Encontro, formação e informação para os coordenadores

29 de abril de 2016

Encontro de coordenadores no Santuário da Vila Mariana.

vila marianaIr. M. Franciane Castelani – No dia 24 de abril, às 8h30min, cerca de 170 coordenadores da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt participam de seu encontro anual no Santuário Tabor da Confiança Vitoriosa no Pai, na Vila Mariana, em São Paulo/SP.

É um momento de graças, de informação e formação para a fecundidade do trabalho na Campanha da Mãe Peregrina na Arquidiocese de São Paulo, Dioceses de Campo Limpo, São Miguel Paulista, Santo Amaro e Santo André em 2016.

O encontro de formação inicia com uma oração meditada sobre a misericórdia de Deus para com seus filhos. Cada participante escreve, então, aquilo que gostaria de entregar à Maria nesse dia: as alegrias, as dificuldades, os planos e desafios em sua vida pessoal, profissional e apostólica. Em seguida, eles são convidados a adentrar as portas do Santuário, fazer sua entrega à Mãe de Deus e receber uma foto do Fundador, que convida a cada um, no Ano Santo, a trilhar com ele os caminhos da misericórdia do Senhor.

O tema “Chegou o tempo da misericórdia!”, é conduzido por Ir. M. Franciane Castelani – nova assessora da Campanha nesse Santuário – e por Ir. M. Fabiana Pereira Leite. Ali é apresentado o plano de fundo para o Ano da Misericórdia e as linhas de trabalho na Campanha em 2016, como o roteiro de encontros e a conquista do símbolo para as casas. A manhã é animada pela Banda MTA, que acompanha desde cedo o encontro.

Mãe Peregrina, a porta que leva a Jesus

Ao meio-dia, Dom Lourenço Palata Viola, monge beneditino, preside a Santa Missa, que é a culminância desse dia de encontro e formação.

Em suas palavras de encorajamento e estímulo, Dom Lourenço diz: “Jesus, num ato total de amor, foi glorificado por Deus, seu Pai. Em Cristo, também nós fomos glorificados. Queremos dar importância ao primeiro e maior mandamento: amar, como Jesus amou! Amar é viver verdadeiramente pelo outro”. Ele ressalta que o cristão não deseja viver um amor falso, mas quer amar o Cristo e, pela força dele, amar aos outros, como ele amou.

No final da celebração, Dom Lourenço abençoa as chaves das casas dos coordenadores, que são enviados para viver e fazer da sua família uma casa da misericórdia. “A chave é o grande símbolo da entrada na casa. Ninguém entra na casa se não tiver chave para abrir a porta”, assim diz Dom Lourenço. “Que Deus abençoe o nosso coração para que ele se abra constantemente à Palavra de Deus, que é a chave que devemos anunciar”.

Dom Lourenço dá então a bênção, com a imagem da Mãe Peregrina, e diz: “A Mãe Peregrina tem o formato do Santuário, mas também sua forma lembra o formato de uma porta, a porta da fé que conduz a Jesus! Ele nos dá a vida e nos dá por meio da sua Palavra! Por isso, cada vez mais devemos estar estruturados com as nossas chaves, nas nossas famílias, que é a casa da misericórdia, uma Igreja doméstica e assim ela seja o espelho de uma nova sociedade”.

Com o coração alegre e agradecido, os coordenadores são enviados para seu campo de missão, animados a continuar o árduo trabalho de evangelização com as famílias no Ano Santo, que é uma grande bênção para toda a Igreja e o país.

  • Jorge Augusto

    Que a Mãe Rainha encoraje esses coordenadores, e por extensão os missionários e famílias a encontrarem conforto no Espírito Santo e levarem aos necessitados a misericórdia de Deus.