Pentecostes, festa da transformação: 7º dia

12 de maio de 2016

espirito-santoPe. Kentenich convida a contemplar a imensa transformação que ocorre nos apóstolos depois de Pentecostes:

“Depois da vinda do Espírito Santo, como atuou a graça da transformação? Foi uma transformação total, completa. A luz da fé iluminou os apóstolos. Que coragem eles demonstraram! Antes eles vacilaram e tremeram, mas agora estavam dispostos a morrer por Jesus. Quando eram maltratados, ficavam felizes por tornarem-se semelhantes ao seu Senhor. Alegres saiam dos tribunais. Com que ardor no coração, por exemplo, liam ou ouviam o que os apóstolos tinham escrito em suas cartas. Realmente, eram tochas ardendo por Cristo” (Alocução às Senhoras de Schoenstatt, Santuário de Liebfrauenhoehe/Alemanha, Domingo de Pentecostes, 29 de maio de 1966)

O Papa Francisco fala em sua catequese (22 de maio de 2013): “O Espírito Santo, ao descer sobre os apóstolos, os fez sair da sala em que estavam fechados por medo, os fez sair de si e os transformou em anunciadores e testemunhas das ‘grandes obras de Deus’ (v. 11). […] A linguagem do Espírito, a linguagem do Evangelho é a linguagem da comunhão, que convida a superar bloqueios e indiferenças, divisões e conflitos. Todos nós devemos nos perguntar: como me deixo ser guiado pelo Espírito Santo a fim de que a minha vida e meu testemunho de fé sejam de unidade e comunhão? Levo a mensagem de reconciliação e de amor, que é o Evangelho, nos lugares onde moro? […] Levar o Evangelho é proclamar e vivermos, nós em primeiro lugar, a reconciliação, o perdão, a paz, a unidade e o amor que o Espírito Santo nos dá”.