Schoenstatt Brasil: Conheça o lema do ano de 2015

1 de janeiro de 2015

Contigo Pai, família em Aliança: santidade e missão!

ChamaA Família de Schoenstatt do Brasil já tem um lema que guia seus trabalhos neste próximo ano pós-jubileu.

Pe. Alexandre Awi Mello, diretor nacional do Movimento Apostólico de Schoenstatt no Brasil, escreve em nome da Central Nacional de Assessores:

Estamos no tempo pós-jubileu e iniciamos uma nova etapa em nossa Família de Schoenstatt, imbuídos do fogo da missão que inflamou nossos corações com renovado ardor a partir das celebrações jubilares em Schoenstatt, Roma e nos Santuários e diversas Dioceses de nosso Brasil Tabor. O fogo da missão deve continuar aceso para os próximos cem anos e se estender para amplos círculos. Queremos atender ao pedido do Santo Padre à nossa Família de Schoenstatt e levar a sério, concretizando suas orientações, na vida prática.

Após recolhermos a vida, inspirações e correntes que perpassaram os Congressos Jubilares no mês de novembro, refletimos como Núcleo da Central Nacional de Assessores qual seria o lema que uniria e sintetizaria não só as ideias, mas muito mais, a vida que brotou em nossos Regionais. Qual não foi a nossa surpresa ao constatar palavras-chave idênticas ou semelhantes, que são sinal da unidade de ideias e da vida que surgiu. Sendo assim, o Espírito Santo nos inspirou o lema:

Contigo Pai, família em Aliança: santidade e missão!

Para uma melhor compreensão do mesmo, passo a descrever alguns elementos que nos levaram a formular cada parte do lema:

Contigo Pai: vínculo ao Pai e Fundador; desejo de intensificar a “corrente do Pai”; empenho por sua canonização com nossa vida de santidade (“canonizai-o vós mesmos”); resgate do homem e pai de família.

Família: Sínodo da Família (2014/2015); “salvai a família custe o que custar”; Encontro Mundial do Papa com as Famílias em 2015; nossas especialidades: trabalho com a família e a juventude.

Em Aliança: nossa forma de buscar a santidade, de trabalhar pela família e pela missão, é por meio da cultura da Aliança, dos vínculos fortes, autênticos e profundos; o Jubileu mostrou a beleza do nosso trabalho em unidade dentro da Família de Schoenstatt; nossas comunidades devem trabalhar “em Aliança” (federatividade), “em unidade em torno ao Pai”; ter projetos e objetivos comuns; somos fortes e temos grande potencial, mas para isso devemos trabalhar juntos.

Santidade: tema que apareceu com força durante o Centenário (Papa, Bispo de Treves, Pe. Walter); a santidade dos heróis na origem nos inspira a sermos os santos do novo século de Schoenstatt.

Missão: a “corrente missionária”; a forte consciência de missão que temos cultivado nos últimos anos; o convite do Papa a “sair”, a ser um movimento “descentrado”, voltado para fora!

Com esse lema cremos que todas as correntes e ideias fortes se uniram, nos impulsionando a um novo tempo, promissor e repleto de possibilidades! O Santo Padre, o Papa Francisco nos pediu justamente a santidade, uma vida de santidade para a renovação da Igreja! Para nosso Pai a busca da santidade e o espírito missionário sempre estiveram estreitamente unidos. Tanto que as cadernetas antigas de Horário Espiritual traziam a frase: “Eu me santifico por eles.” (Jo 17,19). Nossa santidade está a serviço da missão e só tem sentido se for para a missão. Não nos santificamos para nós próprios, mas para cumprirmos melhor nossa missão e sermos um sinal de luz nos novos tempos, como caminho a outros. Cada pequena obra de nosso dia tem e deve ter cunho apostólico. Isso nós o realizamos como família, unidos com nosso Pai, por meio da sua e da nossa Cultura da Aliança. Por isso: “Contigo Pai, família em Aliança: santidade e missão!”.

Sugiro que neste próximo ano nos aprofundemos nas ricas homilias das celebrações jubilares em Schoenstatt e Roma e também nas palavras do Santo Padre à nossa Família durante a audiência. É um rico material de estudo para 2015 e dele devemos tirar consequências para nossa vida prática, tanto pessoal quanto para a vida dos nossos Ramos e Famílias diocesanas (ou locais).

Como estímulo para percebermos a profundidade do novo lema valha-nos uma bela reflexão feita por São João Paulo II na sua encíclica Redemptoris Missio (n. 90):

“O chamamento à missão deriva por sua natureza da vocação à santidade. Todo o missionário só o é autenticamente, se se empenhar no caminho da santidade: “a santidade deve-se considerar um pressuposto fundamental e uma condição totalmente insubstituível para se realizar a missão de salvação da Igreja”. A universal vocação à santidade está estritamente ligada à universal vocação à missão: todo fiel é chamado à santidade e à missão. Este foi o voto ardente do Concílio ao desejar, “com a luz de Cristo refletida no rosto da Igreja, iluminar todos os homens, anunciando o Evangelho a toda a criatura”. A espiritualidade missionária da Igreja é um caminho orientado para a santidade”.

Unidos na Aliança e conscientes de nossa Missão, recebam uma cordial saudação a partir do Santuário da Unidade dos Corações no Coração do Pai, o Sião do Jaraguá, desejando a todos um abençoado Advento e um ano de 2015 repleto de bênçãos!

Pe. Alexandre Awi Mello, ISch
Diretor da Central Nacional do Movimento de Schoenstatt

Baixe a carta do Pe. Alexandre Awi Mello