Os Padres Missionários da Misericórdia em Schoenstatt

12 de fevereiro de 2016

A serviço da Diocese e do Santuário Original.

pe bracht

Pe. Antonio Bracht e Pe. Lothar Herter são os missionários da misericórdia enviados pelo Papa

Karen Bueno – Para este Ano Santo Jubilar o Papa Francisco envia, em seu nome, determinados sacerdotes como Missionários da Misericórdia, com a responsabilidade de aproximar as pessoas do amor misericordioso do Pai. Representando a Diocese de Trier/Alemanha, à qual pertence o Santuário Original, dois Padres de Schoenstatt foram nomeados para essa função: Pe. Lothar Herter e Pe. Antonio Bracht.

Pe. Herter é assistente da União das Mães e assessor da Liga das Mães na Alemanha. Pe. Antonio Bracht, brasileiro, é reitor do Santuário Original e membro da Direção Geral dos Padres de Schoenstatt. Os dois estarão a serviço a Diocese e, principalmente, atendendo os peregrinos que visitam Schoenstatt.

“Nós, enviados como missionários da misericórdia, estaremos à disposição das pessoas que quiserem conversar, confessar ou celebrar a reconciliação dentro da Diocese. Se formos procurados por pessoas atenderemos”, diz Pe. Bracht.

O Santuário Original se torna, com os missionários, um local ainda mais especial de atuação da graça divina, onde todos podem descobrir e sentir a misericórdia paternal de Deus, tão testemunhada pelo Pai e Fundador, Pe. José Kentenich. “Nossa missão reforça o Santuário Original como lugar de misericórdia, também por ele ter a Porta Santa. Sendo um lugar de afluxo de peregrinos, oferece um serviço especial de reconciliação no Ano Santo. Ao se divulgar o nome dos missionários ligados ao Santuário, se divulga mais ainda o próprio Santuário”, afirma o reitor.

Servir paternalmente

Os dois Padres de Schoenstatt, junto a outros 1.100 sacerdotes, aproximadamente, foram enviados pelo Papa Francisco na abertura da Quaresma, na Quarta-feira de Cinzas. Na homilia o Santo Padre convoca: “Queridos irmãos, que vocês possam ajudar a abrir as portas dos corações, a vencer a vergonha e a não fugir da luz. Que as suas mãos abençoem e reergam os irmãos e irmãs com paternidade. Que através de vocês o olhar e as mãos do Pai pousem sobre os filhos e curem suas feridas”.

As palavras do Santo Padre inquietam e impulsionam os sacerdotes missionários. Pe. Antonio Bracht compartilha: “O que mais me marcou foi a insistência do Papa em receber as pessoas com atitude paterna. Esse aspecto ele iluminou com um exemplo da própria vida dele, contando que teve uma confissão que mudou sua vida e que ele não se lembra de nada do que o padre falou, mas lembra que foi acolhido com muito carinho. Isso fica para mim como programa”.

Os dois sacerdotes de Schoenstatt irão divulgar os contatos para que as pessoas possam procurá-los diretamente em breve. No Santuário Original não haverá uma programação específica para o Ano Santo, mas, como afirma o reitor, “tudo o que se fará para os peregrinos terá a marca da misericórdia”.