Em família e comunidade, amai-vos uns aos outros

26 de abril de 2016

Diocese de Piracicaba peregrina ao Santuário.

peregrinos tendaKaren Bueno – “Faz cinco anos que eu visito o Santuário e sempre volto por causa da fé que tenho pela Mãe e Rainha e as graças que ela traz para nós. Desde quando eu comecei a visitá-lo, eu só recebo bênçãos. A família toda participa nesse dia e é muito especial”, conta o Sr. Josué Vieira Lima, de Santa Bárbara d’Oeste/SP. Ele, como muitos outros peregrinos da Diocese de Piracicaba/SP, viaja anualmente para Atibaia/SP, ao Santuário da Mãe e Rainha, para pedir e agradecer as graças da MTA.

Em 2016 a Diocese de Piracicaba/SP leva cerca de 4.600 pessoas ao encontro da Mãe para um dia de misericórdia e de vivência familiar no dia 24 de abril. A programação é diferenciada nesse domingo, com gincanas e brincadeiras para pais e filhos após o almoço: é o dia dedicado às famílias. Pelo segundo ano consecutivo o Santuário oferece essas atividades para os peregrinos numa festa familiar que traz a “corrida do saco”, pula-corda, bola e muitas outras brincadeiras.

Sueli Maria Floriano comenta “Esse momento de recreação é muito importante, porque os pais estão interagindo junto com os filhos, é uma alegria, muito gratificante, isso pode virar tradição”.

Dia de Misericórdia

A parte da manhã é marcada pela catequese sobre a misericórdia. A vivência começa com uma caminhada penitencial, para reconhecer-se pequeno e frágil diante de Deus, seguindo até a Tenda dos Peregrinos. A catequese leva cada pessoa a refletir sobre sua relação pessoal com o Pai Misericordioso e mais tarde a colocar-se no papel do Filho Pródigo que volta arrependido para casa. “A festa da misericórdia é uma vivência muito forte e emocionante”, aponta Vera Lucia Broleze Furlaneto.

A culminância desse momento se dá com a adoração eucarística e a bênção do Santíssimo, quando ecoam fortemente as palavras de misericórdia mútua de Jesus: “Amai-vos uns aos outros” (Jo 13, 34). E todos seguem peregrinando ao Santuário, para a passagem da misericórdia do Ano Jubilar.

Como Pozzobon

O andor com a imagem da Mãe e Rainha é levado por quatro voluntários em todas as peregrinações – eles são como que “novos Pozzobons”. O Sr. Joaquim Alves Teixeira é um deles: “O sentimento é tão grande, eu acredito que 99% dos que estão na romaria gostariam de estar no meu lugar”, diz ele, que visita anualmente o Santuário há mais de 20 anos e “se Deus quiser pretende vir mais vezes”.

Outro Joaquim, o Sr. Joaquim Mendes Floriano, também é um “Pozzobon” nesse domingo: “É uma honra muito grande, a gente fica até emocionado de contar, porque é muito bom, é uma graça que não vamos esquecer, não tenho nem o que falar”.

Como eles, há milhares de outros “Pozzobons” que carregam a imagem da Mãe, nas mãos ou no coração, como missionários da misericórdia.

Jesus: o grande amor da nossa vida

À tarde a Santa Missa é presidida por Pe. Claudemir da Rocha, da Paróquia Santa Cruz e São Dimas, e concelebrada por Pe. Sebastião Luiz de Souza, da Paróquia Menino Jesus de Praga, ambos de Piracicaba. Na homilia, Pe. Sebastião diz que Jesus resume os mandamentos em um único ponto: Amais-vos uns aos outros. “Muitas pessoas procuram o amor de sua vida e, mesmo sendo casadas, às vezes não o encontraram. Procurem a Deus, pois se o encontrarem, encontrarão o grande amor da vida. Para quem encontrou Jesus Cristo não existe solidão, nele existe somente o amor”.

Pe. Sebastião afirma: “Deus quer de nós que permaneçamos firmes na fé, assim como Nossa Senhora. Quando passamos por dificuldades, pensemos em Jesus; como ele venceu, nós também venceremos”. Ele dá uma dica importante: “Ninguém ama um filho mais do que a Mãe, ela faz qualquer coisa por ele. Nós temos uma Mãe no céu que está sempre pronta a nos abraças para nos dar carinho”. Àqueles que recebem a Mãe Peregrina, ele orienta: “Quando a Mãe chegar em casa, corra reunir a família para rezar. É a família que abraça a Mãe e a Mãe a abraça”.

No final da Missa, Pe. Claudemir celebra com sua comunidade o envio de uma imagem Peregrina Auxiliar para a Paróquia: “Quem bebe da água deste Santuário sempre volta a beber. Uma vez consagrado ao coração da Mãe, ela nunca mais deixará seu coração, ela sempre nos leva ao encontro com Cristo”.

Saber pedir e agradecer

O dia especial de graças termina com a consagração à Mãe de Deus. Para a coordenadora da Campanha Isabel Vicentini, todo o esforço na realização da romaria traz o sentimento de missão cumprida: “Nós ficamos muito ansiosos até chegar o dia, as preparações, mas depois que a gente vê essa maravilha que pudemos presenciar, isso é a riqueza maior que a gente tem, pois conseguimos trazer o povo para a casa da Mãe, receber suas graças e agradecer tudo que ela nos oferta, é muito bom”. Ela complementa: “Levo dessa romaria a paz que a gente encontra no Santuário, na casa da Mãe, onde sempre somos bem acolhidos. Nós vamos embora, chegamos em casa e já temos vontade de voltar”.

O Sr. Vanderlei Vicentini indica para todos: “É um dia especial de graças que a pessoa pode vir buscar e não ter medo nem vergonha de pedir, que vai alcançar. Todos que vêm a esse lugar têm que saber aproveitar as graças da Mãe; pedir, agradecer e levar para nossa cidade”.