Tabor em Páginas, 20 anos!

1 de março de 2016

Com a palavra, sua editora-chefe.

paulineKaren Bueno – Amor, empenho e consciência de missão são alguns itens da receita que dão vida à revista oficial do Movimento Apostólico de Schoenstatt no Brasil, a Tabor em Páginas. Com seus 20 anos de jornada, a “jovem senhora” é praticamente toda “feita em casa”, por voluntários do Movimento, que se esforçam para manter a qualidade e o bom conteúdo da revista.

Para chegar à mão do leitor e cumprir sua missão, a revista requer muita dedicação de toda a equipe e bem particularmente daquela que encabeça a Tabor em Páginas atualmente, Pauline Almeida. Há cerca de dois anos ela responde como editora-chefe da revista, então é comum encontrar várias matérias assinadas com esse nome.

Pauline é jornalista, morou nos últimos anos em Londrina/PR e atualmente assume um novo trabalho em Maringá/PR. A caminho do casamento, com trabalho em um portal de notícias, participação nas atividades locais do Movimento e várias outras coisas, ela equilibra o tempo entre a vida pessoal e profissional para levar adiante a Tabor em Páginas.

Para todos que têm curiosidade de saber como funciona uma revista, por quais etapas ela passa antes de chegar à mão do leitor e como funciona a parte editorial, aqui vão algumas ideias. Pauline compartilha um pouco do seu trabalho missionário e o percurso da revista oficial do Movimento até chegar às casas:

O que faz o editor-chefe em uma revista, especificamente na Tabor em Páginas?

Como editora-chefe, eu recebo todos os materiais da revista, tanto as fotos quanto os textos. A partir daí, o trabalho é dividido em duas etapas. A primeira é a correção do material (português e conteúdo) e o envio para revisão. A segunda fase é a montagem da revista. Todos os textos e fotos têm de caber em 40 páginas. Como editora-chefe, eu disponho os materiais e envio para a diagramação. Todo esse percurso é marcado pela aprovação dos assessores, por isso, a comunicação é constante, já que a revista é um veículo oficial do Movimento de Schoenstatt do Brasil.

Você é responsável por um veículo de informação oficial do Movimento Apostólico de Schoenstatt no Brasil, uma tarefa de grande responsabilidade e amplitude. Como você se sente frente a essa enorme missão?

Eu me sinto primeiramente feliz de poder me colocar à disposição da Família de Schoenstatt com uma coisa que eu amo fazer e é minha profissão: o jornalismo. Acredito que é um presente que Deus Pai me concedeu, mas também uma enorme responsabilidade. Por meio da revista, os schoenstattianos descobrem as correntes de vida, recebem reflexões de espiritualidade, assuntos de repercussão no mundo. É uma missão de edificar a Cultura da Aliança por meio da informação.

Seu trabalho na revista, como dos demais colaboradores, é voluntário. Assim sendo, como consegue conciliar um cargo de tamanha responsabilidade com seu trabalho remunerado? O que te leva a isso?

A correria é grande. Estou assumindo um trabalho novo, na coordenação de um portal de notícias. Apesar do cansaço, o que me leva a isso é o amor a Schoenstatt, ao projeto de Cristo. Pode parecer clichê, mas somente por amor ao Reino de Deus é que a gente aceita uma missão como essa. Eu quero contribuir com um mundo melhor. Quer coisa mais legal do que colocar o seu trabalho à disposição da comunidade, disseminando informação de qualidade?

A experiência com a revista contribui em sua vida pessoal e profissional? Como?

Com certeza. Na minha vida pessoal, acrescenta senso de responsabilidade, autoeducação para cumprir os prazos, uma entrega pessoal à Obra para fazer a revista chegar à casa dos leitores. Na vida profissional, dá a experiência da rotina de administrar a parte editorial de um veículo de comunicação. Por meio da Tabor em Páginas, vivencio desde o contato com os leitores e colaboradores até a análise da diagramação e escolha das capas. Me ajuda a ser uma melhor profissional e dá uma experiência a mais para o meu currículo, ainda mais por ser uma revista de circulação nacional.

Por quais etapas a Tabor em Páginas passa até chegar à mão dos leitores?

O processo começa com a chamada dos colaboradores para o envio de textos. Temos alguns colaboradores fixos e outros eventuais. Inclusive fica aqui o convite para que qualquer pessoa mande conteúdos para a Tabor em Páginas. Quando os textos chegam, eu faço uma correção e envio para a revisão. Depois, os materiais vão para análise de conteúdo dos assessores. Com a aprovação da Central de Assessores, chega a hora de dispor textos e imagens nas páginas e encaminhar à diagramação. Com as páginas já montadas, os assessores fazem uma nova análise, desta vez do layout. Paralelamente a isso, temos a montagem e escolha da capa. Com tudo pronto, a revista é enviada à gráfica, etiquetada e postada nos Correios.

Como e por que as pessoas podem contribuir com a Tabor em Páginas?

As pessoas devem contribuir com a revista porque a Tabor em Páginas é do Movimento de Schoenstatt. É feita por e para a Família de Schoenstatt. Por isso, queremos ter todos os schoenstattianos presentes nas nossas páginas e contribuindo para enriquecer o material. Como fazer isso? Entrando em contato conosco pelo e-mail taborempaginas@yahoo.com.br

Quer saber mais? Acesse taborempaginas.com.br

Em breve novas entrevistas com a equipe da revista, não perca!