Um dia de céu na festa da Ascensão

18 de maio de 2015

Uma multidão celebra no Santuário.

atibaia-eucaristiaKaren Bueno – É festa da ascensão do Senhor no Santuário Tabor da Permanente Presença do Pai, em Atibaia/SP, e dia de romaria neste domingo, 17 de maio. Cerca de 4.200 pessoas deixam suas cidades logo cedo para participar da peregrinação, a maioria vinda da Diocese de Jundiaí/SP, dos setores I e III – cidades de Salto/SP, Itu/SP, Louveira/SP e Jundiaí/SP.

Durante quase todo o dia a fila para visitar o Santuário é grande. Para Nidelci dos Santos e Alaíde Gonçalves, de Jundiaí/SP, “vale a pena esperar e receber as bênçãos da Mãe, também agradecer por tudo que ela nos dá, pois é daqui que partem as graças que recebemos todo mês com sua visita”.

O trabalho é intenso, por isso um grupo de 50 voluntários, aproximadamente, colabora na organização da romaria em várias atividades distintas – eles oferecem um dia intenso de trabalho para a Mãe e Rainha. Erica Almeida e Reginaldo Azevedo, do distrito de Campo Limpo em São Paulo/SP, se alegram em poder ajudar na romaria. “É um chamado de Deus, eu me sinto bem servindo pela Mãe”, diz ele, e Erica acrescenta: “A gente recebe tanto dela, é preciso agradecer”.

Dia de peregrinar

A romaria começa diante do Cruzeiro e de São Miguel. Ir. M. Márcia Carmo da Silva diz a todos que este não é apenas um dia de passeio, mas um dia de peregrinação. Nadir e Geraldo Martins, de Itu/SP, compreendem bem o que a Irmã comenta: “É muito bom vir aqui, sentimos uma paz, por isso peregrinamos anualmente; e é realmente uma peregrinação, viemos encontrar a Mãe, agradecer e pedir sua bênção e proteção”.

A romaria segue e todos param diante da imagem do Pe. José Kentenich, expressando a alegria e gratidão pela Aliança de Amor que ele selou com a Mãe de Deus – ali todos rezam a oração pedindo sua beatificação. O ponto alto da caminhada é o Santuário, lugar onde Maria espera ansiosa pelos filhos, acolhendo, transformando e enviando-os. Ali, no Santuário, a Mãe e Rainha cumpre seu papel principal na Obra da Redenção, ela apresenta Jesus a todos os peregrinos.

O Diác. Eldis Lucio Beltrão, de Salto/SP, conduz a adoração a Jesus Eucarístico, e o silêncio toma conta do ambiente ao redor do Santuário. De lá todos descem em procissão até a Tenda dos Peregrinos, onde acontece a bênção do Santíssimo.

A manhã encerra-se com a coroação da MTA. Uma coroa presa por fios desce sobre a fronte da Mãe e Rainha no grande quadro que há na Tenda, e com cantos os peregrinos saúdam a Mãe Admirável como Rainha de suas vidas.

Nós esperamos e retribuímos seu amor

Pelos gramados, após o almoço, muitos se sentam ou deitam para descansar. Entre esses corações há várias histórias de gratidão e pedidos para a MTA. Uma graça é esperada pela Sra. Clarisse de Souza, na esperança da Mãe ajudá-la a conquistar a casa própria, por isso pede com fé. Já Marileide de Melo, do distrito de Itaim Paulista em São Paulo/SP, tem muito a agradecer, pois a Mãe zelou pela vida de seu marido: “Eu vim no Santuário e comprei um adesivo com a imagem da Mãe e Rainha e colei no carro. Uns dias depois, meu marido foi assalto e dispararam três tiros contra o veículo. Um deles, que deveria acertar a cabeça dele, pegou na imagem da Mãe, e o adesivo segurou a bala, não deixou que ele morresse. Quando vi o carro com os tiros, na hora percebi que a Mãe e Rainha tinha cuidado dele”.

Essas histórias justificam o porquê das pessoas acordarem cedo, deixarem suas casas num domingo tranquilo de maio e se juntarem a uma multidão que busca o olhar da Mãe de Deus.

A terra é quase o céu

A Santa Missa coroa o dia de peregrinação. Pe. Alexandre Rogério Theodoro, da Paróquia São Francisco de Assis em Várzea Paulista/SP, preside a celebração eucarística, que inicia com a acolhida da Peregrina Auxiliar.

Na homilia, o sacerdote fala sobre a Ascensão do Senhor em paralelo com a festa de Pentecostes que acontece no próximo domingo. “Viver a missão que Jesus nos deixou é viver sua ascensão. O Senhor nos impulsiona a amar, agir, se relacionar como Jesus. Devemos nos perguntar: ‘Se Jesus estivesse aqui, qual sua atitude diante dessa situação?’. Só conseguiremos agir assim quando estivermos cheios do Espírito Santo. Nossa vida é um caminho de conversão, de batalha por viver aquilo que Jesus nos deixou, por isso precisamos implorar a presença do Espírito Santo em nossa vida todos os dias”.

No final da Missa os peregrinos coroam uma imagem da Mãe e Rainha que adquiriram, dando-lhe o título de Rainha e Senhora de suas vidas, e se consagram aos seus cuidados.

Pe. Alexandre expressa seu anseio para o regresso dos peregrinos da Diocese de Jundiaí/SP: “Espero que possam colocar em prática aquilo que aprendemos de Jesus, que foi manso e humilde de coração, e também de Nossa Senhora, que nos ensinou a fazer tudo que ele nos disser. Maria é para nós um exemplo de vida e de missão, então espero que ela nos ajude a fazer de nossos lares o mesmo lar santo que formou em Nazaré com a Sagrada Família”.