Enviados por Maria, rosto heroico da misericórdia!

3 de maio de 2016

Regional Sul: Missões Sanctuarium Vivum II.

juventude missoesIr. Glória Maria Melo/Karen Bueno – Sob este lema, contemplado no título, a Juventude Apostólica de Schoenstatt do regional Sul esteve reunida por cinco dias, de 20 a 24 de abril, em São Miguel das Missões/RS, para realizar nesse município as Missões Sanctuarium Vivum II.

Após realizarem uma pré-missão junto ao Santuário de Santo Ângelo/RS, a Juventude Feminina (Jufem) e a Juventude Masculina (Jumas) de Schoenstatt são enviadas com a cruz missionária pelo Bispo Dom Liro Wendelino Meurer. Também junto à Família de Schoenstatt de Santo Ângelo, os jovens demonstraram a alegria de serem escolhidos pela Mãe para essas tão esperadas missões, para as quais se prepararam há tanto tempo e ofereceram muitas orações e contribuições ao Capital de Graças.

“A vida comunitária que se formou entre nós, missionários, fez com que vivêssemos a verdadeira vinculação a Maria e, na dedicação e sacrifício, cada um reconheceu o rosto heroico da misericórdia”, compartilha Daniel Soares Mello, de Santo Ângelo.

E a Mãe de Deus retribuiu ricamente toda a preparação, concedendo aos missionários, provenientes de oito cidades do Rio Grande do Sul, um grande ardor apostólico, que nem a chuva, nem o sol, nem as distâncias percorridas diariamente a pé, os fizeram desanimar. Em cada família visitada eles tinham a oportunidade de rezar, anunciar o amor e a misericórdia de Deus, falar de Schoenstatt, ouvir as famílias e convidá-las para uma participação mais ativa na comunidade da Igreja local.

Victor Pegoraro Argenta, missionário de Seberi/RS, explica: “Levamos Maria e, através dela, nosso Senhor Jesus Cristo. Em cada casa visitada, deixávamos para as famílias uma palavra amiga, conforto, força para seguir em frente. E, nessas casas, nos enchíamos de vontade de fazer o bem, aprendendo a dar valor a tudo o que temos e somos”.

Ao longo das Missões ocorreram oficinas para a comunidade, com temas separados entre crianças, jovens e adultos. Thaís Baierle da Silva, de Santa Cruz do Sul, testemunha: “Foi muito gratificante ver a expressiva participação dos moradores de São Miguel e a forma como nos acolheram em sua cidade”.

Os paroquianos de São Miguel das Missões se mostraram muito hospitaleiros durante esses dias. Jéssica Correl veio da Alemanha e, ao participar dessa experiência, se diz surpreendida: “Após poucos dias no Brasil já tive a graça de participar das missões. Não poderia ter tido um início melhor. Nesses dias, aprendi que em outros países do globo terrestre as pessoas não estranham quando um grupo de jovens peregrina de uma casa a outra para rezar com as pessoas que ali moram. No início, estranhei um pouco, mas após um dia, com os amigos novos, algo assim entusiasma e desperta muita alegria”.

Como ‘rosto heroico da misericórdia’, neste Ano Santo os jovens também visitaram alguns enfermos: “Ao visitar os doentes nos hospitais, conseguimos experimentar o papel de Maria de ser o consolo de seus filhos diante da cruz e sofrimento das enfermidades”, diz Silvana Silveira, de Santa Maria/RS.

Poucas horas após a conclusão das Missões, um tornado atingiu a cidade, como foi anunciado nas mídias nacionais. Apesar da preocupação, não houve maiores estragos na cidade e alguns jovens expressaram que isso se deve ao cuidado da Mãe de Deus, cujas casas ela visitou e foi tão bem acolhida; ela protegeu a todos com seu manto sagrado.

Com informações de tabormta.org