Enfim juntos, para sempre!

16 de julho de 2016

Nossos olhos contemplam um momento histórico.

kuhrKaren Bueno – Solenemente, as duas urnas que levam os restos mortais do casal Helene e Friedrich Kühr entram na capela do Colégio Mãe de Deus, em Londrina/PR. Recepcionados por representantes de toda a Obra das Famílias de Schoenstatt – constituída pela Liga, pela União e pelo Instituto –, o momento é de expectativa e gratidão. Muita gente chegou de bem longe para acompanhar essa vivência. Além dos brasileiros, de diversas regiões, há casais do Chile, Argentina, Paraguai e uma equipe de webTV da Alemanha.

A tarde de 16 de julho não é somente festiva pelo aniversário de fundação da Obra das Famílias, ela ganha um colorido todo especial pelo translado dos restos mortais da Sra. Helene Kühr para junto do marido, ao lado do Santuário.

Assim, com a capela repleta de pessoas, inicia a Santa Missa solene, presidida por Pe. Ivan Simicic, assistente nacional do Instituto de Famílias de Schoenstatt. A homilia é um convite para a renovação: “O amor é o vínculo da perfeição! Com esse translado queremos renovar nossa vocação matrimonial”, diz o Padre aos casais. “As situações difíceis vividas e vencidas pelos Kühr fazem-nos repensar nossas debilidades e, para isso, precisamos renovar nossa vocação. Que esse translado seja para nós um exemplo e sua memória um modelo para muitos”. Ele termina implorando: “Pedimos a intercessão da Santíssima Virgem, pela Aliança de Amor, que nos dê coragem e força em nossa missão de renovar as famílias, custe o que custar”.

A Eucaristia é a oportunidade perfeita de concretizar as palavras do Pe. Ivan, renovando a vocação matrimonial e se preparando para a tão esperada vivência, que segue no final da celebração.

Mãos que fazem história

fritz kuhr

Como a um tesouro, os casais levam as duas urnas tão preciosas. Eles se revezam no percurso, para que todos possam ser, ainda de forma mais concreta, parte dessa história. Por um momento as urnas são depositadas em frente ao Santuário, para algumas homenagens. Ali as Irmãs de Maria e os Padres de Schoenstatt cantam louvando a Deus e à Mãe Três Vezes Admirável pela vida do Kühr.

Um ato simples, porém muito simbólico, que ocorreu no translado de 1974, se repete: os casais são convidados a jogar pedras do campo de concentração de Dachau/Alemanha no memorial onde as urnas serão colocadas. A vida dos Kühr está diretamente ligada ao contexto de guerra e a Dachau, eles viveram intensamente sua vocação matrimonial, ainda que na dura realidade da separação por dez anos, com ele preso no campo de concentração e ela vivendo o seu “Dachau” no Brasil.

Com todas as família reunidas em volta do Monumento dos Herois, alguns homens da Obra das Famílias levam as duas urnas para serem depositadas no memorial. É uma hora de grande alegria e emoção, com som de trompetes e uma linda lua a saudar as famílias.

A partir de hoje, todas as gerações poderão contemplar a força do amor, que é capaz de vencer a guerra e a separação física, formando um matrimonio santo. O que a natureza humana separa, Deus trata de unir para toda a eternidade – mesmo após a morte. Fritz e Helene são um exemplo inseparável, uma resposta para as famílias de hoje, pois viveram plenamente aquilo que a Igreja ensina: a beleza da vocação matrimonial.

Para ver os vídeos acesse: schoenstatt-tv.de/PT