“Ela é a grande missionária…” rumo ao Centenário da Aliança!

11 de junho de 2012

No Brasil, desde 2005, estamos com nosso novênio, peregrinando rumo ao Centenário da Aliança de Amor. E já tivemos tantas alegrias (como também desafios!) nesta caminhada, entre as quais se destaca – neste último ano – a visita do Símbolo de Deus Pai.

Ir. M. Rosequiel Fávero - Nessa peregrinação, vamos ao encontro de uma grande festa, ao encontro da Mãe, do seu Santuário, da Aliança de Amor. “A cada passo de nossa peregrinação” lhes estendemos as mãos com muitas contribuições para o Capital de Graças. Especialmente a cada ‘dia 18’, sentimos que nos aproximamos da meta de nossa peregrinação: ‘aquele Dia da Aliança’, em outubro de 2014. Mas, nesta caminhada, a Mãe e Rainha da Aliança também vem ao nosso encontro com as graças que precisamos, trazendo-nos alento e forças para não desanimarmos.

A Mãe vem ao nosso encontro! A partir de 18 de abril deste ano viveremos mais uma ‘grande peregrinação’ em nossa Pátria. Nesta última etapa rumo ao Centenário da Aliança, a Mãe e Rainha de Schoenstatt virá ao encontro de seus filhos de uma forma muito especial: na Imagem Peregrina Original, com a qual o Servo de Deus (e nosso irmão na Aliança) João Luiz Pozzobon iniciou a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt há quase 62 anos!

Com que intenção a Mãe Peregrina Original vem nos visitar?

  • Ela será um dos símbolos centrais das celebrações do Centenário da Aliança em Schoenstatt e Roma e quer levar todos os seus filhos e aliados a esta festa. Podemos imaginar que nas inúmeras celebrações da Aliança de Amor nas dioceses, por onde passar, acolherá no seu, os corações dos seus filhos para levar todos, e cada um, ao Santuário Original em 2014;
  •  A Mãe partirá do Santuário Tabor, primeiro trono da Mãe e Rainha de Schoenstatt em nossa Pátria, peregrinando aos Santuários filiais, Santuários paroquiais, Santuários-Lares, como portadora do fogo da missão Tabor. “De Santuário a Santuário…”, a fim de conectar e unir, na Aliança de Amor, a grande Família de Schoenstatt brasileira;
  •  Mas Ela não vai sozinha. O ‘fogo da missão Tabor’ a acompanha no símbolo de uma lâmpada configurada especialmente para esta peregrinação (ver a descrição dos símbolos da lâmpada no quadro ao lado). Acesa no Santuário Tabor, ela deve reacender, no coração de todos os seus filhos e aliados, o ardor pela missão de transformar o Brasil e o mundo inteiro num grande e único Tabor de Cristo e Maria;
  • A Mãe Peregrina Original deixará em cada Santuário filial uma réplica da lâmpada da missão Tabor, recordando que eles são centros irradiadores da Cultura de Aliança! Desta forma, na sua peregrinação, a Mãe vai unir o Ano do Santuário e o Ano da Missão numa única grande corrente, nesta reta final rumo a 2014. Quando em 18 de outubro de 2013, na abertura do ano jubilar, todas essas lâmpadas forem acesas, a rede de Santuários estará iluminada pelo fogo da missão;
  • Junto da Mãe Peregrina Original, não poderá faltar seu fiel ‘burrinho’, que a carregou durante 35 anos a tantos lugares: João Pozzobon. Simplesmente não se podem separar a Mãe Peregrina e o ‘pobre peregrino’, como ele mesmo se chamava. No raiar do centenário do Movimento de Schoenstatt, João Pozzobon estará presente principalmente como modelo de missionário e schoenstattiano, de ‘forjador’ da Cultura de Aliança. Que a Mãe, na sua peregrinação, vá despertando outros ‘Joões’, que queriam fazer-se também ‘burrinhos’ e missionários;
  • Como ensinava João Pozzobon, ao falar das imagens peregrinas auxiliares, a Mãe leva consigo também a bênção do Pai e Fundador, o Padre José Kentenich. É aquela bênção que Pozzobon pediu e nosso Pai prontamente lhe deu, a partir do Santuário Original, em 1952. Repetidas vezes, João Pozzobon afirmou que “aquela bênção foi a força da Campanha”.

Em 10 de setembro de 1980, no aniversário de trinta anos da Campanha da Mãe Peregrina, João Pozzobon quis fazer um ato muito especial: sentindo que suas forças diminuíam, quis devolver sua querida Imagem Peregrina (a Original!), no Santuário Tabor, à Irmã M. Terezinha Gobbo, de quem a havia recebido. Naquela oportunidade, ele disse palavras que se aplicam muito bem à peregrinação ‘jubilar’ da Mãe Peregrina Original:

“Vejo algo muito grande para o futuro, algo muito grande.
Penso que trinta anos parece que são suficientes, mas não são; não são suficientes, é pouco.
Temos pela frente muito que realizar, muito, muito… parece-me que estamos começando.
Daqui para diante vamos, realmente, trabalhar.
Por isso, Ela preparou um grande campo, e vai necessitar de alguém
que possa manter e fazer crescer esse campo, a fim de que possa ser conhecida e amada”.

A Mãe e Rainha de Schoenstatt dirige agora estas palavras a nós, nas vésperas deste grande jubileu. ‘Ela vai necessitar de alguém para fazer crescer esse campo.’ Esse alguém, seguramente, somos nós, seus filhos e aliados!

Fonte: Revista Tabor em Páginas, n. 78, p. 20