“Que a pureza esplandeça em nosso viver”

5 de setembro de 2015

Começa o Encontro Nacional da Juventude Feminina de Schoenstatt

capaIr. M. Nilza P. da Silva – A noite de 4 para 5 de setembro é de muito barulho em torno do Santuário Tabor da Esmagadora da Serpente, em Londrina/PR. Muitas vezes, o pátio está repleto de rostos cansados e olhos brilhantes de alegria, é a Jufem de toda a parte do Brasil que vem chegando para o seu Encontro Nacional. Famílias hospedeiras não se intimidam e aqui estão fielmente para busca suas “filhas adotivas”, que acolhem nesses dias de formação.

Uma nova visão da vida

Midileide da Silva, Maria Aline da Silva Santos e Natália Falcão vieram de Lajedo/Pe e estão ansiosas pelo que lhes espera nesses dias. É a primeira vez que Natália vê tantas meninas da Jufem reunida e está impressionada. Maria Aline já participou também do Encontro Cor Unum e sabe que essas vivências fortalecem para viver o ideal. Para ela, a maior contribuição que guarda do Cor Unum é a certeza de que a Jufem é muito forte: “O encontro fortaleceu a minha segurança na aspiração e que a Jufem é uma coisa segura, me deu certeza: realmente eu quero ser Jufem”. Para ela, participar da Jufem faz toda a diferença: “A Jufem trouxe para mim uma visão nova da vida. Simplesmente, faz parte de minha vida ser Jufem.”

Com parte viva da Igreja

Depois de muita festa, no pátio do Santuário e momentos pessoais de saudação para a MTA, dia 5 de setembro, às 9h30min, chega o momento tão esperado: é declarado oficialmente aberto o Encontro Nacional. Ir. M. Shaiane Machado, Assessora da Jufem, em Londrina, e responsável pela infra-estrutura desse evento, dá as boas vindas: “Estamos presentes em 501 jovens, vindas de 7 estados do Brasil e de 44 cidades”, comunica. Em seguida, a Jufem vivencia o que significa ser Igreja unida: por meio de um vídeo, membros de vários Movimentos e Organizações eclesiais dão a sua mensagem, desejando um abençoado encontro e asseguram que acompanham esses dias com suas orações. Entre eles, estão o Emaús, Shalon e até mesmo Dom Irineu Roman, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém do Pará saúda as jovens e lhes envia a sua bênção. “Somos um Movimento inserido na Igreja e em comunhão com todos os outros Movimentos,” completa Ir. M. Shaiane.

Capa1Um presente para a Jufem

Emociona o lançamento do Hino Nacional da Jufem, letra e composição de  Denise Maimoni Lima, Poços de Caldas/MG, que visivelmente feliz acompanha a banda, sobre o palco. “O Hino é um presente a todas as minhas irmãs na Aliança de Amor. Espero que todas se encontrem nele e que ele revigore nosso amor pelo Ideal e por Schoenstatt!” diz a compositora. A frase do refrão, no titulo dessa matéria, resume a mensagem da autora do hino, que será lembrada para sempre pela sua contribuição para o seu Ramo da Juventude.

Viver a pureza como uma profecia

A manhã finaliza com uma conferência de Ir. M. Diná Batista, atualizando a palestra do Fundado da Obra de Schoenstatt, Pe. José Kentenich, para a Jufem: “Eu saúdo os lírios!”. A Irmã não economiza palavras e sem receio toca em situações reais, da vida diária, no qual Deus precisa da colaboração de suas filhas lírios, para que o Reino da Pureza cresça e floresça em todos os ambientes. “Queremos levar as graças desse encontro para todos os cantos de nosso país, para todas as pessoas com quem nos encontramos…” Ela contextualiza a vida de pureza nas várias realidades atuais, acentua a necessidade do desenvolvimento do amor, consciência de ser aceita e amada por Maria e pelas pessoas, passa pelas escolhas pessoas no uso das mídias, na aplicação do ideal nas escolhas pessoais, fortalecimento do sentimento de pudor, com liberdade e alegria e da disposição para o sacrifício: “O resgate da pureza passa pela renúncia e continência… Uma jovem pura e singela é forte no sacrifício e sabe canalizar a força de suas paixões.”

Enfatiza que a pureza não se trata apenas de um estado físico, mas, também de escolhas e de cultivo do que se passa na cabeça e no coração. “O Pai e Fundador não quer filhas perfeitas, mas filhas sinceras… A MTA conhece o nosso coração e sabe da saudade que temos de um coração que nos abrigue assim como somos… Conservando a pureza, realizamos uma profecia, o sonho silencioso que há em cada coração humano, e mostramos ao mundo o nosso gênero feminino, a mulher autêntica… Não deixemos que ninguém nos roube essa coroa!” conclui Ir. M. Diná, que é aplaudida com vibração pelo meio milhar de jovens.

Na parte da tarde, as jovens seguem os passos do Fundador, que esteve várias vezes em Londrina, e mergulham na riqueza de suas mensagens e na história fundacional da Família de Schoenstatt no Brasil.

Veja mais fotos