“Foi a fé do povo sergipano que nos trouxe aqui”

23 de janeiro de 2015

De Sergipe para o Santuário de Atibaia/SP.

peregrinos-2Karen Bueno – Eles se apertam dentro do Santuário – empurrando aqui e ali cabe mais um e mais outro. Nos rostos, os olhares concentrados miram um único olhar: da Mãe que os espera ansiosa. Nesta sexta-feira, 23 de janeiro, o Santuário Tabor da Permanente Presença do Pai, em Atibaia/SP, recebe 92 peregrinos do estado de Sergipe.

“Desde o ano de 2013, quando fomos para o Rio de Janeiro/RJ na Jornada Mundial da Juventude, surgiu o desejo de visitar o Santuário de Atibaia”, recorda Pe. Fernandes de Santana Santos, que acompanha o grupo.

Os peregrinos são das cidades de Aracaju, Lagarto, Simão Dias, Tobias Barreto e Umbaúba. É a primeira vez que chegam ao Santuário de Atibaia. “Era um grande sonho nosso estar aqui”, diz Marineis Araujo, missionária da Comunidade Obra de Maria, responsável pela peregrinação.

Ela comenta que a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt é bastante conhecida por todos da região, o que motiva a viagem. “Viemos pela devoção à Mãe e Rainha, que é muito conhecida por lá, em todas as comunidades, em todas as cidades. No Sergipe há uma devoção muito grande, aliás, como em todo Brasil, então muita gente pedia para vir. Foi a fé do povo sergipano que nos trouxe até aqui”.

Ela é Mãe desde sempre

O seminarista Ueliton dos Santos se sente abrigado no Santuário: “Aqui é um lugar muito bom, maravilhoso, um ambiente muito agradável, nos leva a rezar, a silenciar”.

Pe. Fernandes, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Lagarto/SE, recorda que desde pequeno recebia a Mãe Peregrina em sua casa. “A devoção mariana, à Mãezinha do Céu, é algo que trazemos desde a infância. Toda criança aprende a rezar a Ave-Maria, conhece as músicas de Nossa Senhora e se encanta. Com o tempo pode ser que esse encanto diminua. No meu caso, como padre, sempre fui devoto de Maria”. A filialidade é especialmente cultivada nos santuários dedicados à Mãe de Deus: “É sempre boa a experiência de fé com Nossa Senhora, espero voltar mais vezes à Casa da Mãe e Rainha”, afirma o sacerdote.