Tabor da Esperança: 24 horas para o Senhor

12 de março de 2016

Um dia inteiro de oração na capital do Brasil.

24 horas para o senhorZelma Reis/Karen Bueno – A rotina do Santuário Tabor da Esperança, em Brasília/DF, muda completamente nos dias 5 e 6 de março de 2016. Respondendo ao pedido do Papa, a Família de Schoenstatt dedica suas “24 horas para o Senhor” e em unidade a toda Igreja se coloca diante de Jesus eucarístico numa jornada de oração e preces, celebrando a infinita misericórdia do Pai.

Todas as equipes de trabalho – formadas por voluntários – são convidadas a acolher os peregrinos que chegam para adoração ao Santíssimo. Cerca de 2.000 pessoas passam pelo Santuário nessas 24 horas de vigília.

A jornada começa com a Via Sacra, depois a Santa Missa e a adoração ao Santíssimo. A partir das 18 horas segue a vigília e a cada hora uma equipe assume a condução da adoração eucarística. Várias pessoas participam conforme sua disponibilidade. “Participei da vigília na madrugada. Que momento de graça e louvor a Deus e à Mãe e Rainha. Fé renovada e a certeza da misericórdia de Deus em minha vida”, escreve Ana Lúcia Nascimento.

Durante o dia os padres atendem confissão, respondendo ao pedido do Papa, para que todos possam se encontrar com a ternura de Deus Pai. A participação dos peregrinos surpreende a organização, principalmente durante a madrugada.

Arlete Roccio testemunha: “Primeiro foi a expectativa de como seria estar naquele local tão mágico àquela hora. Depois o prazer de, mesmo com muito sono, acordar e, juntamente com minha família, sair de casa para estar com o Senhor na casa da Mãe. Ao final, quase amanhecendo, meu marido tocava e cantava uma bela música, que falava: ‘quando a vagar, nas matas e florestas, o passaredo alegre ouço a cantar’. Nesse exato momento os pássaros, que pernoitavam nas árvores próximas ao Santuário, despertaram e fizeram coral completando o refrão: “Então minha alma canta a ti Senhor, quão grande és Tu. Foi uma experiência linda e única! Espero poder repetir”.

Muitos pedem que essa jornada de oração seja repetida durante o ano. “Participar desse momento tão especial das 24 para o Senhor é espiritualmente muito profundo. Com a graça da Mãe, juntamente com nossa família e amigos, pudemos experimentar esse momento tão sublime que a Santa Igreja nos oferece. Estar em adoração não somente fortalece nossa fé, como também restaura nossa missão junto à Igreja. É Schoenstatt em saída, é nossa missão”, dizem Fernando e Vivian Fregonesi, da União de Famílias.

Durante o dia, no domingo, há a oração da novena “Salve Rainha, Mãe de Misericórdia” de hora em hora e também a bênção do Santíssimo. “Eu adorei as 24 horas dedicadas ao Senhor, são momentos em que sinto uma paz muito grande. Queria ficar lá sentadinha só orando e cantando, foi muito bom poder participar”, comenta Vera Machado, da Liga das Mães.

A Santa Missa, às 16 horas, é o ponto alto da grande festa da misericórdia e encerra a jornada diante de Jesus. “Foi uma experiência maravilhosa. Adorar o Senhor, estarmos todos unidos em oração é simplesmente sentir Deus e seu amor misericordioso para cada um. Foi emocionante”, afirma Claudia Vasconcelos, da Liga das Mães.