Os lares se tornam Tabor em Londrina

1 de outubro de 2015

Retrospectiva de um Encontro que marcou gerações.

jufemKaren Bueno – O mês de setembro chega ao final de seu ciclo neste ano, porém o que não terminam são as belas recordações do Encontro Nacional da Juventude Feminina de Schoenstatt (Jufem), que certamente ficarão guardas na memória de toda uma geração, como a primavera que desponta e gera muitos frutos.

De 5 a 7 de setembro a cidade de Londrina/PR recebeu 501 jovens de sete estados e 44 cidades para o grande evento, e para isso foi necessária uma ampla infraestrutura de acolhida para que todas se sentissem “em casa”. Nesse contexto, muitas famílias se mostraram grandes colaboradoras da Jufem, oferecendo os lares e a cordialidade para que todas pudessem descansar e se sentir abrigadas, como se estivessem em seu próprio lar. As famílias acolhedoras foram um verdadeiro Tabor para cada jovem que participou do Encontro Nacional.

De mochila nas costas e mala nas mãos, as meninas entravam nos lares e recebiam todo carinho e atenção que as famílias podiam oferecer. Na casa da Andressa e do Alfredo Gonçalves as duas filhas pequenas – uma de seis e outra de quatro anos – esperavam ansiosas, todos os dias, pela chegada das meninas. “A presença das jovens em casa foi motivo de muita alegria e novidade, pois nossas filhas ficaram empolgadas com a presença das meninas e todos os dias aguardavam a chegada delas com um bilhetinho e um chocolate na cama”, conta a mãe.

Como o casal Gonçalves, outras 118 famílias abriram as portas para acolher a juventude. “Foi uma experiências muito boa, como se fossem nossas filhas chegando em casa. Recebi com muita alegria essas meninas, fiz o que pude para acolhê-las bem, e elas eram muito educadas, de muito respeito, ficamos bem felizes com a visita”, conta a Sra. Helena Melquiades, que acolheu quatro gaúchas.

Foi uma experiência diferente para muitos: “Nós, em casa, sempre gostamos de acolher bem as pessoas, mas normalmente recebemos conhecidos e para nós foi uma grande experiência receber pessoas que não conhecíamos, mas que têm o amor pela Mãe de Deus em comum. E isso fez com que em tão pouco tempo pudéssemos ter um carinho imenso por elas”, diz Andressa Gonçalves.

As jovens levam novas amizades e vivências para toda vida: “A nossa querida Mãe e Rainha escolheu a dedo a nossa família. Dois dias antes da viagem, quando saiu o nome das famílias, nós ficamos muito felizes, pois conseguimos encontrá-la nas redes sociais e foi amor à primeira vista. Uma família linda que nos cativou de tal forma que nos sentíamos parte dela. Sem dúvida alguma a dona Giselda é uma super mãe, modelo de Maria, exemplo para todos nós, ela representou perfeitamente a nossa mãe. A mensagem que aquela linda família nos passou ficará para sempre em nossos corações”, conta Stefany Figueiredo Gonçalves, de Olinda/PE, que ficou hospedada na casa da família Carnelossi.

Na Santa Missa de encerramento do Encontro deste ano foi possível ver a alegria e familiaridade que reinavam entre todos. As famílias acolhedoras foram convidadas para a celebração, e muitas se emocionavam na despedida. “Acredito que durante esse curto período da presença das meninas em casa pudemos transmitir a nossa alegria, a nossa espontaneidade e o nosso amor de família. E elas deixaram para nós o espírito de juventude, uma energia que, muitas vezes, precisamos resgatar para dar continuidade a nossa caminhada”, afirma Andressa, e revela que as duas filhas já estão empolgadas para pertencer à Jufem daqui a alguns anos.

Da Juventude Feminina ficam as doces e familiares recordações e uma imensa gratidão: “Gostaria de agradecer a todas as famílias que acolheram a Jufem durante o Encontro Nacional, pela ajuda, cooperação, por terem aberto suas casas para essas meninas, por terem sido sua família durante esses dias de encontro. Que Deus e a RTA os abençoe e lhes concedam as graças que mais necessitam”, ressalta Mariana Mafra, em nome do grupo Strumentti Afilliati que cuidou da organização das casas, e também em nome de toda Juventude Feminina brasileira.