro arco azul, lembram que no novo irromper do Divino, na Nova e Eterna Aliança trazida por Jesus, inscreve-se a “Aliança de Amor” com Maria, como forma de renovar a Aliança Batismal e garantir sua vivência pela consagração a Maria como Mãe e Educadora. Esta Aliança, selada pelo Pe. José Kentenich com Nossa Senhora no dia 18 de outubro de 1914, é assumida por todos os que a desejam, no Santuário de Schoenstatt.

A consagração-aliança com Maria, que nos fortalece na fidelidade à Nova e Eterna Aliança com Jesus e, Nele, ao Pai, se garante pelas contribuições ao Capital de Graças, ou seja, pela vivência cristã, assumida em orações e atos concretos, que são anotados e oferecidos a Nossa Mãe e Rainha no Santuário Lar Paroquial, no interior da Igreja Matriz, sendo queimados na pira colocada diante da Ermida, uma vez por mês, no dia 18, na celebração da renovação da Aliança de Amor.

Assim está o trono da nossa Mãe e Rainha, ao lado da Igreja Matriz da Paróquia São João Batista, na praça central da cidade. O projeto, idealizado pelo Pároco, Pe. Marcelo Cervi, levado à frente pelos diversos ramos do Movimento de Schoenstatt presentes na Paróquia e assumido por muitos paroquianos, é assinado pelo Arquiteto Maicon Rossi.

  • Regina Maria José

    Que linda e significativa Ermida de nossa Mãe e Rainha!!!!!!