Ajude a beatificar o Pe. José Kentenich

18 de novembro de 2015

Indicação de alguns cuidadospai-kentenich

Ir. M. Nilza P. da Silva – Frequentes vezes surgem perguntas sobre o andamento do processo de beatificação do Pe.  José Kentenich. Sabemos que ele se encontra em fase de conclusão, na Diocese de Treves, Alemanha. Ao se concluir ali, irá para o Vaticano e continuará na Congregação para as causas dos Santos. Para este artigo, entrevistamos a Ir. M. Elizabet Parodi, Irmã de Maria de Schoenstatt, que trabalha nesse órgão do Vaticano, sobre alguns detalhes importantes, que precisam serem levados bem a sério, para que o processo de beatificação continue sem impedimento.

Além de se empenhar em divulgar o Pe. Kentenich e suplicar um milagre, pela sua intercessão, o que se pode e o que não se pode fazer? Ela responde:

“Em primeiro lugar, a questão se refere ao Código de Direito Canônico. Os parágrafos 1186 – 1190 falam do referido culto dos santos e beatos. No Cân. 1187 se lê:

— Só é lícito venerar com culto público os servos de Deus,
que foram incluídos pela autoridade da Igreja no álbum dos Santos ou Beatos  —

Portanto,  a pergunta é: O que se entende por ‘culto público’?

Culto público se deve interpretar em duas dimensões: a do  lugar de culto e da celebração como tal.

Sobre o lugar de culto: De acordo com o Código de Direito Canônico, não é permitido expor aos fiéis imagens dos servos de Deus em Igrejas e oratórios públicos, até que não sejam (declarados pelo Vaticano) santos ou beatos. Isso quer dizer que não se deve ter suas imagens em lugares onde se celebra a liturgia: igrejas, capelas, oratórios etc.

Sobre as celebrações: vale algo semelhante, uma celebração passa a ter um caráter oficial da Igreja, quando é presidida por um ministro ordenado (diácono, sacerdote ou bispo).

Por exemplo, se acontece uma peregrinação para a casa de João Luiz Pozzobon, levando uma imagem sua, isso não tem problemas. Mas, se essa peregrinação é presidida por um sacerdote, acompanhado pela cruz processional etc, não se pode  levar a imagem do Pozzobon, porque, neste caso, a peregrinação deixa de ser um ato privado de algumas pessoas e passa a ser um ato da Igreja. A mesma coisa vale para qualquer outra oração.

Sobre a estátua da pessoa em processo de beatificação vale o mesmo como para uma imagem: a estátua (ou foto) no Santuário Lar não tem problema, porque não se trata de um lugar público. Mas, se alguma vez se celebrar ali uma Santa Missa, a foto ou a estátua precisa ser retirada. Uma estátua em uma praça do Santuário também não representa um problema (para o processo de beatificação). Mas, se ela estiver dentro do Santuário é problema, porque ali é um lugar de culto público.

Não é correto rezar a novena durante a Missa, porque ela não faz parte da celebração litúrgica. Se quiser rezar a novena, nesse caso, ela precisa ser rezada antes ou depois da liturgia, sem que a novena seja presidida pelo celebrante, pois a sua presença com o traje litúrgico faz com que a oração da novena seja um ato de culto da Igreja.”

Agradecemos a Ir. Elizabet e continuamos nosso empenho pela beatificação do Pe. José Kentenich, pois a Igreja merece a ajuda do carisma que o Espírito Santo lhe concedeu como um bem para todo o povo.

  • Zuleica Niederauer Leote

    Bem esclarecedor! Oremos para que esse processo se acelere!