Em Família renovamos a Aliança

4 de novembro de 2015

Festa da Aliança no Santuário de Curitiba/PR.

curitibaIr. Ignes Maria Rubin/Karen Bueno – Habitualmente Curitiba/PR é uma cidade fria, chuvosa e no dia da Aliança o cenário é o mesmo: tempo fechado com temperatura baixa. Mesmo assim, com todo ardor que impulsiona os corações no novo século, as adversidades não impedem a Família de Schoenstatt de festejar. No dia 18 de outubro o Santuário Tabor Magnificat recebe muitos peregrinos para renovar a Aliança de Amor e dar graças por tudo que a Mãe Três Vezes Admirável realizou neste ano.

Logo cedo chegam um ônibus de Rio Negro/PR, um grupo de Colombo/PR e uma romaria a pé vinda do bairro Água Verde, da capital paranaense. Às 9 horas os peregrinos são acolhidos em frente ao Santuário.

Durante o dia são celebradas duas Missas solenes, no Auditório e na Capela, ainda em construção, da futura Casa de Retiros – uma às 11 horas e outras às 17 horas. Ambas as celebrações são presididas por Pe. Marcelo de Sousa, capelão do Santuário, com aproximadamente 400 pessoas em cada uma delas. A banda Magnificat, formada por membros do Movimento Apostólico de Schoenstatt, anima a celebração.

Após a procissão de entrada, um vídeo recorda a celebração do centenário da Aliança de Amor em 2014, quando o quadro original da MTA percorre a arena dos peregrinos em Schoenstatt. Logo em seguida um quadro de Mãe e Rainha também entra pelo corredor central, levando todos ao encontro da Mãe.

Na homilia, Pe. Marcelo faz um retrospecto do histórico da Aliança de Amor, recordando o momento da fundação em 18 de outubro de 1914, o qual transforma a singela Capelinha de São Miguel em um Santuário de Graças. O padre ainda explica que ao redor desse Santuário se desenvolveu o Movimento Apostólico de Schoenstatt e que a Aliança de Amor, vivida por meio de contribuições ao Capital de Graças, dá existência, vida e vigor aos Santuários de Schoenstatt.

Na procissão do ofertório são levadas ao altar duas grandes alianças douradas entrelaçadas e a talha, simbolizando as contribuições ao Capital de Graças pela conquista de mais um ano de história.

Ao final das Missas todos seguem em romaria ao Santuário, onde rezam o Ângelus e renovam a consagração à Mãe de Deus. A celebração termina em um grande abraço ao redor do Santuário, como ato simbólico de devoção e de amor a esse pedacinho do céu e à Mãe Três Vezes Admirável.

Meu presente, minha Aliança

Nos intervalos da programação, membros das comunidades de Schoenstatt acolhem os romeiros nos jardins do Santuário, explicando-lhes sobre a história do Movimento e convidando-os a também participarem desta Família ou dos círculos de Aliança. As crianças têm um dia animado com jogos e cama elástica instalados. A “Tenda do Pai”, dirigida pela Liga Feminina, divulga a vida do Pe. Kentenich e de Ir. M. Emilie Engel, colhendo assinaturas para sua beatificação.

Na parte da tarde um grupo da Liga de Famílias de Rio Negro/PR sela a Aliança de Amor, um presente especial para esse dia. Em seguida o povo se reúne em frente ao Santuário para a renovação da Aliança de Amor e a bênção do Santíssimo Sacramento, marcando o dia de festa. Às 16 horas segue a oração do Terço da Família.

Conquistamos em Família

Em Curitiba/PR, a festa da Aliança foi preparada por meio de um tríduo que se realizou aos finais de semana. Em cada encontro um tema diferente leva a reflexão: “Por que 18 de outubro?”, “O que é Aliança de Amor?” e “Quais as graças do Santuário?”. As respostas a essas perguntas são dadas pelo comentarista e ilustradas por encenações. Pe. Marcelo também dedica uma parte da sua homilia para explicá-las e no ofertório o povo é convidado a pensar em alguma contribuição pessoal ao Capital de Graças durante a semana.

Com toda essa preparação e um dia especial de festa, a Família de Schoenstatt dá graças ao Bom Pai por tudo de belo que a celebração da Aliança trouxe.