Direção internacional da União de Famílias reunida no Brasil

20 de fevereiro de 2015

Reflexões da comunidade na terra do Tabor.

uniao-de-familias-2Karen Bueno – Os quatro casais que compõem a direção geral da União de Famílias de Schoenstatt reúnem-se no Santuário de Atibaia/SP do dia 12 a 23 de fevereiro. Essa reunião é anual e a cada ano é realizada em um país diferente. Em 2015, o primeiro ano pós-centenário da Aliança de Amor, escolheram o Brasil para planejar os trabalhos da comunidade neste novo século e preparar o Capítulo Geral, que acontece em setembro deste ano.

Os casais que constituem a direção geral da União Apostólica de Famílias são os dirigentes Ramón e Marité Marini, do Paraguai, também os casais conselheiros: Hans e Gertrud Zier, da Alemanha, Daniel e María Teresa Martino, da Argentina, e Fernando e Carolina Alliende, do Chile. “Nós não representamos nosso país de origem; como direção geral, buscamos representar os 17 países que integram a União Internacional”, explica Fernando Alliende.

Por que o Brasil?

“Temos buscado há muito tempo a oportunidade de nos reunirmos aqui no Brasil. Queremos estar próximos de nossos irmãos da União Apostólica do Brasil, e isso foi possível agora, justamente num período próximo ao nosso terceiro Capítulo Geral, que estamos preparando junto ao Santuário de Atibaia”, diz Fernando Alliende, e sua esposa complementa: “Temos nos sentido muito acolhidos neste lugar. Há tempos queríamos visitar o Brasil, para conhecer melhor a União, conhecer o Santuário de Atibaia, a Campanha da Mãe Peregrina, o Movimento de Schoenstatt no país”.

É pouco o tempo em que os casais estão no Brasil, mas já puderam perceber algumas características que lhes chamam a atenção: “Encontramos primeiro uma fecundidade apostólica impressionante. É muito evidente que aqui há muita vida e que há toda uma comunidade organizada para servir essa vida e multiplicá-la. Impactou-nos muito este ambiente, este clima cordial, que não é apenas um ambiente religioso e apostólico, mas um lugar de muito carinho e serviço às pessoas, de muita atenção e alegria, onde se sentem as graças do Santuário”, diz a argentina María Teresa Martino.

Os trabalhos apostólicos do Movimento no Brasil, em especial a Campanha da Mãe Peregrina e o Terço dos Homens Mãe Rainha, são o que geralmente chamam mais a atenção dos schoenstattianos de outros países. “Encontramos um centro pastoral muito preparado para receber grandes contingentes de peregrinos. Há também uma visão estratégica para o futuro, sobretudo olhando a Campanha da Mãe Peregrina como uma forma de trabalhar com famílias em qualquer parte da Obra de Famílias. A partir desse trabalho vemos toda a imensidão do que a Mãe realiza aqui. Com a Peregrina, com sua imagem que percorre esse imenso país, podemos alcançar as famílias que estão fora de nosso alcance. Estamos felizes de ter encontrado esse lugar e esse trabalho”, coloca Daniel Martino.

A União quer servir

O casal de alemães, Hans e Gertrud Zier, comenta que a vida em torno do Santuário-Lar é uma corrente forte na União de Famílias e que todos estão empenhados em exercer o apostolado, especialmente depois do centenário. “Os grupos de famílias da União, que se reúnem regularmente, querem cada vez mais formar uma família entre eles. Nosso objetivo é que todos os territórios formem famílias sólidas, boas, firmes, todas reunidas ao redor do Pai Fundador e que levem a União ao crescimento”, diz Gertrud.

Hans Zier acentua que as famílias católicas em geral estão empenhadas em se colocar a serviço de outras famílias, e que isso está bastante presente também na União Apostólica. “Com a ajuda de uma ascese familiar orgânica, queremos desenvolver o apostolado em todos os âmbitos possíveis, sobretudo nas áreas problemáticas das famílias, que são iguais no mundo inteiro”.

O casal do Paraguai, dirigentes da União de Famílias de Schoenstatt, ressalta o grande trabalho que a comunidade tem pela frente no âmbito apostólico, especialmente neste ano, que é o primeiro do novo século, em que os olhares da Igreja estão voltados para a família de modo especial e que eles se reúnem em um novo capítulo. “O apostolado é um desafio grande que temos. Acredito que vamos respondendo de acordo com a realidade dos distintos territórios. No Paraguai, por exemplo, a União está muito ligada à Campanha da Mãe Peregrina e trabalhamos bastante nesse sentido, visitando hospitais com a imagem, levando a comunhão e a Palavra de Deus; também temos o trabalho de preparação de casais para o matrimônio, e muitos outros projetos. Depois do centenário veio o impulso para sair ainda ‘mais para fora’”, conta Marité Marini.

Essa disposição para o apostolado é sentido pelo mundo todo: “Em todos os territórios sentimos o impulso pós-centenário, com a Aliança renovada e através das palavras do Papa”, diz Ramón.

O próximo Capítulo Geral da União de Famílias de Schoenstatt, no qual se reúnem os dirigentes de todos os territórios autônomos, será de 3 a 13 de setembro, em Schoenstatt. Rezemos para que, desde já, o Espírito Santo ilumine a direção geral da comunidade e todos os capitulares.

Saiba mais sobre a União de Famílias de Schoenstatt