Ir. M. Salette é chamada para a eternidade

6 de julho de 2015

Uma vida dedicada aos enfermos

ir-salete

Ir. M. Salette dedicou 65 anos de trabalho à Santa Casa de Londrina/PR (foto da torre do hospital à direita).

Ir. M. Udília Oliveira – O Bom Deus colheu para si mais um lírio do seu jardim de Schoenstatt. Faleceu neste domingo, 5 de julho, às 23 horas, Ir. M. Salette Tolotte, do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt.

A sua vida, o amor e a fidelidade à Obra do Pe. José Kentenich se comprovam no trabalho apostólico junto aos enfermos, que exerceu por vários anos em alguns hospitais do sul do Brasil.

Ir. M. Salette nasceu em 5 de janeiro de 1920, em Soledade/RS, hoje Diocese de Cruz Alta/RS.
É a filha mais velha de uma família de camponeses, profundamente religiosos, que a educaram na vida cristã, juntamente com seus outros 13 irmãos e irmãs. Como a mãe faleceu cedo, Ir. M. Salette assumiu a educação e o cuidado de seus irmãos, auxiliando seu pai que tinha grande amor aos filhos.

Tendo um cuidadoso cultivo da vida religiosa, seguiu o chamado de Deus e, no ano de 1945, ingressou no Instituto das Irmãs de Maria de Schoenstatt, em Santa Maria/RS, fazendo parte do primeiro curso de Irmãs brasileiras.

Em maio de 1946, ainda Noviça, foi para Londrina/PR atuar na Enfermagem da Santa Casa, que fora recém-inaugurada. Nesse mesmo ano, trabalhou também na Santa Casa de Ribeirão Claro/PR e, em 1947, no pequeno hospital de São João do Polêsine/RS.

Em 1949, retornou para a Santa Casa de Londrina, atuando como enfermeira, até o ano de 1978, e a seguir na Pastoral do Enfermo. Em outubro 2011, já debilitada pela idade, foi transferida para o Colégio Mãe de Deus, em Londrina.

Com entusiasmo, dedicação e amor, toda a sua vida foi empenhada a serviço dos doentes, principalmente dos mais carentes, que procuravam a Santa Casa de Misericórdia de Londrina. Vendo o ser humano como um todo, procurou sempre integrar a assistência física com a espiritual, fazendo todo o possível para a sua assistência integral. Dedicava-se também aos familiares dos enfermos.

Irmã M. Salette foi considerada a “alma” da Santa Casa de Londrina, tendo sempre um sorriso amável, palavras confortadoras e um grande espírito sacrifical e de oração. A qualquer hora, estava sempre pronta para o que precisassem.

Ela é um grande exemplo para todos os que atuam na área da saúde, conhecia os enfermos pelo nome, seus problemas e suas alegrias. Em 2011, representando todas as Irmãs de Maria, recebeu uma homenagem na Santa Casa de Londrina, pelo Dia Internacional da Mulher; na ocasião Ir. M. Sallete afirmou: “Se tivesse que recomeçar viria para a Santa Casa de novo”.

Gratidão de toda Família de Schoenstatt à Ir. M. Salette Tolotte, por sua fidelidade à missão e Obra do Pai e Fundador, Pe. José Kentenich.

  • ProfessorSergio Educação Físic

    Que a Ir.M. Salete descanse em paz. Que Deus e a MTA deem muito conforto para sua família.