O amor que vence o frio e a chuva

6 de julho de 2015

Para encontrar a Mãe e Rainha vale o sacrifício.

santuario-chuva-romariaKaren Bueno – A temperatura bem mais baixa que o habitual e a chuva não impedem os peregrinos da Arquidiocese de Campinas/SP de visitarem o Santuário da Mãe e Rainha em Atibaia/SP neste domingo, 5 de julho. Com cobertor, luva, cachecol e tudo que é possível para aumentar a sensação térmica, eles enfrentam a fila que caminha lenta até o Santuário. É dia de peregrinação, dia de sacrifício e também de alegria, dia de depositar todo o amor à Mãe de Deus como dádiva, como contribuição ao seu Capital de Graças.

Raimunda Inês do Nascimento, de Hortolândia/SP, diz que há 13 anos sempre tira um dia para rezar no Santuário: “É um dia especial, de paz, para buscar tudo que acho correto”. Assim como ela, outras 4.100 pessoas, aproximadamente, aproveitam esse domingo para encontrar-se com Deus e a Mãe Três Vezes Admirável.

Por conta da chuva e do tempo fechado, a programação acontece toda na Tenda dos Peregrinos. Ali há a recepção e acolhida de todos, explicando o sentido desse dia de romaria, de partilha e encontro, onde devem abandonar as pedras – pecados, tudo que os afasta de Deus – e encher o coração com as graças da Mãe e Rainha.

O momento forte da manhã é a adoração a Jesus Eucarístico, exposto na custódia, vivência solene de silêncio e reflexão, de encontro pessoal com o Senhor, encerrado com a bênção do Santíssimo. A seguir há a celebração de um momento mariano, de louvor à Mãe de Deus. Com cantos e orações, a Mãe recebe flores e um coração, depois lhe ofertam a coroa e uma estrela. A coroa sobe lentamente sob a fronte da MTA, que recebe o título de Rainha das Famílias.

No intervalo do almoço, algumas programações alternativas enriquecem a espiritualidade daqueles que desejam participar. No auditório passa um filme sobre a vida do Pe. José Kentenich; na Tenda há a oração do Terço; na capela das Irmãs a adoração eucarística. Também é possível, nesse tempo, visitar o Santuário, rezar a Via Sacra, fazer compras ou simplesmente descansar pelos gramados.

Pe. Renato de Moura Petrocco é pároco da comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de Indaiatuba/SP, que foi recém-criada há apenas uma semana, no dia 27 de junho. Dessa paróquia, 17 ônibus visitam o Santuário em peregrinação neste domingo. “Uma vez por mês nos reunimos e rezamos juntos com as imagens da Mãe e Rainha em nossa comunidade. É uma alegria para nós virmos pela primeira vez ao Santuário, pedindo a proteção da Mãe e Rainha para a nova paróquia da nossa Arquidiocese”.

Às 14 horas todos se reúnem novamente na Tenda preparando-se para a Santa Missa. Aos poucos o ambiente toma ares de oração, com uma só família reunida para celebrar a Eucaristia. Mons. João Luiz Fávaro, coordenador de Pastoral da Arquidiocese de Campinas/SP, preside a Santa Missa. Concelebram ainda Pe. Odair Costa Nogueira, Pe. Fernando Venâncio, Pe. Renato de Moura Petrocco, Pe. Carlos José Lemos Nascimento, Pe. Alfiero Ceresoli e Pe. Ronaldo Temoteo.

Na homilia, Mons. João Luiz afirma que Deus quer nos cativar, nos seduzir no seu amor: “Experimentamos em nossa vida a força do amor de Deus, e quando sentimos isso não podemos ficar parados nem nos deixar envolver pela frieza de tantos corações. Em nós está o calor da graça, a força do amor, o Espírito Santo aquece nossa vida, por isso podemos e devemos anunciar o evangelho a todos, não porque somos teólogos ou melhores que os demais, mas porque experimentamos em nossa vida a alegria de viver em Deus”.

Na Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt há uma grande oportunidade para ser missionários, segundo o celebrante: “Não precisamos anunciar o evangelho com palavras bonitas, mas com nossa vida; nosso amor ao Senhor se traduz no serviço e amor aos irmãos. Não basta deixar a imagem da Mãe Peregrina na porta do vizinho, é preciso conhecer um pouco mais daquela família que se dispôs a acolher a graça de Deus – você é o missionário que está levando esse presente para dentro daquela casa, por isso não a deixe na porta, entre. Aquele que traz a palavra, a bênção, a paz é bem vindo. É preciso evangelizar, apesar de tantas dificuldades, ajudar para que compreendam e experimentem aquilo que é bom, que dá sentido à nossa vida e à vida de todos. É preciso que continuemos passando de casa em casa, levando o nosso presente – a Mãe que leva o Filho nos braços –, não podemos desanimar, temos que evangelizar, mostrar para todos a alegria da vida em Cristo, essa é a nossa missão”.

No final da Missa todos que adquiriram o cartão com a imagem da MTA coroam a Mãe, lhe entregando suas vidas e a vida de suas famílias. O dia de peregrinação demostra quanto amor os filhos da Arquidiocese de Campinas têm à Mãe de Deus, enfrentando frio intenso e chuva, sem perder a alegria e a disposição para estar ali junto daquela que lhes visita todo mês, sinal de amor por amor, fidelidade por fidelidade.

Mais fotos