O jejum para crianças: formando pequenos santos

16 de fevereiro de 2016

A Quaresma pode ser vivida desde a mais tenra idade.

criançasFlávia Ghelardi – O jejum, a esmola e a oração são o coração dos quarenta dias de Quaresma. Aqui estão algumas estratégias para ajudar seus filhos a se envolverem nessas práticas tradicionais penitenciais.

A maioria dessas ideias é para crianças de seis anos ou mais. A melhor maneira de introduzir os filhos menores nas práticas da Quaresma é dando o exemplo, de forma que eles vejam os adultos e crianças mais velhas praticando; use a curiosidade natural deles e a vontade de serem “gente grande” para falar sobre o que você está fazendo e o porquê.

O que é Quaresma?

Uma boa maneira de começar a Quaresma é simplesmente perguntar a seus filhos, no jantar ou mesmo no carro, o que é a Quaresma. Aqui estão alguns tópicos para a conversa:

– As raízes da Quaresma vão até a Igreja primitiva, aonde aqueles que desejavam se tornar cristãos eram submetidos a um período de preparação antes de seu Batismo. Era limitado apenas aos catecúmenos (aqueles que estavam se preparando para entrarem na Igreja), mas depois toda a Igreja adotou a prática de “renovação” do Batismo por meio de um período de penitência e um novo comprometimento à vida cristã.
– Atualmente a Quaresma é um tempo quando todos os batizados são chamados a renovar seu compromisso batismal. A chave para uma observância fecunda dessas práticas é reconhecer seu vínculo com a renovação do Batismo. Somos chamados não só a nos afastarmos do pecado durante a Quaresma, mas para uma verdadeira conversão de nossos corações e mentes como seguidores de Cristo.
– Tradução para crianças mais novas: “A Quaresma é um tempo aonde lembramos o nosso Batismo, ao nos afastarmos do pecado e fazermos o bem no nosso dia a dia”.

– As práticas tradicionais da quaresma que são extraídas do Sermão da Montanha de Jesus são: esmola (Mt 6, 2-4), oração (Mt 6, 5-15) e jejum (Mt 6, 16-18).

Ideias para o jejum de crianças e adolescentes:

crianças

O jejum e a abstinência são as práticas de abrir mão de algo (por exemplo, comida ou carne) para nos afastarmos do pecado e nos aproximarmos de Deus. Não é apenas uma forma de penitência, mas uma disciplina spiritual que nos ajuda a criarmos espaço para Deus, fortalecermos nossa vontade, nos prepararmos para a nossa missão e nos colocarmos em solidariedade com os sofrimentos de Cristo e as pessoas que sofrem ao redor do mundo.

Apenas os adultos (18 a 59 anos) são orientados a jejuar (apesar de que adolescentes maiores de 14 anos são convidados a se absterem de carne na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira Santa). Além dessa obrigação, todos são convidados a escolher práticas penitenciais individuais durante a Quaresma. Começando na idade de cinco ou seis anos, as crianças podem ser estimuladas a “fazer algum sacrifício” ou adotar uma prática positiva, como uma forma de entrarem no espírito da Quaresma.

Quando encorajarem seus filhos a jejuar, ajude-os com algumas ideias criativas. O ideal é fazer desse jejum algo concreto e mensurável. Por exemplo, ao invés de falar “eu não vou mais brigar com minha irmã”, sente-se com a criança e veja algumas ações específicas que podem levar a uma “conversão” nessa área. O que causa as brigas? Se o problema for pegar algo emprestado sem pedir, faça disso o propósito da Quaresma: “Pedir emprestado antes de pegar algo da minha irmã”. É bom colocar algum tipo de lembrete, por exemplo, no quarto ou guarda-roupas da criança, para que ela lembre-se de que tem um propósito a cumprir.
Aqui estão algumas ideias sobre o que seus filhos podem abrir mão para a Quaresma:

1. Abra mão dos “suspeitos” tradicionais: doces, videogames, celulares (ou crie “zonas de silêncio” sem eletrônicos), refrigerantes, media social, ou algum outro tipo de conforto.

2. Silêncio: os monges praticam o silêncio para ouvirem melhor a Deus. Sua família também pode fazer isso ao desligar o rádio (talvez apenas no carro), desligar a TV, fazer uma refeição em silêncio (ou enquanto ouvem música sacra), ficar em silêncio nos 15 primeiros minutos do dia, ou até mesmo fazer um dia de silêncio.

3. Fazer do seu quarto um deserto: Jesus passou 40 dias no deserto. Crianças e adolescentes podem imitar seu exemplo ao fazer do seu quarto mais parecido com um deserto, ao remover fotos e pôsteres das paredes, tirar o tapete, esvaziar o guarda roupas das coisas supérfluas, deixando só o essencial, guardar as decorações do quarto (brinquedos, pelúcias, etc) durante esse período.

4. Enxugar seu guarda-roupas: as crianças podem contar o número de roupas que possuem e selecionar 10% para usarem durante a Quaresma (para inspirações, leiam as histórias dos santos que deram todas suas roupas para os pobres). No final da Quaresma, eles podem considerar doar algumas das roupas que eles não usaram.

5. Escreva sua briga: crianças mais velhas podem diminuir as discussões entre os irmãos ao escrever suas queixas ao invés de fazê-las verbalmente. Você pode imprimir “formulários de reclamação” que incluam guias para reformularem suas queixas usando uma linguagem apropriada (sem agressões).

6. Ceda o seu lugar: se os “lugares” forem um problema, por exemplo, sempre ter um lugar específico no carro ou na mesa, ou brigar constantemente por causa de quem será o “primeiro”, isso é uma opção para abrir mão na Quaresma. Leia e fale sobre o ensinamento de Jesus sobre o “primeiro” e o “último” lugar (Mc 10, 41-46).

7. Coloque-se no lugar do pobre
Durma no chão: um dos objetivos de jejuar é nos lembrar da condição do pobre, especialmente daqueles que não têm o necessário para as necessidades básicas da vida. Seus filhos podem destacar esse elemento ao abrir mão de algo que simbolize uma necessidade básica que o outro pode não ter. Por exemplo:
– dormir no chão e não na cama, para praticar a solidariedade com aqueles que não têm casa
– beber apenas água e leite, em solidariedade com aqueles que não têm água limpa para beber
– não comprar nada para si mesmo (exceto o que seja estritamente necessário), em solidariedade com aqueles que vivem com o mínimo.

8. Abra mão de seu cabelo: o que você faz com seu cabelo é uma expressão de sua identidade, por isso muitas histórias da Bíblia (como a de Sansão) e da vida dos santos (como de Santa Clara de Assis) envolvem o cabelo. Se o cabelo for muito importante para os adolescentes, eles podem considerar abrir mão dele na Quaresma. Uma ideia é doar para uma ONG que faz perucas para crianças e mulheres com câncer, como o Cabelegria (http://www.cabelegria.com.br/).

Fonte: fortalecendosuafamilia.blogspot.com.br