“Ele me olhou com misericórdia!”

21 de maio de 2016

Consagração perpétua das Irmãs de Maria

perpetuo

Ir. M. Nilza P. da Silva – “Eu digo sim para viver o amor perpetuamente!” É assim que Ir. M. Credileide Matias de Souza resume o significado se sua incorporação perpétua ao Instituto das Irmãs de Maria de Schoenstatt, juntamente com suas duas Irmãs de Curso, realizada no dia 20 de maio de 2016. A solenidade abençoada coroa os 8 anos e meio de formação contínua, iniciada no noviciado. Por isso, Ir. Alessandra Maria Gonçalves afirma: “Perpétuo para mim é a culminância de tudo o que preparei na formação como Irmã de Maria. É um sim perpétuo na doação, um sim a Jesus, como sua esposa perpetuamente, mas, é também um sim para sempre para Schoenstatt!”

O chamado vocacional, realizado pelo amor Divino, foi comprovado pela fidelidade diária e hoje, justamente no Ano da Misericórdia e dia tão significativo para a história de Schoenstatt, é novamente respondido com um alegre e pronto sim, para sempre! “Faço o perpétuo para me doar inteiramente e para sempre para Jesus e para Schoenstatt. Dizer esse sim justamente no Ano da Misericórdia é responder ao amor de Deus que me olhou com misericórdia. Sinto palpavelmente a presença de Deus na minha vida. Ele me olhou e me viu em minha fragilidade e pequenez, mesmo assim, ele me escolheu e me aceitou. Então, eu digo sim para viver o amor eternamente!” assegura Ir. M. Credileide.

pe_biberger

A Santa Missa foi presidida pelo Pe. Bernd Biberger, Diretor Geral do Instituto, que se encontra em visita às Irmãs de Maria no Brasil. Ele também afirma que o grupo escolheu conscientemente esse dia de gratidão para dar o seu sim perpétuo à vocação, pois é um dia da festa da fidelidade à Aliança de Amor. “Quando o Pai e Fundador chegou em Schoenstatt, ele agradeceu a essa fidelidade. Por isso, hoje é também o dia da fidelidade!” diz, ao introduzir a liturgia.

Ir. Eliza Maria A. da Silva, revela que é justamente a fidelidade de Deus que a anima a dar esse sim sem reservas e perpetuamente para a sua vocação: “Não tenho medo de dar esse sim para sempre porque, se o Pai me conduziu até aqui e me foi fiel, mesmo diante das minhas fraquezas. Eu acredito que o Pai vai continuar a me conduzir sempre na fidelidade. Sei que ele me olhou com misericórdia e me chamou para Schoenstatt, o meu sim perpétuo é também para Schoenstatt, para a Aliança de Amor. E digo o sim perpétuo com muita alegria.”

A alegria de ser amada pessoalmente por Deus e de dar também a resposta pessoal sem reservas e para sempre reluz no semblante de cada uma delas! Num tempo em que tudo é solúvel esse sim ousado e fiel atrai bênçãos para toda a Igreja e a Obra de Schoenstatt! Rezemos por elas e pelas vocações: “Ave Maria, cheia de graça…”