Em Atibaia a Aliança é renovada em dois idiomas

20 de outubro de 2015

Brasileiros e franceses se unem para celebrar a Aliança.

atibaia coroaKaren Bueno – O dia da Aliança no Santuário de Atibaia/SP traz uma mistura de povos e idiomas, quer unir todos os peregrinos à Família Internacional de Schoenstatt, numa única corrente de corações, renovando a Aliança de Amor para o novo século. Cerca de 3.000 pessoas rendem graças à Mãe e Rainha em seu dia especial, entre eles um grupo com 30 franceses, aproximadamente, que acompanham o Bispo da Diocese de Toulon, Dom Dominique Rey, que vem conhecer de perto a realidade da Igreja no Brasil e descobrir a espiritualidade de Schoenstatt.

O toque de trompetes abre a celebração da Aliança de Amor e todos são convidados a encher as talhas do Santuário com as contribuições ao Capital de Graças, para que os povos, de todos os continentes, possam beber o vinho da alegria – cada continente é representado com uma cor. Os sacerdotes franceses acompanham esse momento, sempre traduzidos pelo seminarista brasileiro André Favoretti, que mora na França.

Diante da estátua do Pe. José Kentenich são recordados alguns herois de Schoenstatt que se deixaram transformar pela Aliança de Amor, foram educados pela Mãe e Rainha no Santuário e ofereceram suas vidas como viva contribuição ao Capital de Graças: Servos de Deus José Engling e João Luiz Pozzobon, Venerável Ir. M. Emílie Engel, Beato Pe. Carlos Leisner.

“Tira o calçado porque o lugar em que pisas é terra santa…”

Ao se aproximarem do Santuário, as palavras indicam a santidade deste chão: “Olhem as paredes do Santuário, nelas estão gravadas as histórias de muitos peregrinos que ao longo do caminho entregaram à Mãe e Rainha seu coração e se abriram para a graça. Ninguém sai do Santuário da mesma forma que entrou”.

Ali as ofertas ao Capital de Graças se transformam em chamas que elevam ao céu o esforço pela santidade, a vivência concreta da Aliança de Amor. Em seguida todos renovam a Aliança de Amor unidos num só coração junto ao Pai. A Sra. Teresa Clementino, de Atibaia/SP, conta como vive sua consagração sendo missionária da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt: “Vivemos nossa Aliança por meio de muita oração, perseverança, carinho, dedicação e muito amor. O dia da Aliança é o mais feliz de todos, porque podemos renovar também nossa gratidão a todas as graças e bênção que a Mãe nos dá o ano inteiro com sua visita”.

A adoração eucarística leva todos diante de Jesus, a Nova e Eterna Aliança, o motivo pelo qual todos se consagram à Maria, para que ela os forme a imagem d’Ele. A procissão caminha com o Senhor até a Tenda dos Peregrinos e lá acontece a bênção do Santíssimo, encerrando a parte da manhã.

Maria ensina a servir

vispo

Dom Dominique Rey, bispo de Toulon/França

Depois do almoço os peregrinos se reúnem na Tenda novamente, a expectativa agora é para a coroação da Mãe de Deus. Os missionários são acolhidos com canto e erguem com orgulho suas imagens. A vivência preparada para esse momento leva as famílias a se colocarem como pequenos filhos diante da Mãe. Muitos anjos, flores, pétalas, estrelas preparam os corações para a coroação da imagem que fica na Tenda dos Peregrinos.

Após a vivência inicia a Santa Missa, presidida por Dom Dominique Rey e concelebrada pelos sacerdotes franceses Pe. Régis de Joigny François e Pe. Henri de Chauvigny. Os textos são lidos em português pelo bispo e seus comentários em francês são traduzidos pelo seminarista André Favoretti.

Na homilia, Dom Dominique mostra como Maria ensina a servir em todas as passagens bíblicas que aparece. “Maria é a Serva de Deus primeiramente acolhendo Jesus. No dia da Anunciação, ela abre seus braços, abre o seu coração para acolher Jesus nela. Ser servo é, antes de tudo, acolher Jesus em sua casa, é abrir-se a Deus para que Deus venha morar em nós, para que transforme os nossos corações”.

Leia a homilia na íntegra 

No final da Santa Missa todos os missionários da Campanha vão com suas imagens à frente, onde renovam a coroação da Mãe Peregrina. Ao mesmo tempo um casal coroa a imagem Auxiliar do Santuário e Dom Dominique coroa a outra.

“Com essa coroa queremos provar o amor que sentimos pela Mãe e provamos esse amor levando sua imagem até as famílias, cuidando dela direitinho”, dizem Rosana e Josefina Alexandrino, missionárias de Atibaia/SP.

Toda Família de Schoenstatt da região celebra e colabora com a festa da Aliança no Santuário. “Nós assumimos o novo século, caminhamos nele, e por essa renovação da Aliança nós tomamos o futuro de Schoenstatt em nossas mãos”, ressalta Gabriela Guarizo, da Juventude Feminina de Schoenstatt de Mairiporã/SP.

O final da Santa Missa representa o envio de todos, brasileiros e franceses, que têm a missão de formar uma cultura de Aliança por onde forem, sempre vinculados à Mãe e Rainha, ao Santuário e ao Pai e Fundador, construindo juntos, em unidade familiar, a nova ordem social sonhada pelo Bom Deus.

Mais fotos