O homem novo e o novo século de Schoenstatt

17 de março de 2016

Juventude é missão.

jumas santuarioArlete Rocio Araujo – A Juventude Masculina de Schoenstatt (Jumas) realiza nos dias 11, 12 e 13 de março o III Encontro do Homem Novo no Santuário Tabor da Esperança, em Brasília/DF. A meta desse encontro é apresentar a espiritualidade de Schoenstatt aos jovens, entre 14 e 24 anos, da região.

As atividades iniciam às 20 horas na sexta-feira e continuam durante todo o final de semana com orações, palestras, dinâmicas, vários momentos de vivência entre os jovens e muita descontração. O assessor regional do Jumas, Pe. Alexandre Awi, acompanha e orienta os meninos durante todo o encontro.

Os jovens permanecem nas instalações do Santuário e podem desfrutar de momentos muito especiais junto à Mãe e Rainha: cantam, rezam, com fé e perseverança. Segundo Gabriel Trindade, membro do Jumas, o que os diferencia de outros grupos de jovens é a forma de olhar o mundo, como homens novos que batalham por um mundo novo.

O objetivo do encontro é entusiasmar a juventude pelo ideal de ser um homem novo, mostrar-lhes o caminho da autoeducação e conduzi-los a uma entrega confiada a Maria. Jatir Augusto, dirigente dos meninos mais novos, os Pioneiros de Schoenstatt, relata: “Ao fazer o III Encontro do Homem Novo encontrei jovens que se tornaram irmãos. Cantamos, rezamos, refletimos e tudo isso me fez perceber que a Mãe age em nossas vidas, nos pequenos detalhes. Sendo assim, buscamos sempre inflamar o coração sendo um fogo do Cristo Tabor”.

Arthur D’ala Rosa pertence ao ramo desde que foi implantado em Brasília. Ele afirma, de tudo que aprendeu em Schoenstatt sobre o homem novo, que a autoeducação é uma prática constante, mas que antes é preciso ter autoconhecimento. “Aprendemos muito no Jumas sobre isso. Pe. Kentenich nos convida, sob a proteção de Maria, a nos auto educarmos para sermos personalidades firmes, livres e apostólicas”.

Outro que pertence à Juventude Masculina desde o começo é Thércio Menezes, vice-líder do ramo na cidade. “Achei o encontro muito bom, me fez refletir bastante sobre tudo que eu faço, como eu sigo com o meu dia, repensar velhas atitudes”. O que mais lhe chama a atenção é a animação contagiante do grupo: “A parte que eu achei mais forte, dentre as experiências, foram as dinâmicas, que me ajudaram a refletir sobre minhas características de homem velho e como mudá-las; percebi o quão breve é o nosso tempo e que devemos aproveitá-lo, acreditando e confiando que a Mãe nos mostra o caminho”.

Para o líder do ramo em Brasília, Marlon Ribeiro, o que fica de mais especial é a Missa e a vivência que participaram durante a noite: “Naquele momento eu senti o fogo arder dentro do meu coração, querendo incendiar o mundo e levar a boa nova a todos. É maravilhoso sentir que temos uma Mãe que nos educa e cuida da melhor maneira possível”.

Após tantos momentos de aprendizagem, de espiritualidade, há também um debate sobre a meta para 2016. Concluem esse desafio na frase: Em Aliança, com iniciativa e comprometimento, santidade e crescimento!

Numa breve avaliação, Pe. Alexandre Awi diz: “Foi uma ótima oportunidade de nos revestirmos do homem novo, como diz São Paulo, e atrair os corações juvenis, como disse Pe. Kentenich em 18 de outubro de 1914. Esse é o objetivo principal do Jumas, para que possamos viver em Aliança com a Mãe de Deus e, assim, construir o reino de Deus aqui na terra. Pudemos falar um pouco mais da importância da autoeducação e de Maria como nossa Mãe e Educadora”.

O encerramento se dá com a Santa Missa, às 16 horas, no domingo, dia 13 de março, celebrada pelo capelão do Santuário, Pe. Adilson Costa, e concelebrada pelo Pe. Alexandre Awi. Após a Missa os jovens se reúnem ao redor da Pira, ao lado do Santuário, para celebrar o encerramento de mais um acampamento e cheios do Espírito Santo, retornar para seus lares, revestidos do homem novo.