De Roma e do mundo todo: Feliz Aniversário!

16 de novembro de 2015

Parabéns Pe. José Kentenich!

JK_roma

Pe. Kentenich e Dom Heinrich Tenhumberg

Ir. M. Nilza P. da Silva – Na casa dos Kentenich, no dia 16 de novembro de 1885, em meio aos festejos da cidade, Katharina dá a luz a um menino, que recebe o nome de José. Em Roma, no dia 16 de novembro de 1965, há uma festa de aniversário, em meio a situações tensas: o grande Pe. José Kentenich, em processo de liberação dos seus 14 anos de exílio, celebra 80 anos. A celebração reúne cardeais, bispos e a Presidência Geral da Obra Internacional de Schoenstatt, representando os milhares de schoenstattianos do mundo inteiro. Em 16 de novembro de 2015, no mundo inteiro, Pe. José Kentenich recebe os parabéns, do pequeno fruto gerado por Katharina, amadureceu uma grande Obra que estende seus ramos pelos cinco continente, em plena florescência e frutos para a Igreja e toda a sociedade.

Uma saudação especial

Glorifiquemos a Deus pelo aniversariante, conhecendo como foi a festa realizada há 50 anos. Para iniciar a solenidade alegre e familiar, Dom Heinrich Tenhumberg, bispo Auxiliar de Münster/Alemanha, lê o telegrama de felicitações, enviado pelo Cardeal Ottaviani, Prefeito do Santo Ofício: “Cordiais felicitações e orações pela conclusão do 80º ano de vida”. Sim, uma saudação do Santo Ofício Romano, o mesmo que Deus usara como instrumento para amadurecer a Obra de Schoenstatt, enviando o Fundador por 14 anos, ao exílio, na América do Norte. Portanto, o que parece uma simples saudação de aniversário, é muito mais do que isso.

Na Santa Missa, das 11 horas, presidida pelo aniversariante, Dom Adolf Bolte, de Fulda/Alemanha, faz a homilia e também estão presentes Dom Antonio José Plaza, de La Plata/Argentina e Dom Joseph Hoffner, de Münster/Alemanha. Ao final, Pe. Kentenich convida a todos para cantar um Hino de Gratidão e este sobe a Deus e a Mãe de Deus de todo o coração.

Um Santuário e uma missão

Pelas 15 horas, todos se dirigem, em ônibus, até a Via di Boccea, onde está o presente especial da Família de Schoenstatt, ao seu Fundador: a bênção de um terreno para a construção de um Santuário e um Centro de Schoenstatt no coração da Igreja. Pe. José Kentenich está silencioso e concentrado. Ele sabia melhor do que todos, o que a Mãe de Deus quer presentear à Igreja através de Schoenstatt e como é importante este ato.

No jantar, mais ato muito importante: Dom Höffner aceita o Pe. Kentenich, de 80 anos, como o mais jovem membro de seu clero diocesano e imediatamente o libera para a dedicação integral a Obra de Schoenstatt. Apesar da seriedade dos atos, os presentes narram que o aniversariante, com seu carisma paternal, promovia uma atmosfera de muita alegria familiar. Era um pequeno Tabor no final de um Calvário, unidos no amor a Igreja.

Sua voz ressoe em nosso testemunho de vida

Ao findar as festividades, o Pai e Fundador pede aos bispos presentes que abençoem toas as pessoas presentes e diz: “Posso dizer mais uma vez aqui, o que já mencionei nestes dias: queremos considerar os nossos Bispos e sua presença como um contato com o Colégio dos Apóstolos, com os sucessores dos Apóstolos. Por isso podemos ser humanos, proceder de maneira original e humana, mas queremos também ser sobrenaturais”. Assim, ele sublimava tudo o que lhe ocorrera nos 14 anos. Era visível a sua gratidão e ele convida sua Família a amar a Igreja, em obediência a sua hierarquia e serviço desprendido aos seus membros.

Hoje, ao festejarmos o seu aniversário, recordamos o jubileu áureo deste aniversário especial e renovamos com ele nosso compromisso: Ele amou a Igreja, nós amamos também. Conhecemos o segredo do seu coração, a Aliança de Amor com a Mãe e Rainha e a confiança heroica em seu cuidado materno. Sua voz continue a ressoar em nossos lábios e em nossa vida, pois, como consta no memorando: “Começou uma nova época na nossa história. Repletos de espírito missionário, propomos a todas as pessoas, para além de todas as fronteiras – até às periferias da sociedade – a aliança de amor como caminho e esperança. Construímos assim uma abrangente cultura de aliança. O carisma profético do nosso Pai e Fundador impele-nos a uma nova fundação de Schoenstatt em meio às situações dos tempos de hoje.”