Lírio do Pai, guarda e cultiva a herança!

6 de setembro de 2015

Lançamento da Jufem Brasil.

capa-livro

Karen Bueno – “Conhecer como nasceu algo que amamos é essencial para que possamos amá-lo ainda mais”, diz Jacicleide Morais, da comissão nacional que pesquisou, escreveu e preparou o livro “Lírio do Pai, guarda e cultiva a herança!”. Esse material é uma publicação da Juventude Feminina de Schoenstatt (Jufem) lançada neste sábado, 5 de setembro, durante o XI Encontro Nacional.

O livro é um presente de gratidão à MTA e ao Pai e Fundador pelos 75 anos do ramo no Brasil e foi escrito por uma comissão formada porjovens e assessoras dos quatro regionais brasileiros. As páginas perpassam toda a história do ramo, começando desde a fundação na Alemanha até a geração atual do centenário, dando ênfase aos dez encontros nacionais do ramo e às visitas do Pai e Fundador ao Brasil. “Esperamos guardar todo este tesouro histórico unido em um só lugar, para que todos possam conhecer o passado e a realidade da Jufem Brasil, esperamos que todos possam conhecer está linda história e querer fazer parte dela”, comenta Jaci.

livro-pronto

Há ainda um capítulo dedicado às heroinas que pertenceram à Juventude Feminina do Brasil: Regina Sakura Tokano, Sra. Leonor Tarifa Gavilan, Lúcia Jacinta Renssi e Ir. M. Teresinha Gobbo. “Um livro com a história do ramo nos faz buscar inspiração no heroísmo que marcou aquelas que vieram antes de nós, e que quiseram ser exemplo, assim como esta geração deve se deixar ser exemplo para conquistar mais corações”.

Um dos objetivos da publicação é ressaltar como cada mulher que pertenceu à Jufem foi importante para a história do ramo, deixando um pouco de si e sendo também autora dos textos, por isso foram incluídos testemunhos e fotos. Todas as 48 cidades onde a Jufem está presente no Brasil atualmente ganharam um espaço próprio, com um breve histórico do ramo no local e fotos. Por fim, as últimas páginas são um convite para a nova geração, a geração do centenário, continuar a escrever essa linda história e ser também autora de grandes conquistas e ideais para o imenso canteiro de lírios da Jufem Brasil.

Ir. M. Rosângela de Souza foi assessora da Jufem no regional Sul por vários anos e mora atualmente em Schoenstatt. Ela colaborou muito na elaboração do livro, e compartilha um pouco dessa experiência:

Por que escrever um livro contando a história do Ramo?

Quando pensamos em escrever a história da Juventude Feminina de Schoenstatt no Brasil, nosso propósito não foi apenas registrar os fatos históricos dos 75 anos passados. Nós nos propusemos a algo maior, porque nossa história é uma herança preciosa, um tesouro que recebemos e que devemos cultivar para as próximas gerações. Por isso, muito mais do que registrar acontecimentos, buscamos descobrir as correntes de vida e, sobretudo, o que nos presentou o Pai e Fundador.

O primeiro volume da Coleção Jufem Brasil, o livro “Eu saúdo os lírios” publicado em 2014, apresenta as palavras do Pai e Fundador para nós. Este segundo volume, sobre a história da Jufem, pode ser visto como nossa resposta às suas palavras. Portanto, é muito mais do que um livro histórico, ele é expressão de nosso caminho de Aliança profundamente marcado pela vinculação ao Pai e Fundador. Em nossa história descobrimos os fundamentos do ideal nacional “Lírio do Pai, Tabor para o mundo”, as correntes de vida que nos uniram, as dificuldades que foram superadas pela força da Aliança de Amor, a originalidade que existe em cada local e o que nos une.

Porque a Juventude é um ramo em que as gerações se sucedem muito rapidamente, é muito importante ter registrada a história e as correntes de vida que surgiram ao logo dos anos, pois cada nova geração sempre pergunta pela origem. Vemos as correntes de vida como sementes, elas não nascem do nada, mas são transmitidas de geração em geração. Por isso dizemos que as gerações não passam, elas se renovam constantemente.

O que a Jufem espera com esta publicação?

O livro “Lírio do Pai, guarda e cultiva a herança”, é realmente um presente jubilar para a Jufem de todas as gerações. Muitas “ex-jufem” poderão reviver os momentos de grandes conquistas do seu tempo de juventude; as que hoje fazem parte do Ramo têm neste livro um material de formação riquíssimo; e às gerações futuras a tarefa da dar continuidade. Uma das características deste livro é que ele foi escrito pela Jufem de todo o Brasil, dos quatro regionais e tem o “rosto” da geração jubilar dos 75 anos. Uma comissão ocupou-se com a organização do livro, mas cada local precisou pesquisar a sua história, por isso, com segurança podemos dizer: o livro é NOSSO.

Por que escolheram este título?

A escolha do título do livro seguiu a linha do objetivo pelo qual fizemos a pesquisa histórica. Muitas vezes recordamos as palavras do Pai e Fundador, de que somos “herdeiras de um grande passado, portadoras de um grande presente e construtoras de um grande futuro”. Olhamos para nossos heróis e especialmente para nossas heroínas da Jufem. Queremos guardar a herança que delas recebemos! Quando buscávamos o título encontramos uma frase da Regininha, na qual ela dizia que devemos guardar a herança e transmiti-la com toda a sua originalidade, porém, acrescida de nosso heroísmo e santidade. Por outro lado, também contemplamos nossa história com a semente que tem seu ciclo de vida sempre renovado, uma geração transmite a vida para outra geração.

Assim surgiu o título: “Lírio do Pai, guarda e cultiva a herança!” Ele é um vocativo, um chamado para cada jovem, para todas as que um dia foram Jufem, as que são e as que serão Jufem, para que guardem esta herança e a cultivem cuidadosamente, a fim de que possa ser transmitida às próximas gerações. Que nos próximos anos possamos ter muitas “Regininha”, “Ir. M. Teresinha”, “Leonor” e “Lúcia” que sejam sementes para uma florescente primavera da Juventude Feminina de Schoenstatt no Brasil!

Livro: Lírio do Pai, guarda e cultiva a herança
Dimensões: 15×21 cm (brochura)
Páginas: 336
Em breve disponível nos Santuário de Schoenstatt do Brasil