Santuário Tabor Magnificat comemora Jubileu de Pérola

25 de maio de 2015

Gratidão e louvor na capital paranaense.

curitibaIr. Ignês Maria Rubin – A festa dos 30 anos do Santuário de Curitiba/PR, que acontece no dia 17 de maio, é preparada espiritualmente por toda a Família de Schoenstatt e por vários peregrinos. Por esse jubileu especial, no primeiro ano do novo século, é tempo de entoar o Magnificat pelas graças que a MTA derramou e derrama sobre a capital paranaense e região.

Dois tríduos marcam a preparação, um que acontece semanalmente e o outro realizado três dias antes da festa. Em ambos, após o ato penitencial das Missas, é lido um trecho da história do Santuário, dividida em três décadas e cantado ou rezado o Magnificat. Ao lado do altar do Santuário há um recipiente com bilhetes contendo propósitos e estímulos a serem cumpridos. Os romeiros e visitantes, após lerem uma breve explicação, podem tirar um propósito e assinar o nome no chamado “Livro de Pérola” – essas assinaturas são incluídas nas intenções das Missas solenes no dia da festa.

Alegra-te

Os primeiro peregrinos começam a chegar às 9 horas no dia 17, e todos são cordialmente acolhidos por membros do Movimento e conduzidos ao Santuário. Durante o dia são celebradas duas Missas solenes em ação de graças, de manhã e a tarde, e há também a recitação do terço meditado, no Santuário, preparado e conduzido pela Juventude e a bênção do Santíssimo Sacramento.

Nos intervalos da programação, casais e filhos da União de Famílias acolhem os peregrinos nos jardins, explicando-lhes sobre a história de Schoenstatt e do Santuário e convidando-os a participarem dos ramos e comunidades ou dos Círculos de Aliança. A conhecida frase “Aqui é bom estar!”, resume perfeitamente os comentários das pessoas acolhidas.

Duas tendas completam a estrutura do local. Em uma delas passam vídeos sobre Schoenstatt e o Santuário. Na outra, chamada de “Tenda do Pai”, instalada junto à estátua do Pe. José Kentenich, divulga-se a vida do Pai e Fundador por meio de vídeos, fotos e palavras em mensagens distribuídas. Os visitantes ganham balas de presente, lembrando o costume, tão conhecido, do Pe. Kentenich ao receber as pessoas.

Entoamos o Magnificat com Maria

As duas Missas são celebradas no Auditório e Capela, ainda em construção, da futura Casa de Retiros. Pe. Marcelo de Souza, capelão do Santuário, preside a Eucaristia, com a participação de 450 fiéis, aproximadamente, em cada uma delas.

Antes do Hino de Louvor, há a entrada de objetos referentes à história jubilar, conduzidos por pessoas que vivenciaram o início da construção do Santuário de Curitiba e uma concha com uma pérola, simbolizando os 30 anos de sua fundação.

Na homilia, Pe. Marcelo faz um retrospecto histórico, enfatizando a missão do Santuário como Tabor Magnificat. Conclui sua reflexão com as palavras do Pai e Fundador: “Nós agradecemos ao bom Deus por todo o bem que Ele nos concedeu. Estamos numa situação, como se a querida Mãe de Deus rezasse hoje, por nós, o Magnificat. Cada alma queira colocar nele, o que vivenciou e experimentou anteriormente em sentimentos e pensamentos neste lugar. Cada um de nós tem realmente motivos abundantes para deixar a Mãe de Deus rezar o Magnificat por nós. E assim, no final, queremos unir-nos mais uma vez. Um só grande e humilde Magnificat queremos fazer ressoar de nossos lábios. Assim, une-se nosso cantar terreno ao soar e cantar eterno, até que nos tornemos um vivo Magnificat, que na eternidade exalta a Mãe de Deus, exalta e glorifica o Deus Trino de eternidade à eternidade”. (Pe. José Kentenich – “Magnificat” pág. 47)

Durante as preces dos fiéis são levadas à frente grandes letras que, unidas umas às outras, formam a palavra tão bela e cara a todos: MAGNIFICAT. Na procissão do ofertório são levadas placas com os nomes dos ramos e comunidades de Schoenstatt, o Livro de Pérola e o Pão e o Vinho.

Dia de pérolas

No final da Santa Missa os peregrinos seguem em romaria ao Santuário. Trinta pessoas levam rosas vermelhas que são ofertadas à Mãe de Deus no altar e, após a bênção, o povo dá um grande abraço no aniversariante, formando um círculo ao redor do Santuário para, então, todos se consagrarem à Mãe de Deus cantando.

Bolo e “Parabéns”, somados ao repicar do sino do Santuário e uma chuva de fogos de artifício concluem a tarde. As lembranças da festa são pequenos cartões com a imagem da MTA e, colada neles, uma conchinha do mar com uma pérola, com a inscrição: “Teu coração, porta do céu, permanece para nós o refugio seguro”, frase do Pe. José Kentenich. Esta é a mensagem que a Família de Schoenstatt quer transmitir a todos que ali chegarem.

A festa se encerra com ares de gratidão, um verdadeiro Magnificat por tudo de belo que este dia de pérolas proporcionou para os filhos de Schoenstatt de Curitiba/PR.

  • M. Regina

    Parabéns Curitiba por estas bodas de Pérola