Um dia para o Sr. Pozzobon se alegrar no céu

14 de setembro de 2015

Festa da Campanha da Mãe Peregrina.

tenda-campanha-romariaKaren Bueno – Um dia para o Sr. João Luiz Pozzobon se alegrar no céu: assim pode-se definir a celebração jubilar da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt (CMPS) no Santuário de Atibaia/SP. São flores, Terços e a imagem da Mãe e Rainha nas mãos, e nos rostos um sorriso contagiante de festa, às vezes substituído por um olhar profundo de confiança e entrega na MTA. É dia de celebrar, são 65 anos de graças em que a Mãe percorre casas, hospitais, presídios, comércios, sempre levando o Menino Jesus nos braços para apresentá-lo ao mundo.

Pessoas de todas as idades chegam logo cedo ao Santuário. Representantes de vários estados participam da programação jubilar desse domingo, 13 de setembro. Famílias, crianças, idosos, jovens, pessoas de todas as idades totalizam cerca de 2.100 peregrinos.

A manhã começa bem animada na entrada do Santuário. A equipe de canto acolhe as romarias enquanto todos esperam uma carreata vinda do centro e dos bairros de Atibaia/SP, trazendo a imagem Peregrina Auxiliar que foi presenteada ao Santuário Tabor da Permanente Presença do Pai pelo próprio Diácono Pozzobon. Logo uma mistura de palmas, buzinas e cantos toma conta do lugar e a Mãe Peregrina é saudada pelos que a esperam. “A Campanha é uma coisa boa demais, trabalha com muitas famílias, então celebrar esses 65 anos é uma honra para nós que aprendemos a ter mais fé com o Sr. João Pozzobon”, diz a Sra. Eleuza Siqueira, de Tupaciguara/MG.

Nos passos de um heroi

Com todos reunidos, o início da romaria acontece em frente ao Cruzeiro e à imagem de São Miguel Arcanjo. Ali é dada a largada para esse dia especial. Tradicionalmente no mês de setembro se realiza em Santa Maria/RS a Romaria da Primavera, uma atividade que o Diác. João Pozzobon iniciou para saudar a Mãe. Relembrando isso, também no Santuário de Atibaia é realizada a Romaria da Primavera, e todos seguem com flores nas mãos rumo ao Santuário.

No caminho há algumas paradas, com banners, que refletem sobre pontos importantes da história da CMPS – o envio da imagem original, seu encontro com o Papa, a criação das pequenas imagens peregrinas, etc. O primeiro ponto de parada da procissão é em frente à estátua do Pe. José Kentenich, onde pedem sua bênção e lhe agradecem pela fundação da Obra de Schoenstatt, por ter inspirado herois como João Luiz Pozzobon. Mais uns passos adiante e a concentração acontece em frente ao Santuário, reunindo todos diante da MTA.

Na praça do Santuário acontece uma apresentação de dança, indicando que Deus é o grande garimpeiro que descobre tesouros em meio à matéria bruta. Uma das pedras preciosas é Sr. Pozzobon, que se deixou moldar pela graça de Deus, conduzido pelas mãos de Maria.

“É uma bênção celebrar esse jubileu no Santuário que é a nossa casa”, ressaltam Marlene e José Rosa, de Piracicaba/SP. E como a grande missão da Mãe é apresentar o Filho, no Santuário acontece a adoração eucarística de Jesus, encerrando-se com a bênção do Santíssimo na Tenda dos Peregrinos na sequência.

Uma história atual

teatro

De forma singela e bem humorada, o grupo da CMPS Infanto-juvenil de Piracicaba/SP apresenta um teatro sobre o começo da Campanha e a coroação da Mãe Peregrina Original. Lisandra Esteves Duarte e Raphael Moreira Mariano vão conduzindo as cenas por meio de um diálogo simples, com uma linguagem bem popular. “É uma alegria e uma honra poder contar essa história”, diz o jovem. “Admiro a perseverança do Sr. João, porque não é fácil pegar a imagem e sair de casa em casa, de rua em rua. Ele foi muito corajoso e muito perseverante, imagino todas as críticas que ele ouviu por seu trabalho”, comenta Lisandra. O teatro encerra, num clima familiar e alegre, a parte da manhã.

Maria: Nossa Estrela da Nova Evangelização

Depois do almoço todos se reúnem na Tenda novamente. Nesse momento os missionários que não colocaram a estrela comemorativa do centenário de Schoenstatt nas imagens podem fazê-lo. A condução das atividades é feita por Ir. M. Doralice de Sousa e pelo Sr. Evangelista Pinheiro, que comentam 12 virtudes da Mãe de Deus, formando uma coroa de 12 estrelas durante a vivência. À cada virtude, uma pessoa leva um balão no formato de estrela que é solto ao vento.

O Sr. Inácio Benedito da Silva, de Tocos do Moji/MG, é um dos missionários que presenteia a estrela para a Mãe e Rainha nesse dia. Ele considera essencial o trabalho com as famílias: “A Campanha é muito importante, é algo que temos que valorizar; o Sr. Pozzobon proporcionou um trabalho muito especial para todos”.

Um grupo do Mato Grosso do Sul participa ativamente de toda programação. Em Três Lagoas/MS a celebração jubilar será no dia 18 de outubro, por isso eles aproveitaram esse final de semana para dar uma “escapadinha”: “Viemos comemorar os 65 anos da Campanha e agradecer à Mãe e Rainha por tantas graças recebidas nas visitas aos nossos lares todo mês”, contam Mariela Lui, Francisco Moreira e Maria Melo.

Rainha de muitos corações

mae-peregrina

A Santa Missa, presidida por Pe. Vanderlei Valentim da Silva, começa em tom de gratidão pelos 65 anos da CMPS. Os peregrinos se reúnem ao redor do altar durante todo o dia, e podem participar da Eucaristia bem próximos ao celebrante.

Na homilia, o padre questiona sobre as dores que atormentam a cada um. “Sofrer faz parte da vida, a luta nos fortalece. A sociedade quer que sejamos sempre os primeiros em tudo, e de fato é preciso se esforçar para ser sempre o melhor, porém é preciso ter a atitude de quem ficou por último, ser humilde”. E acrescenta: “Somente quem comunga abre o coração a Deus e ao próximo. É preciso ter uma resistência positiva, saber ouvir e silenciar. Isso é viver a dimensão da cruz e, por isso, se fortalecer”. Em vários momentos da homilia ele agradece aos missionários e Irmãs de Maria pelo empenho no trabalho com a Campanha da Mãe Peregrina.

No final da celebração há um momento muito esperado, a coroação da Mãe e Rainha. Como são duas imagens Auxiliares – uma do Secretariado da Campanha e outra do setor de Romarias –, Pe. Valentim coroa uma e um casal de coordenadores da CMPS coroa outra, enquanto todos os missionários coroam suas imagens e as famílias o tríptico que adquiriram. É um momento muito forte de amor e gratidão à MTA.

O Sr. Evangelista Pinheiro comenta: “É uma graça ser um missionário neste novo século de Schoenstatt, porque nossa missão de batizados é sermos de fato missionários, sermos profetas, sacerdotes e reis, levando o Cristo a quem está longe dele”.

A alegria contagiante do retorno a casa marca a celebração jubilar, pois, como diz Pe. Valentim, essa coroação é apenas o começo de muito trabalho que todos têm pela frente.

Mais fotos