É “apostolável”…?

2 de abril de 2016

Apostolar nas pequenas coisas para se chegar às grandes.

capa

Carmen M. Rogers – Não procure no dicionário; nem sequer no Google. A palavra não existe porque é nova, recém-nascida para um momento determinado. Nasce do verbo português “apostolar”, mais direto, mais breve, mais simples, mais próximo.
O Papa Francisco começou por tirar as “vestes solenes” à evangelização-catequese, convidando-nos a partilhar “a alegria do Evangelho”. Essa alegria é solidária por essência, olha o outro, procura aquilo que o outro necessita hoje, agora, aqui.

Apostolar é… parar o carro para ceder passagem, embora tenha prioridade.

Apostolar é… convidar para uns passos de dança aquela moça não muito bonita, que se sente tão só no meio da multidão.

Apostolar é… escutar, e, se puder, aconselhar.

Apostolar é… ir visitar aquela tia velhinha que nem o ouve, mas que se agarra à sua mão quando se prepara para deixá-la. É lançar um olhar aos medicamentos para ver se não falta nada.

Apostolar é… pagar os impostos, respeitar as leis, conduzir à velocidade indicada, mesmo que não se veja nenhum policial.

Apostolar é… viver a Cultura de Aliança esteja onde estiver e com quem estiver.

Não é assim tão simples. A única maneira de se tornar um hábito é adquiri-lo no Santuário. Ali aprendemos a oferecer-nos sempre como instrumentos de amor nas mãos da Mãe.

Esse amor está em nós? Preenche toda a nossa vida? Transmite-se no nosso atuar?
Somos os schoenstattianos ‘personalidades irresistíveis’, um verdadeiro Tabor que leva à pergunta: “o que tem essa pessoa que, só por ser quem é, me alegra a vida?”

Apostoláveis são os filhos, os amigos e inimigos, o almoço com os avós ao domingo, os netinhos brincalhões que me “depositam” em casa quando quero ter a tarde de sábado para mim.

Apostolável é a telefonista do call center, que telefona sempre no pior momento para vender algo que não se quer.

Apostolável… seria ilusão pretender evangelizar só com um sorriso?

Sem dúvida, podemos apostolar.

E é mais viral que o twitter. Ou mais contagioso, se já passamos os 50 anos.

Centenas e milhares de situações, momentos, lugares e pessoas apostoláveis esperam por ti. É o teu presente jubilar.
E o presente para ti: quando perceberes que todo o mundo e todos no mundo são apostoláveis, verás o mundo de outra cor!

Fonte: schoenstatt.org

  • Celia de Castro

    Muito lindo e verdadeiro. Lendo este artigo percebo que todo nós somos apostálaveis, só precisamos ter consciência disto. Muitas vezes temos todas as atitudes descritas acima, mas agimos mecanicamente; e é preciso que se saboreie cada ato apostolável para ir adquirindo cada vez mais esse desejo de ajudar e amar o próximo.

  • joanne Teixeira

    Meu Deus!Estou emocionada!Que um mundo seja um apostolável da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt! Quero apostolar o amor da Mãe Rainha, na minha aliança de amor por toda a minha eternidade!

  • Ir. Maria Clara

    Super! Gostei e quem sabe assim muitos entrarão nesse ritmo apostolável. Felicidades.