Terço dos Homens: uma só família em dia de peregrinação

22 de setembro de 2015

Santuário do Rio de Janeiro recebe a primeira romaria do THMR.

terço-dos-homens-rio-2Karen Bueno – Cerca de 1.000 pessoas – famílias, crianças, jovens – passam pelo Santuário do Rio de Janeiro/RJ nesse domingo, 20 de setembro, mas o dia é todo deles, dos homens. Pela primeira vez o Santuário Tabor Redenção da Família recebe a Romaria do Terço dos Homens Mãe Rainha (THMR), num dia de celebração e formação por essa caminhada que conquista sempre mais corações no Brasil.

Bem cedo chegam os primeiros grupos do Terço, vários caracterizados com camisetas de suas paróquias e comunidades. São representantes da capital fluminense, também de Niterói/RJ, São Gonçalo/RJ e Maricá/RJ, além de visitantes dos estados de São Paulo e Espírito Santo. Ao todo, cerca de 400 homens participam da programação completa da romaria.

Segundo o coordenador arquidiocesano do THMR no Rio de Janeiro/RJ, Zenon do Nascimento, a maior contribuição desse encontro é a divulgação do Terço dos Homens para a comunidade. “Para nós foi uma alegria e uma surpresa grande essa afluência de homens ao Santuário”.

Um grupo para a Igreja

A primeira atividade do dia é uma palestra com o assessor nacional do THMR, Pe. Vandemir Meister, com o tema “Maria, revelação de Deus na história”. Ele começa tirando dúvidas sobre o Terço dos Homens, explicando sua origem, desde a Idade Média, passando pelo período escravocrata no Brasil, até sua constituição atual. Os participantes fazem perguntas e Pe. Vandemir às esclarece.

O assessor também dá conselhos para a vida dos grupos do Terço: “Não se tornem um grupinho isolado, que se reúnem entre poucos; é preciso ‘mostrar a cara’, utilizar algo que os identifique, camisetas próprias, assumir trabalhos na paróquia, ser um grupo para a Igreja”. Ele diz ainda que no THMR todos são bem vindos e não se deve fazer distinção entre um e outro. Sobre o tema da palestra, o Padre de Schoenstatt afirma que “Deus escolhe pessoas para revelar seu plano de amor”, o que aconteceu com Nossa Senhora: “As pessoas que aparecem na Bíblia são importantes para a História da Salvação, não estão ali por acaso; e o nome, o papel de Maria aparece muitas vezes, pois ela é fundamental na história”.

Em seguida é celebrada a Santa Missa, presidida por Pe. Vandemir Meister. Toda a liturgia – leituras, cantos, ofertório, etc. – é preparada pelos homens. Na homilia, o sacerdote fala sobre a importância da pequenez e humildade. “Diante de Deus somos todos iguais, e vemos isso claramente nos grupos do Terço dos Homens; é bonito ver a variedade de pessoas que participam”. Segundo Pe. Vandemir, “não devemos nos considerar nem os maiores nem os menores, mas ser aqueles que se esforçam pela santidade no dia a dia, pois Deus quer os humildes”. E afirma ainda que nos humildes está a verdadeira sabedoria, a plenitude existencial, “e a sabedoria humana nós a encontramos na relação filial com Deus”.

Um grupo apostólico

Na parte da tarde os homens se reúnem novamente na Tenda dos Peregrinos para continuar a programação. Esse período é reservado para testemunhos e troca de experiências, e alguns senhores, voluntariamente, vão à frente e contam como o Terço dos Homens os ajudou em momentos difíceis. Um deles é o Sr. Juvenal Rodrigues de Lima, de São Gonçalo/RJ; após a perda da esposa, sendo cadeirante, sofreu muito com a depressão: “O Terço dos Homens entrou em minha vida como um remédio. Jesus enviou um anjo que me convidou para participar dele. O terço me ajudou a recuperar minha saúde, minha autoestima; hoje ainda tenho problemas, mas compreendi que todos eles estão na mão do Senhor. Gostaria que muitos homens participassem do Terço, porque é muito bom, não foi apenas a minha oração que ajudou a me recuperar, mas a oração de todo o grupo unido”.

Como ele, outros dão seu testemunho e revelam como a oração em conjunto foi essencial em suas vidas. O coordenador arquidiocesano de Niterói/RJ, Sergio Manoel da Silva, diz que em geral, os homens do Terço são aqueles que estão à frente nas paróquias, que ajudam nas pastorais e ministérios. “Muitos apenas iam às missas, alguns raramente, mas agora, com a oração do Terço, participam mais dos eventos, colaboram, estão se envolvendo e conhecendo mais a Igreja”, diz. Sergio afirma ainda: “Pela oração nós queremos ser transformados, o homem do Terço é um missionário. Rezar o Terço também é evangelizar, pois meditamos os mistérios da vida de Jesus”.

Robson Ribeiro de Queiroz, da Paróquia Santíssima Trindade, em São Gonçalo/RJ, conta que o THMR foi muito importante para inseri-lo ainda mais na comunidade. “O Terço dos Homens ajuda em nossa espiritualidade, o modo de ver as pessoas, passamos a ser mais caridosos, Maria está junto nos auxiliando. Eu não participava muito das atividades em minha paróquia, e hoje ajudo, colaboro nos eventos”.

Um grupo familiar

Um momento muito esperado e bem característico desse encontro é a oração do Terço, que acontece no final da tarde. A cada mistério, dez voluntários são convocados para rezar e as vozes masculinas ressoam uníssonas por toda a Tenda. É como uma família reunida para rezar.

O Sr. Valmir Gomes da Silva é o motorista que levou um dos grupos ao Santuário. Apesar de não fazer parte do THMR, ele acompanha a oração, com o Terço na mão, e se sente feliz de participar dessa romaria: “O encontro foi maravilhoso. O Terço é família e é muito bom estar com um grupo familiar como esse. Para mim foi gratificante ter vindo, quero vir mais vezes”.

A primeira romaria se encerra com a consagração à Mãe de Deus e a expectativa para o encontro do próximo ano, já marcado para setembro de 2016, onde novamente os homens se reunirão como uma só família. Sidnei Silva Souza, coordenador do grupo na Paróquia São Pedro do Mar, no bairro do Recreio, Rio de Janeiro/RJ, já se prepara: “Eu achei esse encontro muito bom e estou esperando a próxima romaria ansioso, vamos levar essa experiência para todos os homens que não puderam estar com a gente”.

Mais fotos