Novo projeto missionário da Juventude de Schoenstatt

1 de abril de 2015

Apostolado no regional Sul.

missoes-sulJuliana Gelatti – A Diocese de Santo Ângelo/RS foi a sede escolhida pela Juventude Apostólica de Schoenstatt do Rio Grande do Sul para iniciar o projeto apostólico Missão Jovem de Schoenstatt – Sanctuarium Vivum em Missão. As missões aconteceram nos dias 18 a 22 de fevereiro em São Miguel das Missões/RS. Participaram 33 jovens missionários do Movimento de diferentes cidades para levar a mensagem mariana de fidelidade à Igreja ao maior número de famílias possível.

Impulsionados pelas vivências do Centenário de Schoenstatt, celebrado em 18 de outubro de 2014, a Juventude Feminina e Masculina do Regional Sul se uniu para este apostolado. Após serem enviados do Santuário Tupancyrendá (Tenda da Mãe de Deus, em guarani), os 33 missionários partiram para a cidade de São Miguel das Missões. Entre os missionários estavam três Irmãos de Maria, duas Irmãs de Maria e, durante parte da missão, o Pe. Rodrigo Cabrera, do Instituto dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt. Dez jovens de Frederico Westphalen/RS, três de Santo Ângelo/RS, nove de Santa Maria/RS, quatro jovens paraguaios e uma jovem alemã completaram o grupo que foi impulsionado pelo lema “Enviados por Maria, eu vim para servir”.

“Participar das Missões Sanctuarium Vivum foi uma das melhores experiências de minha vida, foi totalmente gratificante poder fazer o que nosso querido heroi João Luiz Pozzobon fazia, levar a Mãe de Deus às famílias, e por meio dela, mostrar o melhor caminho para o encontro com seu Filho Jesus e também para anunciar Schoenstatt. Cada casa que íamos visitar era um sentimento de alegria de poder estar ali como um instrumento nas mãos da Mãe, podendo ajudar as pessoas em suas maiores aflições com nossas oração e com a fé”, relata a jovem Mayara Oliveira da Silva, de Seberi/RS.

Algo que certamente marcou a comunidade de São Miguel foi a presença dos quatro jovens e do Irmão de Maria Ricardo M. Acosta, que vieram do Paraguai. Eles sabem o idioma guarani e puderam fazer missões na aldeia guarani que é remanescente do povo que habitou as reduções.

Além da disposição a servir dos jovens missionários, a missão contou com significativa ajuda da Família de Schoenstatt. Em Santa Maria, Frederico Westphalen e Santo Ângelo, o Movimento contribuiu materialmente e com orações para que o apostolado se realizasse e assim cerca de 400 famílias puderam receber a visita dos missionários.

Fonte: tabormta.org