Espírito do tempo: chamado de Deus!

21 de maio de 2015

Missionários da Aliança, quando senão agora?

Representantes do Brasil

Representantes do Brasil

Ir. M. Nilza P. da Silva – Os 120 irmãos da Aliança, reunidos no Congresso de Pentecostes, em Schoenstatt/Alemanha, se encontram às 9 horas, na Igreja da Adoração, para a Santa Missa. A liturgia desta semana cala fundo no coração de cada um: Jesus sempre de novo pede ao Pai que a Igreja permaneça unida e aberta para o Espírito Santo. Com inúmeros idiomas, as mais variadas culturas e o mesmo amor ao Santuário Original, à MTA, ao Fundador, unidos na mesma Aliança de Amor, esse grêmio, reunido em dias intensos de trabalho, testemunha que a prece de Cristo é atendida.

Os moderadores, Christiane Rohn e David Brähler, começam a vivenciar o que significa manter irmãos que se amam na disciplina. Sempre mais desaparecem as diferenças e quase não se importa em que idioma o outro fala, quando se encontram há muito para se comentar e para expressar com mãos, expressões faciais e tudo mais. Se compartilham fotos, cada uma achando que o outro entendeu tudo o que se disse, mesmo não entendendo uma palavra da resposta. Serve-se um ao outro e já se comenta qual é melhor, este ou aquele café, sem dizer uma palavra, mas apenas com sinais e “caras”. Enfim, estamos em Família, junto à MTA, o Santuário Original e o Pai.

A manhã foi uma imersão nas correntes atuais do tempo

O Prof. Michael Hochschild, sociólogo, apresenta a dinâmica atual da organização social e questiona se Schoenstatt, com sua estrutura original, está preparado para cumprir sua missão justamente agora ou se precisa ser “refundado”. Em seguida, Pe. Angel Strada, postulador da beatificação do Pe. Kentenich, reflete sobre as mudanças na Igreja, a partir do Papa Francisco, a visão do Pe. Kentenich sobre a Igreja pós conciliar e sua pergunta é se o Movimento de Schoenstatt corporifica essas característica definidas pelo Fundador e tão condizentes com o que sugere o Papa. Ir. M. Nilza P. da Silva fecha as exposições do painel, apresentando a realidade digital, espaço onde movem metade da humanidade, como um continente digital, espaço para a missão de Schoenstatt. Suas perguntas são sobre a presença da Obra de Schoenstatt nesse espaço democrático. O público participa ativamente, em seguida, fazendo perguntas. Os três temas despertaram muitos comentários, desafiaram a posição que parecia estável e a manhã foi curta para se dialogar sobre essas vozes de Deus que suscitam uma resposta atual e para os próximos anos.

Anseios comuns e ouvidos atentos para a voz de Deus

Com todo esse pulsar do tempo, dos dois dias e meio trabalhados intensamente, há sinais suficientes para se ouvir a voz de Deus e definir linhas comuns, no carisma do Fundador, como Família Internacional de Schoenstatt. Novamente, em grupos (cada vez há uma nova dinâmica na organização dos mesmos, a fim de que a variação de membros seja assegurada), os irmãos em Aliança começam a compartilhar o que conseguiram contactar como voz de Deus, como pontos importantes, que deem um norte na caminhada. Os painéis escritos com o resultado desse trabalho surpreendem a muitos: na maior parte, chegamos aos mesmos destaques e temos os mesmos anseios. Sim, foi mais uma vivência do atuar do Espírito Santo e da condução da MTA, na aplicação do carisma do Pe. Kentenich.

Enquanto alguns redigem, outros estão no Cenáculo!

Forma-se, então, uma equipe para a redação de um memorando, com os resultados desses dias de Pentecostes, com o qual cada representante aqui presente, livremente se compromete, sem desrespeitar a federatividade, que garante a autonomia e liberdade de cada ramo, ou organização, do grande Movimento Apostólico que somos.

Espontaneamente os demais participantes se comprometem a viverem esta noite em Cenáculo, suplicando a luz divina para os irmãos que tem a tarefa de reunir todas as ideias comuns e apresentá-las amanhã para a aprovação geral. Uma coisa é certa: a experiência do centenário resultou em um desejo de caminhar juntos, compartilhar o que somos e realizamos, respeitar as autonomias… Ser Família Missionária na, com e para a Igreja! Desse modo, potencializamos nossas forças e colaboramos efetivamente para a renovação social.

Mãe de Deus abre nossas almas para o  atuar do Espírito Santo! Vinde!!!

Participantes do Congresso, irmãos na aliança, cerca de dez idiomas, cantam para encerrar as atividades do dia:

Veja mais fotos