Pe. Marcelo, um Missionário da Misericórdia

17 de novembro de 2015

Uma referência de encontro com o Pai presente no Santuário.

capaKaren Bueno – O capelão do Santuário de Curitiba/PR, Pe. Marcelo de Souza, foi nomeado Missionário da Misericórdia para o Ano Santo que inicia em dezembro. Ele será uma referência de encontro com o amor misericordioso de Deus durante o Ano Jubilar, especialmente por meio do sacramento da Reconciliação.

Segundo o site do Vaticano, “os Missionários serão enviados para animar as missões populares ou as iniciativas específicas relacionadas com o Jubileu, com especial referência ao sacramento da Reconciliação. O Santo Padre, com efeito, dar-lhes-á a faculdade para perdoar também os pecados reservada à Sé Apostólica”.

Uma dádiva para esse Ano Santo é também a elevação da porta do Santuário de Curitiba à Porta Santa do Ano da Misericórdia, assim, esse Centro de Schoenstatt torna-se um local específico de irradiação da misericórdia do Pai e de encontro com um missionário designado para transmitir tal graça.

Pe. Marcelo recebe com alegria a carta (clique para visualizar) assinada por Dom Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para Promoção da Nova Evangelização, e explica mais sobre sua nomeação, sobre a missão para a qual foi designado:

O que significa ser um missionário da misericórdia?

Segundo o Papa Francisco, o Missionário da Misericórdia “será um sinal vivo de como o Pai acolhe todos aqueles que andam a procura do seu perdão”. O missionário da misericórdia não agirá somente com palavras, mas principalmente com gestos, como Jesus. Ele mesmo, como Jesus, será um espaço de encontro, para que a misericórdia chegando ao coração daqueles que buscarem, possam ter a certeza do amor de Deus e assim passem a viver em plenitude e profundidade esse amor em suas vidas. Quanto às tarefas, vamos ser orientados pessoalmente pelo Papa Francisco no dia 9 de fevereiro de 2016 em Roma. Mas já estamos pensando em algumas atividades que iremos realizar no Santuário ao longo de todo o Ano Santo da Misericórdia.

Como o senhor conseguiu essa nomeação?

O Papa Francisco fez uma convocação para que padres e bispos se colocassem a disposição para serem Missionários da Misericórdia. Fiz minha inscrição junto ao Pontifício Conselho para Promoção da Nova Evangelização no mês de julho e recebi a resposta em outubro, sendo acolhido o meu pedido e assim sendo designado para Missionário da Misericórdia, no Ano Santo.

No texto diz que “tornar-se missionário é um serviço a realizar com total disponibilidade durante todo o ano jubilar”. Assim sendo, como conciliar o trabalho missionário com a tarefa de capelão? O Santuário de Curitiba também será “um ponto de encontro” com um missionário da misericórdia?

A minha tarefa, como capelão, será enriquecida por esse serviço, pois o Santuário é um lugar de encontro com a Misericórdia de Deus por meio do sacramento da Reconciliação e da Eucaristia. Todos são conduzidos pela Mãe da Misericórdia. Ela nos toma pela mão e nos leva até seu Filho Jesus. Em nosso Santuário teremos a “Porta da Misericórdia”, todos os peregrinos que aqui vierem poderão receber as indulgências do Ano Santo.

O senhor estará a serviço de quem nesse período (da Arquidiocese, do Santuário, de outros lugares, etc.)?

Fiz minha inscrição pensando no Santuário onde exerço meu ministério sacerdotal. No Santuário de Curitiba, Tabor Magnificat, é grande a procura pelo sacramento da Reconciliação e pela experiência que vivencio nele, me motivei a ser Missionário da Misericórdia. Nosso Santuário recebe muitos peregrinos diariamente e muitos destes procuram a confissão. Mas se por acaso for solicitado atendimento na Arquidiocese de Curitiba, me colocarei a disposição. Nosso Santuário é lugar de graças e se é possível que essas graças jorrem para além dos muros do Santuário, por que não? Como Maria, sempre direi meu “sim” à vontade de Deus que também se manifesta na vontade da Igreja.

Qual sua expectativa para o encontro com o Papa?

Resumindo em uma única palavra, alegria. Estar junto do Papa é estar junto de Pedro, é estar vivenciando por meio de uma pessoa toda essa linda história da Igreja Católica. Será um momento de renovação e fortalecimento da fé.

Em setembro o senhor viaja para Schoenstatt, qual a relação com essa nomeação?

A vontade de ir a Schoenstatt me acompanha desde quando comecei a participar do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Surgiu essa oportunidade neste Ano Santo. Por isso, além de peregrinar pelos Santuários da Mãe e Rainha na Alemanha, Suíça e Itália, vamos também peregrinar até a Porta Santa em Roma que, com certeza, será um momento de grande riqueza espiritual para todos que estiverem conosco. Por isso, nossa peregrinação tem como tema a Misericórdia, é por meio dessa Misericórdia que podemos alcançar tantos benefícios de Deus. Aproveito para convidar a Família de Schoenstatt e tantos outros que peregrinam aos nossos Santuários para viajarem conosco. Clique para saber como.

Mais informações sobre o Santuário de Curitiba/PR:

SANTUÁRIO TABOR MAGNIFICAT
Rua Pe. Kentenich, 500 – (entroncamento da Eduardo Sprada)
Bairro Campo Comprido
Fone: (41) 3279 13 91
e-mail: tabormagnificat@gmail.com
Aberto todos os dias das 7h30min às 18h30min
Santas Missas: diariamente às 17 horas e aos domingos também às 11 horas.