Tarde Mariana – Minha Família, Casa de Misericórdia

1 de dezembro de 2016

Secretariado da Mãe Peregrina(Atibaia) – Uma tarde dedicada à Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de  Schoenstatt foi a

img-20161101-wa0004

oportunidade de sentir nosso coração inflamado de amor. Aconteceu em 22/10/16. O evento iniciou com a recitação do Terço e seguiu com Palestra ministrada pelo Padre Flávio Gomes de Alcântara, após a palestra foi celebrada a Santa Missa e concluiu-se com a Adoração , Benção do Santíssimo Sacramento e dos símbolos conquistados após os encontros do livro: “Minha família, casa da misericórdia”.

Padre Flávio em sua palestra falou da maternidade e da Assunção de Maria, lembrando-nos que somos anjos mensageiros a levar Jesus e que para isso é imprescindível oração, eucaristia, reza do terço, para podermos nos transformar em  agentes da história, tendo Nossa Senhora como modelo, afinal todo Movimento Mariano tem que trazer transformação.

Na missa meditou conosco a passagem do Evangelho de João 2, 1-12, as Bodas de Caná.  Entre os convidados desta festa estavam a Mãe de Jesus, o próprio Jesus e seus discípulos.  Maria é a primeira introduzida em cena, é a primeira que toma a palavra: “Tu não tens mais vinho” e é a primeira que tem a iniciativa: “Fazei tudo o que Ele vos disser”.

Vemos neste pequeno texto que Maria é a Mãe atenta às necessidades de seus filhos, é aquela que ensina, que educa, que cuida, que roga a seu Filho por cada um de nós, filhos de Deus. No momento em que nos falta o vinho da alegria, da saúde, da paz, da esperança, é Maria que se faz presente dando-nos coragem, renovando nossa fé e esperança.

Jesus se dirige a ela chamando-a de “Mulher”, na Bíblia nenhum filho chamava sua mãe de mulher, somente o marido a chamava assim. Isto nos indica que Maria é o protótipo de sua esposa, a Igreja na qual Ele vai desposar um dia.

– “Enchei as talhas de água”, eram seis potes de pedra que eram usadas para a purificação dos judeus, encheram-nas e Jesus ordenou que levasse ao mestre-sala e assim fizeram.  O milagre aqui acontece não com a água dentro das talhas, mas sim fora demonstrando que Jesus não veio para remendar a situação, mas para mudá-la radicalmente, a abundância de vinho revela o amor extraordinário de Deus presente na vida e na ação de Jesus. Ele é o esposo da humanidade. E selará a nova aliança dando a vida por amor. E, dando a vida por amor encherá a sétima talha, e o sangue derramado do lado aberto do Cristo é a alegria plena dos filhos de Deus.

img-20161101-wa0001

Maria tem autoridade moral para nos ensinar a obediência e a docilidade, pois foi a criatura plenamente dócil à vontade do Pai quando declarou ao Anjo: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”.

Maria é quem nos ensina a assumirmos a missão com confiança plena de que o que o Pai prometeu será cumprido.

Maria é a missionária por excelência, que sai a caminho e vai ao encontro de sua prima para ajudá-la. Deu-nos o exemplo para que façamos ao nosso próximo o que Ela fez à Isabel.  Hoje, somos convocados a doar um pouco do nosso tempo àqueles que estão, por vezes esquecidos em suas próprias casas por suas famílias, e muitas vezes a única visita que recebem no mês é a da Mãe Rainha e da missionária que se dispõe a levar um pouco de ajuda e conforto a esses filhos de Deus.

Que Maria, nossa Mãe Rainha e Admirável nos conduza, nos eduque, nos ilumine a cada novo amanhecer para que façamos de nossos lares, nossas famílias, nossas comunidades verdadeiras “Casas da Misericórdia”.

Testemunho de uma família:

Irineide Viotto

Sua mãe recebia a Mãe Peregrina desde 2000, faleceu em 17 de janeiro de 2014 e ela continua e não falta em nenhuma missa nem evento da CMP.