Entre doze: um destaque internacional

10 de junho de 2016

Da Alemanha para o Brasil e do Brasil para o mundo

ir_emanuele

Ir. M. Nilza P. da Silva – Em 10 de junho, completa-se 81 anos que as doze Irmãs de Maria chegaram ao Brasil, enviadas pelo Fundador, Pe. José Kentenich, para presentear à nossa nação a riqueza que o Espírito Santo lhe dera como carisma para a Igreja e mundo: a Aliança de Amor e toda a pedagogia e espiritualidade de Schoenstatt.

Cada uma lançou-se como semente nesse solo fecundo e o quanto Deus Trino abençoou esse sim e a vida diária da Aliança de Amor, pode-se contemplar pela bênção que Schoenstatt se tornou para nossa Igreja em todo o país.

Uma semente que se destaca

Contudo, uma das doze quis a Mãe de Deus que se destacasse: Ir. M. Emanuele Seyfried. de naturalidade alemã, a maior parte de sua vida foi em nosso solo brasileiro. Aqui chegou com menos de três após o noviciado. Se longe estava de receber todo o conteúdo de sua formação como Irmã de Maria, seu amor filial ao Fundador e a aplicação da Aliança de Amor nas pequenas coisas do dia a dia  lhe foram retribuídos por Deus com um crescimento espiritual e uma maturidade materna acima do comum.

Ponto de referência nas horas escuras

Durante os duros anos de exílio do Pe. Kentenich, em cuja via sacra a Obra de Schoenstatt no Brasil partilhou muito de perto, recebendo as proibições de atuação, de expressão e até mesmo a retirada do Santíssimo dos dois únicos Santuários existentes na época, Ir. M. Emanuele tornou-se a âncora segura, na qual muitos schoenstattianos e grandes lideranças de Schoenstatt na pátria e além dela, buscavam respostas e orientações para viver o amor à Igreja, permanecendo ao mesmo tempo fiéis ao carisma do Fundador. Ela era a mulher forte ao pé da cruz e ao mesmo tempo a filha dócil à Divina Providência.

Do Tabor do Brasil para um Mundo Tabor

Essa personalidade feminina “totalmente desprendida de si mesma”, como lhe disse o Fundador, exerceu sempre mais influência em todo o Instituto e foi eleita superiora geral, em 1967.

A grande Educadora, a Mãe de Deus, usou assim o Brasil como escola para aquela que deveria conduzir o Instituto das Irmãs e colaborar nas decisões da Presidência Geral da Obra de Schoenstatt nos pesados e primeiros anos após a morte do Pe. Kentenich. Ir. Emanuele, juntamente com o Pe. Alex Menninger, Padre de Schoenstatt, cunharam no coração dos filhos de Schoenstatt a segurança da presença e atuação do Fundador também a partir do céu.

Relembrando, pois o aniversário de chegada das primeiras missionárias de Schoenstatt, agradecemos de modo especial a essa Filha Heroica que deu todo o fundamento do ideal e missão Tabor e testemunhou em sua vida, que a Aliança de Amor é capaz de formar pessoas santas, com um coração que abrange a humanidade inteira.